Como escalar um negócio que não é online

Cada negócio tem um desafio diferente e existem estratégias para escalar cada um deles

*Por Erlon Labatut

Todo empreendedor de alto impacto que está começando um novo negócio já pensa em como escalar o seu negócio. Escalar é ganhar escala: aumentar o volume de produção e de vendas sem aumentar os investimentos e o custo fixo na mesma proporção.

A escalabilidade de um negócio permite que o crescimento seja rápido e os objetivos definidos tenham maior possibilidade de serem alcançados. Além disso o posicionamento da marca tem um grande ganho pelo de transações que um negócio em grande escala realiza assim como pelo valor que pode ser investido em marketing.

Com o crescimento do modelo de negócios startup, ser escalável tornou-se praticamente uma obrigação e é um caminho natural para a maior parte destas empresas que atuam com uma forte base tecnológica. Para empresas que tem seu negócio baseado em saas (software como serviço), apps, portais na internet, redes sociais, etc a escalabilidade é natural, faz parte do DNA.

E quando não é assim? Existem casos em que o negócio tem enorme potencial para o sucesso, mas para crescer e ter uma atuação em diversos pontos geográficos precisa ter pessoas em cada ponto, precisa ter uma estrutura em cada ponto. Como escalar?

Existem algumas formas para fazer isso, mas no meu ponto de vista é a melhor é a expansão através do modelo de franquias. Na franquia a escala é possível porque o investimento para o crescimento da rede será realizado pelos franqueados, e o trabalho em cada ponta da rede também será executado pelo franqueado. Desta forma o franqueador, que é o idealizador do negócio poderá focar no estratégico e no desenvolvimento do produto e da marca.

Para escalar através do franchising alguns cuidados devem ser tomados. A responsabilidade é grande, pois cada franqueado estará apostando com dinheiro, tempo, trabalho e energia naquele negócio e assim deverá ter todo o suporte para que possa fazer da sua unidade um caso de sucesso.

Para criar um modelo de expansão através do franchising devem ser realizadas quatro grandes etapas:

1) Análise de franqueabilidade

2) Formatação da Franquia

3) Expansão da Rede

4) Gestão da Rede

Na análise de franqueabilidade é verificado se aquele negócio é realmente franqueável e qual o melhor modelo de franquia para que seja sustentável no longo prazo atendendo a expectativa de franqueador e de franqueados. Na formatação de franquia é estruturado o modelo de franquia e são elaborados os manuais do franqueado e do franqueador, os instrumentos jurídicos (existe uma lei de franquias no Brasil, é a lei 8955/94) e o plano de expansão.

Com a franquia formatada deve ser realizada a expansão da rede que consiste em conseguir franqueados para a rede. Não basta conseguir franqueados, deve-se conseguir os melhores franqueados através de uma seleção para encontrar aqueles que realmente tenham o perfil esperado e a capacidade de investimento necessária. Neste momento que se começa a escalar.

Para que o ganho de escala seja bem sucedido é preciso fazer uma excelente gestão da rede, contribuindo para que os franqueados atinjam suas expectativas e que o negócio do franqueador também tenha o sucesso esperado.

*Erlon Labatut é Sócio-Diretor da Consultoria FRANQUEADOR.COM Consultor em Franquias associado a Associação Brasileira de Franchising (ABF) e Credenciado ao SEBRAE. É também Coordenador Técnico do Programa Franquias Paraná (Sebrae e Fecomércio) e Coordenador do Curso de Formatação de Franquias do ISAE/FGV. Formado em Administração pela UFPR e Mestre pela UTFPR. Tem experiência de mais de 15 anos de atuação em consultoria. Trabalhou como profissional interno do Sebrae/PR tendo atuado como Coordenador Estadual do Empretec, entre outros Programas da Instituição. É autor de diversos workshops e cursos na área de gestão, empreendedorismo e franchising. Idealizou e gerenciou durante oito anos a Hamburgueria Temática Square Burger que foi vendida em 2015. Atuou durante 10 anos em cursos de graduação, atualmente leciona em cursos de pós-graduação. É Mentor InovAtiva desde 2016.

Fonte da imagem: FreePik