Esta sessão é destinada para publicação de artigos escritos pela comunidade InovAtiva

Innovation Summit Brasil 2019 traz ministro de C&T de Portugal e presidente de instituto de tecnologia de Israel

No dia 13 de agosto pela manhã será realizada a primeira plenária do Innovation Summit Brasil 2019, que acontece de 12 a 14 do mesmo mês em Florianópolis – SC. Com o mesmo nome do
tema geral do evento “Ecossistemas de Inovação: Criativos, Conectados e Competitivos”, o debate traz importantes atores de ecossistemas de inovação internacionais, como o ministro de
Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, e o presidente do Instituto de Tecnologia Technion, de Israel, Prof. Peretz Lavie.

Na ocasião, serão apresentados cases internacionais de sucesso na articulação dos diversos atores envolvidos em um ecossistema de inovação, com impactos significativos para a economia, o desenvolvimento social e a criação de uma cultura de empreendedorismo e inovação.

Com vasta experiência na área, o atual o ministro de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, é doutor pelo Imperial College, de Londres, e tem pós-doutorado pela
Universidade da Califórnia. É professor catedrático do Instituto Superior Técnico de Lisboa, onde dirige o Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento.

Foi Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior entre março de 2005 e junho de 2011, envolvendo-se ativamente no crescimento do financiamento público e privado para
atividades de ciência e tecnologia, e na reforma do ensino superior.

Também foi fundamental no desenho e na implementação de consórcios internacionais em pesquisa e formação avançada entre universidades portuguesas e norte americanas,
envolvendo redes temáticas de ciência e tecnologia.

Lançou e coordenou a série de Conferências internacionais sobre “Technology Policy and Innovation” e é co-editor da série de livros sobre “Science and Technology Policy”, editada pela
Purdue University Press. Foi co-fundador, em 2002, da rede internacional “Globelics – the global network for the economics of learning, innovation, and competence building systems”.

Recentemente está ativamente envolvido na promoção da rede europeia “step4EU, science, technology, education and policy for Europe”, assim como no estabelecimento do Observatório
Internacional de Políticas Globais para a Exploração do Atlântico”.

Na mesma linha, o Prof. Peretz Lavie é um dos responsáveis pelo destaque do Technion, de Israel, como uma das 100 melhores universidades de pesquisa de alto nível do mundo, sendo
reconhecido por sua excelência acadêmica, estratégia de pesquisa interdisciplinar, globalização inovadora e estabilidade financeira.

O Prof. Lavie ingressou na Faculdade de Medicina Technion Rappaport em 1975, onde foi reitor entre 1993 e 1999. Em 2001 foi nomeado vice-presidente de Relações Externas e Desenvolvimento de Recursos. Desde 1o de outubro de 2009 é presidente do Technion.

O instituto de tecnologia tem registrado, em seu mandato, uma série de realizações lideradas pelo recrutamento de mais de 200 novos membros do corpo docente, o que envolveu a captação de recursos extensivos. Ao estabelecer o “Prêmio Yanai”, na educação acadêmica, o Prof. liderou uma mudança significativa na qualidade do ensino no campus e na satisfação dos alunos.

Também concebeu e desempenhou um papel importante na expansão do Technion para Nova Iorque, onde, juntamente com a Universidade de Cornell, foi inaugurado o Jacobs Technion
Cornell Institute, em Roosevelt Island. Da mesma forma, na China, o Technion estabeleceu o Guangdong Technion-Israel Institute of Technology, em Shantou.

As inscrições para participar do Innovation Summit Brasil 2019, e suas atividades paralelas, já estão abertas. O segundo lote promocional segue até 31 de maio. Os associados de todas as instituições da Rede Nacional de Associações de Inovação e Investimentos (RNAII) têm descontos especiais na inscrição.

 

Sobre a RNAII

Realizadora do evento, a RNAII é uma iniciativa inédita de colaboração das grandes entidades fomentadoras do empreendedorismo inovador, em prol de todo o ecossistema brasileiro de ciência, tecnologia e inovação. É composta pela Abipti (Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação); ABstartup (Associação Brasileira de Startups); Abvcap (Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital); Anjos do Brasil; Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras); Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e pelo Fortec (Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia).

Juntas, essas associações representam mais de mais de 150 instituições de pesquisa, 300 gestores de núcleos de inovação, 370 ambientes de inovação (incubadoras, aceleradoras, parques tecnológicos), 120 investidores de venture capital, 5000 startups, 7000 investidores anjos, e 200 empresas inovadoras de grande e médio porte, na colaboração e fortalecimento de ações, públicas e privadas, focadas na transformação do conhecimento em riqueza.

A Sede

Florianópolis não foi selecionada para sediar o evento por acaso. A região abriga, atualmente, mais de 16 mil empreendedores e o número de empresas de tecnologia subiu 3,42% entre 2015
e 2017. Considerando os últimos 30 anos, o crescimento foi de 10.000%.

De acordo com relatório do Bradesco BBI, divulgado em 15 de fevereiro de 2019, Florianópolis tem 3% da população brasileira, mas possui 20% das startups do país. Segundo Acate, o setor tecnológico já representa 5,6% do PIB do estado, com um faturamento de R$ 15,5 bilhões.

 

SERVIÇO

Evento: Innovation Summit Brasil

Data: 12 a 14 de agosto

Local: Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira. Rodovia SC-401, km 01, S/N. Trevo de Canasvieira. Florianópolis – SC.

Site oficial: innovationsummitbrasil.com.br

Programação: innovationsummitbrasil.com.br/programacao

Inscrições: Clique aqui

Abertas as inscrições para o Innovation Summit

Com o objetivo de formular proposições para apoiar e estimular o investimento em empreendedorismo inovador no país e reunir diferentes agentes para definição de ações voltadas ao fortalecimento da capacidade de inovação e da competitividade da economia, o Innovation Summit Brasil abre o seu período de inscrições com diversos lotes promocionais.

A programação do evento conta com sessões plenárias de diferentes temas do ecossistema de inovação brasileiro – como “investimento inteligente”, “indicadores e retorno de investimentos em C,T&I”, e “competitividade e inovação no Brasil pós reformas” – e com o Fórum Sebrae de Inovação.

Além da programação do Summit, o evento conta, também, com atividades paralelas das instituições que compõem a Rede Nacional das Associações de Inovação e Investimentos (RNAII)
– realizadora do evento. Essas atividades também necessitam de inscrição prévia.

Com uma programação tão diversificada, é possível se inscrever tanto no Innovation Summit Brasil (sessões plenárias + Fórum Sebrae) quanto nas atividades paralelas; ou também apenas no Summit, ou apenas nas atividades paralelas. Basta fazer a escolha no momento da inscrição.

A programação do Innovation Summit Brasil acontece em horários exclusivos, ou seja, sem atividades paralelas concomitantemente. Assim, o participante pode se programar para assistir tanto as apresentações gerais, quanto as paralelas. Os associados de todas as instituições que compõem a RNAIItêm desconto especial na inscrição do Innovation Summit Brasil.

Sobre a RNAII

A RNAII é uma iniciativa inédita de colaboração das grandes entidades fomentadoras do empreendedorismo inovador, em prol de todo o ecossistema brasileiro de ciência, tecnologia e
inovação. Composta pela Abipti (Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação); ABstartup (Associação Brasileira de Startups); Abvcap (Associação Brasileira de
Private Equity & Venture Capital); Anjos do Brasil; Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras); Anprotec (Associação Nacional de Entidades
Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e pelo Fortec (Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia).

Juntas, essas associações representam mais de mais de 150 instituições de pesquisa, 300 gestores de núcleos de inovação, 370 ambientes de inovação (incubadoras, aceleradoras, parques tecnológicos), 120 investidores de venture capital, 5000 startups, 7000 investidores anjos, e 200 empresas inovadoras de grande e médio porte, na colaboração e fortalecimento de ações, públicas e privadas, focadas na transformação do conhecimento em riqueza.

A Sede

Florianópolis-SC não foi selecionada para sediar o evento por acaso. A região abriga, atualmente, mais de 16 mil empreendedores e o número de empresas de tecnologia subiu 3,42% entre 2015
e 2017. Considerando os últimos 30 anos, o crescimento foi de 10.000%. De acordo com relatório do Bradesco BBI, divulgado em 15 de fevereiro de 2019, Florianópolis tem 3% da população brasileira, mas possui 20% das startups do país. Segundo Acate, o setor tecnológico já representa 5,6% do PIB do estado, com um faturamento de R$ 15,5 bilhões.

 

SERVIÇO
Evento: Innovation Summit Brasil
Data: 12 a 14 de agosto
Local: Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira. Rodovia SC-401, km 01, S/N.
Trevo de Canasvieira. Florianópolis – SC.
Site oficial: innovationsummitbrasil.com.br
Inscrições: Clique aqui

86 empresas conquistam visibilidade e conexões no maior programa de aceleração de startups da América Latina

São Paulo, julho de 2018 – Entre os dias 20 e 22 de julho, cerca 160 investidores, representantes de aceleradoras e executivos de grandes empresas, estiveram presentes no Bootcamp Nacional e Demoday InovAtiva Brasil 2019.1, realizado na Escola de Negócios do Sebrae, em São Paulo, para conhecer e se conectar com os negócios mais inovadores do país.

Nos dois primeiros dias, as 86 startups participantes receberam mentorias, participaram de palestras, fizeram networking e apresentaram seus pitchs para mentores especializados, recebendo feedbacks e sugestões de melhores. Tudo isso serviu de preparação para o Demoday, realizado no último dia, em que essas empresas tiveram a oportunidade de mostrar suas soluções a maior banca de investidores do país.

“Mudamos o formato do programa para que as startups que chegassem aqui já estivessem maduras e vendendo. Nesse primeiro ciclo de 2019, foram 732 projetos inscritos, 122 selecionados e fechamos esta edição com 86 empresas se apresentando para uma banca com mais investidores do que startups”, afirma Igor Nazareth, Subsecretário de Inovação do Ministério da Economia.

As empresas foram divididas em seis bancas de acordo com o seu ramo de atuação. Elas tiveram cinco minutos para apresentar seus pitchs e mais três minutos para responder as perguntas dos avaliadores. Ao final, foram escolhidas duas startups de cada banca como destaques do programa:

  • Banca 1: Educação, Indústria e Setor Financeiro – OrçaFascio, software de orçamento de obras do Amapá e Smart-Tech Controle e Automação, empresa do Paraná focada no desenvolvimento de produtos para a indústria;
  • Banca 2: Sistemas de Gestão – Meu Crediário, plataforma SaaS de gestão, análise de crédito e cobrança para varejistas alocada em Santa Catarina e MOB, solução de São Paulo para coleta e análise de dados online;
  • Banca 3: Entretenimento, Comunicações, Marketing e Mídia – LeadFinder, plataforma do Paraná que conecta empresas e seus prospects e Widgrid, plataforma para construção ágil e diagramação de múltiplos sites de qualquer porte no mesmo ambiente situada em São Paulo;
  • Banca 4: Saúde, Agronegócio e Energia – Cycor Cibernética, startup de saúde localizada no Paraná que desenvolve tecnologias para reabilitação com foco industrial e Prevention Adam Robo, empresa do Paraná que criou um aparelho e hardware que descobre problemas visuais refrativos em apenas cinco minutos;
  • Banca 5: Serviços de Logística, Comércio Eletrônico e Marketplace – Cheap2ship, plataforma de Santa Catarina que centraliza todas as cotações de frete em um único lugar e Prepi, startup de Pernambuco que oferece um serviço de e-commerce atrelado ao Instagram;
  • Banca 6: Cyber Security, IoT, Inteligência Artificial, Big Data e Chatbot – NoLeak Segurança da Informação, plataforma de autenticação contínua para evitar fraudes online com sede em São Paulo e Previsiown, plataforma digital do Rio de Janeiro desenvolvida para a coleta e análise de dados de veículos automotores.

De acordo com Michele de Souza, CEO da Cycor Cibernética, startup destaque na Banca 4, todo o processo do InovAtiva Brasil foi extremamente enriquecedor. “Nos dois primeiros dias de evento, conseguimos atingir o objetivo que queríamos, que era encontrar um parceiro para nos ajudar a resolver um problema de regulamentação com a Anvisa a respeito da licença do nosso equipamento. Então, ganhar o reconhecimento de destaque no programa foi muito além das minhas expectativas. Só tenho a agradecer ao InovAtiva”, comenta Michele.

Próxima edição

As empresas interessadas na próxima edição podem se inscrever no site do programa até o dia 29 de julho. Para participar é necessário que a startup esteja no estágio de operação ou tração e desenvolva soluções inovadoras e tecnológicas. Serão selecionados até 130 negócios, que receberão mentorias gratuitas e se conectarão aos maiores players de empreendedorismo do Brasil.

Sobre o InovAtiva Brasil

O InovAtiva Brasil é um programa gratuito de conexão e aceleração de negócios inovadores de qualquer setor e região do Brasil, realizado pelo Ministério da Economia e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI). O programa oferece mentorias, visibilidade às startups e conexão com investidores, grandes empresas e parceiros. Entre 2013 e 2018, mais de 2000 startups participaram do programa e cerca de 930 delas chegaram à fase de apresentar suas startups em bancas presenciais com investidores.

Accelerate2030 Brasil 2019 seleciona 10 startups dos programas InovAtiva Brasil e StartOut Brasil

Com o intuito de escalar globalmente negócios que estejam em fase de crescimento e alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o programa global Accelerate2030, co-iniciado pelo Impact Hub e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), selecionou 33 empresas de 12 estados para participar da sua etapa nacional.

Entre as selecionadas, estão cinco empresas aceleradas pelo InovAtiva Brasil (Pickcells, TecZelt, Herself, ePHealth Primary Care Solution e Redação Online), uma que passou pelo InovAtiva de Impacto (CogniSigns) e quatro que participaram de missões do StartOut Brasil (Portal Telemedicina, PlataformaVerde, TiX Tecnologia Assistiva e VG Resíduos).

Ao todo, elas contemplam prioritariamente 13 dos ODS, conjunto de metas, ambiciosas e transformadoras cobrindo uma ampla gama de questões interligadas, do crescimento econômico sustentável, para as questões sociais, de bens públicos mundiais.

Accelerate2030

Buscando dar uma visão mais abrangente, acessível e democrática aos desafios da humanidade, o Accelerate2030 permite impulsionar negócios sociais e catalisar mercados ávidos por inovações que possuam, não somente a necessidade de sobrevivência mercadológica, mas que primordialmente tenham em sua essência o senso de solidariedade e compromisso com a constituição de um mundo mais equilibrado, saudável e justo.

O programa, com duração de seis meses, será realizado em 16 países em desenvolvimento. A etapa nacional do Programa no Brasil será realizada pelas unidades do Impact Hub em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Manaus e São Paulo.

As empresas selecionadas vão receber auxílio de consultores experientes, especialistas do setor e parceiros-chave para moldar e implementar uma estratégia de escala global, receber investimentos, mensurar o seu impacto e alcançar novos mercados.

O anúncio das selecionadas para a etapa internacional será realizado em outubro. Para saber mais, acesse o site.

Cultura das startups: entenda o que há por trás

Cada empresa tem a sua própria cultura organizacional. Ela gera um senso de identidade entre os empregados, garante que todos sigam a mesma direção, moldam os valores, missão e visão da organização e permite que a companhia se adapte rapidamente as mudanças que ocorrem no ecossistema em que está inserida.

Nas startups isso não é diferente. Porém, ao contrário das grandes corporações, em que os processos são altamente burocráticos, elas já nasceram inseridas no mundo digital. Por isso, essas empresas tecnológicas têm uma cultura organizacional mais branda, com regras maleáveis e metodologias baseadas nos conceitos de inovação, produtividade, agilidade e economia.

Mesmo diante de um cenário de incertezas, elas conseguem manter seus funcionários motivados e engajados, pois lhes dão autonomia para executar projetos e demonstram que confiam em seu trabalho. Essa segurança, somada a possibilidade de experimentar sem medo de errar, faz com que as ideias fluam e que as soluções sejam criadas mais rapidamente.

Nas startups, as equipes são enxutas e formadas por pessoas de diferentes realidades. Porém, apesar de terem variadas vivências, formações e gêneros, todas elas têm uma característica em comum: o conhecimento em diversos assuntos, podendo exercer várias funções, mas com especialização em uma área, sendo reconhecido como “expert” em determinado tema.

Além disso, o clima organizacional fora do convencional também é um fator que chama a atenção nessas empresas emergentes. Na Solides, acelerada InovAtiva, por exemplo, existe um espaço para fazer churrasco, os funcionários não têm barreiras que os separam um dos outros, uma banda toca na hora do almoço e, na época do carnaval, um bloco formado pelos colaboradores desfila por Belo Horizonte (MG), onde a startup está localizada.

Outras iniciativas que podem ser encontradas nessas empresas tecnológicas são salas de descontração, com pufes, vídeo game, cadeira de massagem, mesas de ping pong e de pebolim e até mesmo espaço de beleza. Lá, os funcionários podem relaxar na hora do almoço para voltar renovado ao trabalho.

Para incentivar o networking, muitas delas estão alocadas em coworkings, ambientes inspiradores que contam conta a infraestrutura necessária para que empresas se juntem e desenvolvam seus negócios, fazendo com que este cresça de forma rápida e colaborativa. Nesses recintos, os integrantes de uma equipe trocam experiências com empreendedores desenvolvedores de soluções semelhantes à sua, criando assim uma forte rede de contatos.

Hoje, grandes corporações estão adotando o estilo startup de ser para atrair e motivar seus funcionários, além de garantir que seu negócio não se torne obsoleto com o passar do tempo. Essa é uma tendência de mercado influência que promete se solidificar daqui para frente.

Para saber mais sobre startups e seu ecossistema inovador, acompanhe as matérias que publicamos semanalmente no blog de InovAtiva!

O que considerar na hora de escolher uma aceleradora de startups?

Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), atualmente o país abriga cerca de 12.850 startups em seu território. Por esse motivo, as aceleradoras de startups têm se tornado essenciais para os empreendedores que almejam intensificar o ritmo de crescimento do seu negócio, visto que neles estão inclusos cursos de aprimoramento, mentorias, networking e contato com investidores.

Contudo, entrar em um programa de aceleração não é fácil! De acordo com a Anprotec, Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores, hoje existem 62 aceleradoras de startups em toda a extensão brasileira. Sabendo que elas aceleram cerca de 80 startups em cada um dos dois ciclos que realizam por ano e que um empreendedor participa, em média, de três programas por ano, temos quatro empresas competindo por uma vaga.

Por esse motivo, é preciso conhecer os programas de aceleração existentes, ver os que melhor podem atender a sua startup, ter claro o que deseja conquistar com este processo, e então se inscrever para os que podem proporcionar mais benefícios para o seu negócio.

Abaixo listamos alguns fatores que você deve levar em conta na hora de escolher uma aceleradora de startups:

  • Público alvo

Algumas aceleradoras são direcionadas a um segmento específico, como educação, saúde ou sustentabilidade. Fique atento para ver se o programa desejado abrange o seu ramo de atuação;

  • Localidade

Como o Brasil é um dos maiores países do mundo e suas aceleradoras estão espalhadas por toda a sua extensão, muitas delas são voltadas a empresas situadas na região em que esta está alocada. Consulte o site e redes sociais do programa para saber se esse é o caso do projeto que você deseja fazer parte;

  • Requisitos para inscrição

Faturamento, fase em que se encontra, número de funcionários, captação de recursos e validação dos produtos ou serviços são alguns dos pontos que podem ser levados em conta na hora de selecionar uma startup para a aceleração. Esses requisitos estarão explícitos no regulamento do programa. Por isso, leia atentamente e com calma essas instruções;

  • Investimento
    Existem programas de aceleração que conectam o empreendedor com potenciais investidores, parceiros e clientes, como é o caso do InovAtiva Brasil. Outros, investem determinada quantia em troca de uma porcentagem da empresa. Analise se a sua startup já está pronta para receber um investimento e se o seu foco, no momento, é receber um aporte ou fazer networking com uma rede de importantes agentes do ecossistema antes de realizar a sua inscrição;
  • Mentores

Quem são as pessoas convidadas a ajudar a alavancar o seu negócio? Executivos de grandes empresas? Empreendedores que aprenderam com os erros? Investidores? Cada programa tem uma rede própria de mentores. Saiba por quem ela é formada e se esses profissionais serão de grande valia para o seu negócio;

  • Benefícios para a startup

Outro quesito fundamental na escolha da aceleradora é o benefício que ela proporciona a sua empresa. Ela vai te fornecer um espaço físico para trabalhar? Gerar conexões? Abrir portas? Ajudar a aumentar a credibilidade e visibilidade do negócio? O que ela promete é o que você precisa no momento? Se sim, vá com tudo! Preencha o seu cadastro da melhor forma possível e boa sorte!

 

InovAtiva Brasil

Caso ainda esteja em dúvida sobre qual programa escolher, conheça um pouco do maior programa de aceleração de startups da América Latina. Destinado a startups em fase de operação e/ou tração que desenvolvam soluções inovadoras e tecnológicas, o InovAtiva Brasil é gratuito e aberto a negócios inovadores de qualquer setor e região do país.

O objetivo do programa é preparar as startups para se conectarem com investidores, grandes empresas e outros atores do ecossistema de empreendedorismo. As empresas interessadas podem se inscrever no site do InovAtiva até o dia 22 de julho.

Serão selecionadas até 130 startups para participar do ciclo de aceleração, no qual recebem mentorias individuais e coletivas com executivos de grandes empresas e investidores, além de conteúdos preparados para ajudar no desenvolvimento do negócio. Elas também terão a oportunidade de se conectar com outros empreendedores e grandes players do ecossistema.

Perfil das aprovadas para InovAtiva de Impacto 2019

Entre abril e maio, estiveram abertas as inscrições para o programa InovAtiva de Impacto. Ao todo, tivemos 261 inscrições completas. Destas, foram selecionadas 36 startups para participar do ciclo de 2019. Elas estão concentradas, majoritariamente, nos estados de São Paulo (25%) e Santa Catarina (14%). As demais são do Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.

Essas empresas estão são focadas no setor B2B (42,9%) e atuam, principalmente, com saúde e bem-estar (19,44%); crescimento econômico (16,67%); cidadania (13,89%) e consumo, cultura, lazer e produção responsável (11,11%).

Com faturamento de até R$ 50 mil (51,43%) e passagem por aceleradoras (58,3%), essas empresas estão desenvolvendo projetos de impacto há, pelo menos, um ano (82,9%). Além disso, as startups utilizam métricas de impacto social ou ambiental (55,83%) sobretudo para o controle dos beneficiários diretos e indiretos.

InovAtiva de Impacto

Criado em 2016 para fomentar o ecossistema dos negócios de impacto social e ambiental no país, o InovAtiva de Impacto é destinado a negócios inovadores que possuam o potencial de gerar lucro e, ao mesmo tempo, resolvam um problema social ou ambiental. Para participar, as startups precisam ser formalizadas como empresas, ter base tecnológica ou um modelo inovador, ter como missão gerar impacto social ou ambiental positivo e possuir alto potencial de escalabilidade.

Com o objetivo de preparar as startups para se conectarem com investidores, grandes empresas e outros especialistas do ecossistema de empreendedorismo, o programa oferece oito mentorias individuais e 14 coletivas. Os empreendedores também têm a oportunidade de participar de eventos, fazer networking e realizar cursos gratuitos de empreendedorismo de alto nível, com um módulo focado em negócios de impacto socioambiental.

Ao final do ciclo, 20 startups serão selecionadas para participar do Bootcamp Nacional InovAtiva Brasil 2019.2 e do Demoday. Neste evento presencial, realizado de 30 de novembro a 02 de dezembro, elas participarão de capacitações e mentorias presenciais para desenvolver seu negócio. No último dia, se apresentarão para uma banca de investidores, representantes de aceleradoras e de outras instituições ligadas ao tema.

Para saber mais, acesse a página.

Startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil apresentam seus pitchs no Congresso de Inovação CNI

O 8º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, que ocorreu na São Paulo Expo dias 10 e 11 de junho, contou com startups aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil apresentando seus pitchs para mais de mil pessoas, entre representantes do setor produtivo, do governo, da academia e de parceiros estratégicos do ecossistema de inovação brasileiro e internacional.

O evento, promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), e correalizado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), visa gerar networking e servir de inspiração para melhores práticas e tendências. 

Além disso, o Congresso teve como objetivo promover a cultura da inovação empresarial, discutir as oportunidades para o Brasil diante das tecnologias da indústria do futuro, disseminar experiências inovadoras, debater propostas de aprimoramento das políticas públicas de inovação e fortalecer o ecossistema de inovação no Brasil.

Confira abaixo a lista das startups aceleradas que participaram do evento:

  • PackID – startup que desenvolve soluções para monitoramento inteligente da temperatura de alimentos
  • Biosolvit – empresa de soluções em biotecnologia especializada em remediação ambiental
  • CUBi Energia – empresa que coleta e processa dados sobre consumo de energia elétrica
  • Acrux Aerospace Technologies – startup idealizada para resolver problemas no setor aeroespacial
  • Mogai – companhia que desenvolve tecnologia inovadora nas áreas de visão computacional e software para logística na indústria e agronegócio
  • Aya Tech – empresa que cria produtos com nanotecnologia voltado para a saúde dos usuários 

 

Para saber mais, acesse: http://www.congressodeinovacao.com.br/

Quem são os mentores do InovAtiva Brasil?

O mentor é um dos agentes mais importantes para o desenvolvimento de uma startup. Ele é capaz de avaliar o estágio atual de um negócio, fornecer dicas e conselhos para o mentorado dar um passo adiante. Esse profissional conta com uma ampla bagagem de conhecimento e experiência, e está disposto a compartilhá-los com pessoas que estão iniciando sua jornada como empreendedor.

No InovAtiva Brasil, essa função é exercida voluntariamente por executivos que desempenham cargos de liderança em grandes organizações, heads de aceleradoras e incubadoras, investidores e até mesmo empreendedores experientes de negócios ligados a tecnologia.

Para integrar o programa, eles passam por um rigoroso processo de seleção, que envolve a análise do seu histórico profissional e uma entrevista com a equipe InovAtiva para alinhamento das expectativas e esclarecimento de possíveis questionamentos que possam surgir.

Após aprovação, cabe ao mentor disponibilizar de quatro a seis horas mensais para realizar mentorias quinzenais por um período de quatro meses. Durante essa fase, ele desafiará o empreendedor destinado a ele por meio de um algoritmo que combina as habilidades do mentor com as dificuldades da startup.

Assim, ele fará com que o mentorado reflita e descubra alternativas para aprimorar seu negócio. É importante ressaltar que o mentor irá tirar os empreendedores de sua zona de conforto, propondo desafios reais ou hipotéticos, fazendo comparações com outros negócios e provocando-os a criar caminhos e ideias alternativas.

Essa relação também envolve o compartilhamento de experiências que podem servir de exemplo para que o empreendedor não cometa os mesmos erros que o especialista que o está lhe orientando precisou enfrentar durante sua jornada profissional.

Contudo, cabe ao mentorado extrair o máximo do que o seu mentor pode passar. É comum que, durante o processo de mentoria, surjam oportunidades de investimento, parcerias comerciais ou a conquista de um cliente ou fornecedor. Por isso, recomendamos que o empreendedor esteja aberto a críticas e sugestões.

Ao final do ciclo, o mentor será avaliado com base em seu engajamento, participação nas atividades, feedbacks passados, entre outros quesitos importantes para definir sua continuidade ou não no programa.

 

Com plataforma online, Inovativa Brasil oferece capacitação gratuita e conexão com ecossistema empreendedor

Entre 2013 e 2018, mais de 2000 empresas tecnológicas inovadoras, de todas as regiões do país, participaram do InovAtiva Brasil, o maior programa de aceleração de startups da América Latina. Dentre elas, 840 chegaram à fase de apresentar suas soluções para bancas presenciais com investidores.

Isso se deve ao fato de a maior parte do programa ser realizada de forma online gratuitamente, visto que as facilidades virtuais garantem o máximo aproveitamento aos empreendedores. Além disso, por meio da internet, o InovAtiva consegue se conectar com startups de todo o Brasil, mesmo aquelas que estão fora dos grandes centros urbanos.

Já no processo seletivo, as startups pré-aprovadas passam por uma entrevista individual e online com um dos gestores de relacionamento do programa. Quando selecionadas, são oferecidos a elas cursos de capacitação, oficinas, webinars de conteúdo e mentorias individuais e coletivas realizadas por meio de uma plataforma alocada no site do programa.

Essa ferramenta exclusiva permite que o mentor e o mentorado mantenham o histórico de suas sessões e atividades em um único lugar. Com ela, o empreendedor e seu instrutor podem compartilhar reflexões, metas, dúvidas e sugestões de forma rápida e segura.

Sabendo que o desenvolvimento da startup depende do contato com outros agentes do ecossistema, o InovAtiva Brasil possui uma metodologia que permite a construção conjunta das tarefas entre os participantes. O programa também disponibiliza um fórum de discussões para que a comunidade empreendedora compartilhe informações e dicas relevantes, e ajude a solucionar dúvidas de outros usuários.

Desta maneira, o InovAtiva estimula a troca de conhecimentos, facilita o aprendizado e faz com que o usuário absorva o conhecimento de forma orgânica. Essa diversificação é um dos maiores trunfos do programa, pois abre portas para futuras histórias de sucesso do empreendedorismo inovador.

inovativa@inovativabrasil.com.br