Pivotar não significa desistir!

Significa entender o contexto de mercado e fazer as mudanças necessárias para seguir acelerando o negócio

Ser empreendedor é acertar e errar constantemente. São altos e baixos, mas, o que importa, é aprender com os erros e mudar, quando perceber que o plano não está indo como deveria. Ou seja, algumas vezes, é realmente necessário adaptar o modelo de negócio ao mercado. Afinal, as startups vivem em um contexto de incerteza e é preciso estar preparado e entender quando é hora de pivotar.

Originado do inglês, “to pivot”, em tradução literal, pivotar significa girar. Quer um exemplo prático? Podemos também pensar na função do pivô no basquete, que apesar de manter sua posição em quadra, está sempre observando as possibilidades de lance. Assim como o empreendedor de uma startup!

Pivotar não significa, nem de longe, desistir! Muito pelo contrário, é observar as possibilidades e mudanças do mercado, para acelerar e andar mais rápido.

O objetivo de uma startup é solucionar o problema de seus clientes

O papel do mentor, dentre muitos outros, é auxiliar o empreendedor a pivotar com base nas mudanças do mercado, como concorrentes e comportamento do consumidor. Pivotar serve ao mesmo tempo para adaptar-se ao mercado, quanto para adentrar em mercado incertos. As startups que passam por um programa de aceleração recebem uma quantidade imensa de conhecimentos em um curto espaço de tempo e muitas somente conseguem um encaixe produto/mercado após testar e pivotar seus modelos.

Mas, quando pivotar? O objetivo de uma startup é solucionar o problema dos seus clientes. Se o problema não existe mais, por exemplo, o empreendedor sabe que é hora de pivotar a startup.

Para entender a importância de pivotar um negócio podemos citar a Kodak, a criadora da primeira câmera digital da história, mas que não entendeu este momento e perdeu a oportunidade de pivotar e explorar o mercado de câmeras digitais. Já o Paypal, por sua vez, era uma empresa de troca de dinheiro virtual via plataforma Palm. Com o tempo, eles perceberam que o seu modelo de negócio deveria pivotar para os micropagamentos e a troca de dinheiro via web e obteve muito sucesso!

Para pivotar, você deve estar atento ao timing do mercado

Para pivotar, primeiramente, o empreendedor deve observar o que o está levando a essa mudança:

  • O problema não existe mais?
  • Alguma solução substituta poderá adentrar ao mercado em breve?
  • O público não enxergou valor na solução?
  • O cliente não consegue pagar?

Se o problema for o público, você pode ser pivotar sua audiência. Se o problema é uma demanda que não existe mais, é hora de pivotar a sua solução. E, por fim, se o cliente não consegue pagar, você pode pivotar a maneira de monetizar sua solução.

O Youtube, por exemplo, tinha o objetivo de ser um site de relacionamento com vídeos pessoais. Contudo, não havia uma demanda e, por isso, pivotaram e hoje são um site de compartilhamento de vídeos.

Mas cada negócio tem uma particularidade diferente, é essencial entender o seu contexto e criar mecanismos de validação antes de qualquer pivotagem.