10 tendências tecnológicas para startups

Conheça as tecnologias que serão utilizadas a partir desse ano

Tendo como base que startups são empresas que resolvem um problema real da sociedade por meio da tecnologia, os olhares se voltam aos empreendedores no momento de definir quais são as tendências tecnológicas do próximo ano.

Em 2018, as startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil apresentaram soluções que utilizavam, principalmente, métodos como Internet das Coisas (IoT), Data Analytics, Inteligência Artificial, Computação Cognitiva, Blockchain, Machine Learning, SaaS, Nanotecnologia, Biotecnologia, Omnichannel, Realidade Virtual e Indústria 4.0.

Mas o que devemos esperar para 2019? Essas técnicas deverão se manter como as principais ferramentas empregadas por startups?

Para responder essas perguntas, é preciso observar o rumo que o mercado empreendedor brasileiro irá tomar, analisar o que deu certo neste ano e quais serão as tecnologias mais promissoras no curto, médio e longo prazo. Afinal, uma tendência é construída quando determinada metodologia é seguida por uma grande quantidade de pessoas ou empresas que possuem objetivos semelhantes.

De acordo com o estudo “Top 10 Strategic Technology Trends for 2019”, desenvolvido pela empresa de pesquisa e consultoria Gartner Inc., as ferramentas que terão destaque no próximo ano são:

  • 1. Autonomous Things (AuT): chamada em português de Objetos Autônomos, a tecnologia designa robôs, drones e veículos autônomos, criados com Inteligência Artificial para automatizar funções humanas;

  • 2. Augmented Analytics (Analytics Aumentado): utilizada para desenvolvimento e gerenciamento de dados, a tecnologia pode ser incorporada pelos departamentos de RH, finanças, vendas, marketing, atendimento a consumidores e compras para otimizar as ações dos colaboradores;

  • 3. AI-Driven Development: traduzido para “Desenvolvimento orientado por Inteligência Artificial”, o método é utilizado para deixar a tecnologia de IA acessível para todos, e não apenas para especialistas. Assim, esse artifício poderá ser mais frequentemente empregado nas novas ferramentas;

  • 4. Digital Twins: o “Gêmeo Digital” é a versão virtual de um objeto físico ou de um processo organizacional. Esta tecnologia aprende e fornece dados continuamente, além de possibilitar o monitoramento, a previsão das consequências de determinadas ações e a adoção de medidas que ajudam a reduzir os custos;

  • 5. Empowered Edge: o termo diz respeito às soluções que facilitam o processamento de dados, pois baseia-se nos conceitos de rede em malha com o objetivo de reduzir o tráfego e a latência. Além disso, proporciona baixos custos de operação em hiperescala;

  • 6. Experiência Imersiva: a maneira como as pessoas interagem com o ambiente digital vem mudando com a junção de diversas plataformas em um só canal. A tendência é que recursos de realidade aumentada e virtual, assistentes virtuais e máquinas inteligentes, que conectam o real com o virtual, promovam novas experiências a partir de plataformas que conectam empresas com novos ecossistemas de negócios;

  • 7. Blockchain: o já conhecido Blockchain vai permanecer em alta em 2019. A tecnologia consiste em um modelo de confiança alternativo que elimina a necessidade de autoridades na arbitragem das transações. O modelo gera confiança, fornece transparência e reduz conflitos entre os ecossistemas de negócios;

  • 8. Espaços inteligentes: nestes ambientes, humanos e sistemas interagem em ecossistemas cada vez mais abertos, conectados, coordenados e inteligentes. Isso gera uma experiência mais imersiva, interativa e automatizada tanto para pessoas quanto para empresas em cenários digitais;

  • 9. Ética digital e privacidade na internet: preocupações cada vez mais presentes para organizações, indivíduos e governos, a ética digital e privacidade de dados são fundamentais componentes na construção de confiança de uma marca. Com o risco crescente de vazamento de dados, essa prática vem sendo explorada e divulgada pelas empresas para atrair mais clientes;

  • 10. Computação Quântica: essa tecnologia, que opera no estado quântico de partículas subatômicas (elétrons e íons), é utilizada principalmente pelas indústrias automotiva, financeira, de seguros, farmacêutica e militar, além de organizações de pesquisas. Ela se sobressai frente a computação tradicional por solucionar problemas complexos com uma abordagem tradicional.
Compartilhar