Informações quentes que você não pode perder

Nohs Somos: conheça a história da startup voltada para o público LGBTI+

Em memória à rebelião de Stonewall em 1969, Junho é celebrado mundialmente como o mês de #Orgulho LGBTI+. A série de manifestações espontâneas, em reação a uma batida policial na manhã de 28 de junho de 1969 no bar Stonewall Inn, em Nova York, passaram a ser  um marco na história da luta pelos direitos LGBTI: um esforço constante da comunidade. 

“Quando se pretende fazer uma mudança estrutural na sociedade, um dos grandes eixos a se explorar é a economia”, diz Hottmar Loch, ativista LGBTI e CEO da Nohs Somos, startup de impacto acelerada pelo InovAtiva Brasil e pelo InovAtiva de Impacto em 2020. O especialista em Diversidade e Inclusão (D&I) conta que, a partir de reuniões compostas por mais de 150 pessoas durante a concepção do projeto, foi possível identificar uma demanda enorme pela aproximação de lugares amigáveis ao público LGBTI+.

O Design Thinking foi a abordagem utilizada pelos empreendedores para compreender qual era a dor da LGBTIfobia. “A partir dessas reuniões começamos a entender a interseccionalidade e os diferentes marcadores sociais, porque cada grupo dentro da comunidade LGBTI+ tem suas dores específicas. Percebemos que poderíamos usar a tecnologia como ferramenta de combate a este problema e construímos um mapa para organizar os dados que recebemos”, diz. Desde então, mais pessoas começaram a se engajar no projeto, que virou um coletivo. 

“Existem muitas pessoas que são expulsas de estabelecimentos, mulheres trans que não podem usar banheiros, consumidores mal encarados, que não são bem recebidos. É comum acontecer do garçom atender as mesas ao lado, mas não a sua”, Hottmar compartilha, sobre a importância de mapear lugares seguros para o público. “A realidade do mau atendimento, preconceito e discriminação à comunidade LGBTI+ não é exclusiva do Brasil, é uma questão mundial. Nos Estados Unidos, essa demanda já existe há cerca de dez anos e é um nicho de mercado que fatura US$ 1 trilhão ao ano”, diz.

A solução da Nohs Somos é totalmente colaborativa. “Nós respiramos a cocriação desde o lançamento. Qualquer pessoa pode acessar a plataforma de qualquer lugar do mundo. Usamos a Interface de Programação de Aplicativos (API) do Google, então o usuário pode pesquisar diretamente pelo nome do estabelecimento e ele já aparece direto na plataforma. Depois, os dados são cruzados de acordo com nosso cadastro anterior. Assim, conseguimos estabelecer a Nohs Somos como o primeiro Big Data LGBTI do país. Nossa plataforma também é gamificada: ao acessar, avaliar, comentar e indicar negócios amigáveis, as pessoas ganham pontos, que podem ser trocados por parceiros”, explica Hottmar. 

Como um negócio de impacto, o objetivo central da empresa não é o lucro. “Por isso, não temos acionistas. Assim, não ficamos reféns do mercado”, diz o CEO, comemorando que já atuam em mais de 600 cidades e possuem cerca de 3500 cadastros, e pretendem, até o fim do ano, impactar 15 mil pessoas viralizando a plataforma. Para atingir esta meta, a startup vem preparando novidades para o público: um aplicativo para dispositivos móveis e um market place estão em desenvolvimento. 

“O que estamos construindo é a prevenção. Trabalhamos para identificar aqueles lugares que fazem sentido de acordo com nossos valores: estabelecimentos transamigues, anti-racistas, amigáveis para o público LGBTI+ e para mulheres cis e trans. Estes são lugares seguros, que prestem bom atendimento e recebam público respeitoso para que todos possam acessar, comprar e se sentir acolhidos”, conclui.  

Gestão de equipes: confira 7 dicas fundamentais para a sua startup

A complexidade de fazer uma empresa sair do papel e alcançar sucesso no mercado vai muito além da qualidade do seu produto. Dentre uma lista de atividades que envolvem pessoas – atendimento ao cliente, processos internos e externos, relação com companhias parceiras – todas têm uma coisa em comum: a equipe.

Por isso, a gestão de equipes envolve uma série de cuidados. “Equipes não são formadas por máquinas e algoritmos. Se fosse assim, seria fácil. Uma vez programado, o computador obedece uma determinada ordem. O ser humano é diferente. É um ser complexo, que muda constantemente seu comportamento e suas aspirações”, diz Fabiano Nagamatsu, mentor no programa InovAtiva Brasil. Mestre em administração com foco em inovação e especialista em recursos humanos, em 2020 foi escolhido como Líder de Comunidade destaque no ciclo 2020.2 do InovAtiva

Para sabermos mais sobre as especificidades e os desafios da gestão de uma equipe, conversamos com Nagamatsu, que compartilhou suas dicas sobre o tema.

Dicas para uma boa gestão de equipes

  1. Estar na retaguarda

Para Fabiano Nagamatsu, uma das dicas mais importantes para ser um bom líder é não ser um “chefe”. Pode parecer contraditório, mas, segundo o especialista, os dois termos têm conotações bem diferentes.

“É comum vermos nas mentorias empreendedores que querem ser chefes e estar à frente do projeto. Mas, na verdade, o líder está na retaguarda. Ele tem a função de dar condições para que seus colaboradores possam desempenhar o melhor papel dentro da startup. Ou seja, o bom líder deve ser um bom condutor e motivador”, complementa.

  1. Compartilhar missão, visão e valores com a equipe

Neste sentido, é essencial que o líder compartilhe com seu time e empregue, de fato, a missão, a visão e os valores da instituição. Quando falamos de missão, nos referimos à essência do negócio: por que ele existe e qual seu propósito. A visão é aquilo que é determinado como meta. Já os valores, norteiam a cultura da organização. “Tudo isso é importante para que seja desenvolvido um direcionamento específico que possa ser acompanhado, além de criar uma identidade para a startup”, explica Nagamatsu.

  1. Identificar e corrigir problemas

Identificar quando algo não está certo no seu grupo de trabalho e saber a melhor forma de corrigir este problema é uma função constante para um líder. “Analisar o comportamento de pessoas diferentes é uma tarefa complexa. Por isso, é importante verificar constantemente se os colaboradores estão exercendo as funções corretas na organização, de acordo com suas habilidades específicas”, comenta. Muitas vezes, o funcionário está desempenhando uma função errada na empresa porque não foi bem selecionado para a vaga.

  1. Observar hard/soft skills

Fabiano aponta que é imprescindível observar a questão de hard/soft skills (termo utilizado para separar o tipo de aptidão apresentado por cada profissional, desde conhecimento em outros idiomas, até capacidade de trabalhar sob pressão, por exemplo). Segundo Nagamatsu, isso deve ser feito tanto no momento da seleção, quanto no acompanhamento da equipe. “Analisar as habilidades, o comportamento e, principalmente, as atitudes frente aos problemas, é tão importante quanto o aprendizado teórico que o candidato desenvolveu ao longo de três ou quatro anos de formação”.

  1. Fornecer feedbacks

Outro ponto central é o fornecimento de feedbacks. Segundo o mentor, críticas só são construtivas quando não existem por si só: precisam ter base e estarem acompanhadas de fatores que possam ajudar o colaborador a se aprimorar.

Fabiano ainda pontua que uma boa opção é escolher um ambiente descontraído para ter esse tipo de conversa. “O feedback tem que acontecer de um jeito bem informal, para que não se crie uma barreira. Levar o funcionário para tomar um café na padaria e dar exemplos de situações correlatas que aconteceram com outras pessoas pode ser a chave para que ele aceite bem sua crítica e tenha vontade de melhorar”, diz. Já quando o feedback é positivo, deve ser para todo mundo. “Reúna o time, faça aquela festa, mostre o que aquele indivíduo fez de bom. Apresente e elogie, isso é o melhor incentivo hoje em dia dentro de uma organização.”

  1. Manter a união e colaboração entre integrantes da equipe

Quanto à gestão de equipes durante o período de distanciamento físico, em que muitas empresas adotaram o home office, o especialista frisa o quão importante é manter a união e colaboração entre os integrantes da equipe. Para isso, um bom líder precisa usar soluções criativas. Uma saída interessante pode ser o uso de gamificação para uma competição entre todos os membros, ou mesmo métodos de motivação voltados ao relacionamento interpessoal, fazendo com que as pessoas contribuam entre si para se sentirem mais importantes no time.

  1. Criação de um bom endomarketing para a empresa

Por último, Fabiano recomenda a criação de um bom endomarketing para a empresa. “Uma boa comunidade de fãs para a sua marca vai partir dos seus colaboradores. É isso que vai segurar seus bons talentos no time e fazer com que as pessoas não só queiram comprar os seus produtos da sua empresa, mas também tenham o sonho de trabalhar dentro dela”, finaliza.

Mais conteúdos sobre gestão de equipes    

Gostou das orientações do mentor Fabiano Nagamatsu? Confira outros materiais sobre Gestão de Equipes disponíveis no canal do InovAtiva no YouTube:

Em ação inédita, InovAtiva promove mais de 10 horas de mentorias coletivas em formato totalmente online

Mais de 10 horas de mentorias coletivas, 5 horas de palestras ao vivo e mais de 1.300 visualizações nas gravações disponibilizadas no YouTube: esse é o saldo da primeira rodada da ação Eventos Regionais, promovida pelo InovAtiva em março e abril deste ano. Realizados de forma totalmente virtual e gratuita, os encontros tinham como objetivo capacitar empreendedores de Norte a Sul do país.

Os eventos contaram com a participação da Comunidade InovAtiva e de especialistas na área de empreendedorismo inovador, que tiveram a oportunidade de expor seus conhecimentos sobre temas como relacionamento com incubadoras, investimentos e ações de suporte ao empreendedor.

A região Norte inaugurou a série de eventos, seguida das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Apesar da segmentação, empreendedores de todas as regiões podiam acompanhar todas as atividades. Para participar das mentorias, era necessário fazer inscrição previamente. Já as palestras foram disponibilizadas para o público geral, com transmissão ao vivo no canal do InovAtiva no YouTube.

Confira a seguir as mentorias e palestras realizadas em cada região.

Região Norte: Em busca do primeiro investimento

  • Mentoria #1: Como conquistas clientes, com Luciana Nogueira (Diretora Executiva da Singulari);
  • Mentoria #2: Jurídico para Startups, com Sicy Rusalka Goes de Melo (Advogada e Consultora);
  • Mentoria #3: Product Market Fit, com Vanessa Schwaizer (Founder da Startup TicketPhone).

Palestra: Incubadoras e Fundos, com Fredson Andrade (CEO da FabriQ Aceleradora), Olinda Marinho (Presidente da RAMI), Daniel Oliveira (Business Development Manaus Tech Hub / Sidia).

Região Nordeste: A importância e o papel das comunidades no suporte aos empreendedores

  • Mentoria #1: Product Market Fit, com Eduardo Moraes (Professor Instituto Federal de Alagoas);
  • Mentoria #2: Modelos de Negócios e Validação, Hiro Miyakawa (Founder da Kotoba);
  • Mentoria #3: Marketing para Comunidades, Bera Wilson (Analista do Sebrae PB).

Palestra: Suporte ao Empreendedorismo, com Marcos Medeiros (Community Manager AMBEV), Monnaliza Medeiros (Community Manager Bossa Nova) e Simony César (Founder e CEO da startup Nina).

Região Centro-Oeste: Conquistando os primeiros clientes

  • Mentoria #1: Branding e posicionamento, com Ivan Amorim (Fundador e CEO da Agência BeSmart);
  • Mentoria #2: Mentoria e validação, com Guto Schneider (Fundador e CEO da Lockin Armários Inteligentes);
  • Mentoria #3: Parcerias estratégicas, com Anna Almeida (Head de Public Policy da Startup Quicko) e Fabiano Nagamatsu (Diretor da Aceleradora Inova UNIGRAN).

Palestra: Cases de sucesso de startups, com Guilherme Arruda (CEO da startup VG Resíduos), Cynara Bahia (CEO da startup Total Strategy) e Tatiana Santarelli (CEO da startup TeamHub).

Região Sul: Tração – Vendas e Investimento

  • Mentoria #1: Vendas, com Pamela Vacara (Executiva de vendas na Suiteshare);
  • Mentoria #2: Tração, com Leandro Piazza (Fundador 49 Educação);
  • Mentoria #3: Investimentos, com Fausto Reichert (Chief Marketing Strategy Oficer do CRM).

Palestra: Como preparar sua startup para receber investimento, com Renan Schaefer (Partner a55) e Rafaela Helbing (CEO e co-fundadora Data Rudder).

Região Sudeste: O importante papel da comunidade como instrumento de suporte aos empreendedores

  • Mentoria #1 – Validação de modelo de negócios, com Lilian Natal (Head do Distrito for Startups);
  • Mentoria #2 – Funil de vendas, com Bruna Eugenio (Vendedora sênior no projeto de expansão LatAm da Insider);
  • Mentoria #3 – Marketing digital, com Fabiane Klafke e Anderson Palma (sócio-fundador do Growth Labs).

Palestra: Cases de sucesso, com Leandro Dias (CEO da startup Akintec), Lucas Schoch (fundador e CEO da startup Bitfy).

Tendências para o setor de healthtecs em 2021

De janeiro de 2020 até fevereiro de 2021, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups) registrou 69 novos cadastros de startups da área da saúde. Os dados ficam disponíveis na base de dados da Associação (Startup Base), e apontam que o setor foi um dos que mais cresceu no ano passado.

Segundo o Diretor executivo da Abstartups, José Muritiba, é notável o crescimento no número de healthtecs nos últimos anos. “O segmento já era um dos principais aqui no Brasil. Em 2020, com o cenário da pandemia, a busca por soluções diversas na área, como a produção de equipamentos de proteção individual usando impressoras 3D, colocaram as healthtecs em evidência no mercado”, afirma.

Muritiba destaca que as startups têm capacidade de adaptação rápida, o que faz com que elas consigam sobreviver até mesmo em períodos de incertezas. “Também é importante ressaltar que, para o setor da saúde, existem oportunidades em diversos níveis, como atuação no serviço público, em hospitais, seguros de saúde e laboratórios”, complementa.

No Ciclo 2020.2 do programa de aceleração InovAtiva Brasil, três startups classificadas como destaques da edição eram da área da saúde. Entre elas estão a Nick Saúde e a Benditas Mães.

A Nick Saúde coleta e armazena dados e o histórico dos pacientes, com o objetivo de otimizar o tempo de permanência na unidade de atendimento. De acordo com a cofundadora e CEO da startup, Flávia Quintanilha, as mudanças provocadas pela pandemia foram um impulso para o reestruturar a empresa.

“Remodelamos a Nick para viabilizar uma jornada digital de saúde, com o propósito de ampliar a experiência, aumentar o engajamento e reduzir os custos operacionais”, comenta.

Para a Benditas Mães, a pandemia também não interferiu nos negócios. O aplicativo desenvolvido pela startup conecta mulheres grávidas ou puérperas com profissionais de saúde que possam atender às suas necessidades. Segundo Tais Saraiva, cofundadora da startup, em 2020, houve um estímulo para que o relacionamento entre o profissional da saúde e o paciente acontecesse de forma online.

Sócia da Benditas Mães, Mariana Bertiz complementa: “a corrida pelo digital foi muito forte em 2020 e também trouxe ênfase para o setor da saúde mental. Nós percebemos que os nossos clientes têm procurado um suporte para essa especialidade e acredito que ela ganhará ainda mais força em 2021”.

Saiba quais foram as 14 startups destaques do ciclo de aceleração 2020.2 do programa InovAtiva Brasil.

Ideiaz Powered by InovAtiva apoiará gratuitamente mil projetos inovadores em estágio de ideação

Primeira chamada do programa selecionará 150 projetos inovadores e de impacto socioambiental; no segundo semestre outros 850 empreendimentos serão apoiados pelo Ideiaz

O Ideiaz Powered By InovAtiva abriu, nesta segunda-feira (22/02), inscrições para selecionar 150 projetos inovadores e de impacto socioambiental em estágio de ideação de todo País que receberão apoio gratuito de incubadoras e aceleradoras credenciadas no programa.

Os projetos terão suporte para desenhar e validar seu modelo de negócios, desenvolver protótipo de produto ou serviço e elaborar seu pitch – como é chamada a apresentação de negócios de startups.

Realizado pela Anprotec, o Sebrae e a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competividade (SEPEC) do Ministério da Economia, o Ideiaz oferecerá atividades de mentoria, consultoria organizacional, suporte tecnológico, suporte para formalização do negócio e qualificação empreendedora.

A meta é apoiar, ainda neste ano, mil projetos de pequenos negócios inovadores de todos os estados do País a partir da capacitação gratuita realizada por incubadoras e aceleradoras, fomentando ecossistemas locais de inovação.

Cada projeto selecionado pelo Ideiaz receberá atendimento durante 10 semanas em uma das incubadoras ou aceleradoras credenciadas, conforme estipulado no regulamento.

Além das atividades coletivas, os empreendedores receberão atendimento individual para estruturar o modelo de negócios, amadurecer e validar com clientes os protótipos de produtos ou serviços desenvolvidos e montar o pitch e a defesa do negócio pronto.

Ideiaz Powered by InovAtiva

O Ideiaz Powered By InovAtiva é o primeiro projeto a receber apoio metodológico do hub de inovação InovAtiva. Como explica o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, o programa faz parte da estratégia do InovAtiva para levar suas ferramentas e serviços para 15 mil startups brasileiras nos próximos anos.

“O ‘Powered By InovAtiva’ funcionará como uma franquia, proporcionando guias metodológicos, conceitos e marcas para que instituições de atuação regionalizada possam desenvolver programas de apoio à inovação e ao empreendedorismo inovador. O Ideiaz Powered by InovAtiva é o primeiro de muitos projetos que lançaremos pelo InovAtiva nos próximos meses”, destaca Carlos Da Costa.

Um dos objetivos do Ideiaz é, segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, contribuir para o desenvolvimento de ecossistemas inovadores em todo o País. “Por meio da operacionalização deste programa, seremos capazes de levar inovação e capacitação a diferentes regiões do país. Um trabalho que será possível por meio da ativação de uma rede de parceiros locais, com o fomento da geração de empresas inovadoras, de empregos e de conhecimento”, afirma Melles.

“O programa Ideiaz se faz valer da infraestrutura, do conhecimento e da experiência das incubadoras e aceleradoras do Brasil para apoiar o desenvolvimento e a consolidação de centenas de negócios inovadores em seu estágio inicial. É um programa nacional de grande escala que vai atender a todas as regiões do país”, completa o presidente da Anprotec, Francisco Saboya.

Ideiaz Powered By InovAtiva

Período de inscrição de projetos inovadores: 22/02 a 14/03

Divulgação dos resultados: 31/03

Atendimento aos projetos selecionados: 05/04 a 11/06

As dúvidas devem ser encaminhadas por e-mail para o endereço: ideiaz@anprotec.org.br

CLIQUE AQUI, confira o edital completo e inscreva-se!

Programa InovAtiva de Impacto viabiliza parceria entre startups durante ciclo de aceleração

Incentivar a conexão e o networking é um dos principais valores dos programas de aceleração do InovAtiva. Em 2020, as startups Sharity e PWTech aproveitaram a oportunidade de integração e firmaram uma parceria enquanto participavam do InovAtiva de Impacto Socioambiental.

Quem deu o primeiro passo em busca de novos contatos foi Gustavo Henriques, CEO da Sharity, plataforma de crowdfunding com foco em impacto social. Segundo Henriques, a inscrição no programa InovAtiva de Impacto foi feita com o objetivo de aumentar a visibilidade da solução e estabelecer conexões com mentores e com outras startups.

“Quando foram divulgadas as 40 empresas selecionadas, verifiquei o que cada uma delas fazia. Percebi que muitas delas tinham sinergia com o que a gente queria oferecer ou que poderiam utilizar o nosso produto. A partir disso, fui chamando as pessoas para conversar”, relembra.

Uma das startups contactadas foi a PWTech, desenvolvedora de um equipamento que realiza a purificação de água. Ela estava em busca de uma plataforma que a ajudasse a lançar uma campanha de arrecadação de fundos para a instalação de seis desses dispositivos na Ilha do Bororé, um bairro localizado na Zona Sul do município de São Paulo. A iniciativa, desenvolvida em conjunto com a Associação de Moradores da Ilha do Bororé e a Sapiência Ambiental, tinha o objetivo de garantir o abastecimento de água potável para cerca de 300 pessoas.

Para Maria Helena Azevedo, diretora comercial na PWTech, a parceria foi importante para o processo de formatação e lançamento da campanha. Nesse período, a Sharity compartilhou dicas sobre quais estratégias de comunicação devem ser adotadas em plataformas de crowdfunding “Com a ajuda, conseguimos arrecadar parte dos recursos para o projeto, que busca reduzir significativamente a ocorrência de doenças relacionadas à falta de saneamento e contribuir para o bem-estar dos moradores da região”, comenta a empreendedora.

Conheça os programas de aceleração InovAtiva Brasil e InovAtiva de Impacto e saiba como eles ajudam startups a desenvolverem suas soluções.

Sobre a Sharity

Criada em junho de 2019, a Sharity é uma plataforma de crowdfunding com foco em impacto social, que usa gamificação para incentivar as pessoas a interagirem com causas sociais. Com a pandemia da COVID-19, teve um crescimento de mais de 500% entre março e abril devido a projetos criados dentro da plataforma com o objetivo de doar comida para moradores de rua ou fornecer máscaras aos mais necessitados. Hoje, com pouco mais de um ano de operação, está próxima de atingir R$3 milhões em causas viabilizadas.

Sobre a PWTech

A PWtech é desenvolvedora do sistema PW5660, capaz de transformar água contaminada em água potável. O equipamento é capaz de purificar até 5 mil litros de água por dia e, até o momento, já impactou 1300 pessoas.

Startup aumenta em 275% a média de novos cadastros durante o programa de aceleração InovAtiva Brasil

Durante o ciclo de aceleração 2020.2, o programa InovAtiva Brasil ajudou diversos empreendedores a validarem suas soluções, receberem orientações de melhorias e, até mesmo, a reestruturarem seus negócios. Esse foi o caso da Atom Planner e da Bibliomundi, startups das áreas de Tecnologia da Informação & Comunicação e Entretenimento & Marketing, respectivamente.

A Bibliomundi oferece soluções em autopublicação, distribuição, envios e vendas diretas de ebooks. Raphael Sacchin, CEO da startup, conta que, durante o período de aceleração, a empresa conseguiu aumentar em 275% a quantidade média de cadastro de novos ebooks mensais.

“Com a capacitação promovida pelo InovAtiva Brasil, fizemos uma completa reavaliação da jornada dos nossos clientes B2B e B2C. Com isso, identificamos novas etapas e métricas de conversão e reestruturamos nosso método funil de vendas para melhorar nossa taxa de fechamento de contratos com novos clientes”, afirma o empreendedor.

Outra startup que o programa ajudou foi a Atom Planner, que apoia empresas na otimização do uso compartilhado e restrito de recursos – máquinas, materiais, mão-de-obra e dinheiro, por exemplo. O objetivo é ajudar na utilização adequada dos recursos disponíveis, evitando o desperdício e reduzindo o custo do projeto. Com a pandemia, Peter Mello, CEO da startup, viu alguns clientes deixarem a plataforma ou diminuírem sua interação. Porém, segundo Mello, com a ajuda de especialistas do programa, a startup conseguiu se reerguer.

“Os mentores do InovAtiva nos fizeram perceber a necessidade de um spin-off (criação de uma nova empresa ou produto a partir do negócio atual) da empresa. Por isso, durante o processo de aceleração, recuperamos o conceito de MVP (Produto Mínimo Viável) e, em seguida, conseguimos validar um novo modelo de negócios que reduziu a exigência de investimento imediato em desenvolvimento e permitiu que começássemos a atender qualquer cliente mais rapidamente”, comenta.

Agora, a startup não depende mais da integração com outras ferramentas para funcionar. Ela permite que o usuário continue utilizando o software que está acostumado, mas oferece a possibilidade de usar a solução da Atom Planner para identificar maneiras de reduzir custos e antecipar entregas de projeto.

O ciclo de aceleração 2020.2 do programa InovAtiva Brasil aconteceu de 15/09/2020 até 14/12/2020. Durante os meses de aceleração, as startups participaram de atividades de capacitação como mentorias individuais e coletivas sobre temas variados – Marketing Digital, Estratégia e Modelo de Negócios, Tipos de Investimento e Modelagem Financeira, por exemplo. É possível conferir algumas das atividades realizadas por meio do canal do InovAtiva no YouTube.

Após o período de aceleração, as startups apresentaram suas soluções no InovAtiva Experience, evento que encerra o ciclo de aceleração. Veja quais foram os empreendimentos que chegaram até a última etapa do programa: Encarte InovAtiva Experience.

Sobre a Atom Planner

A startup apoia empresas na otimização do uso compartilhado e restrito de recursos, bem como a ideação, planejamento e execução de estratégias e projetos. Em 2018, ganhou o prêmio de Startup Destaque pelo Sinfor/Sebrae. No ano seguinte, participou de eventos internacionais da Softex/Brasil IT+ em parceria com a ISG e lançou o Kanvas.Cards, tendo o Senai como primeiro cliente corporativo.

Em 2020, ingressou nos programas Power To Innovate, da Shell; Scale Up, da Microsoft; Think, Build, Grow, da IBM; e InovAtiva Brasil, do Ministério da Economia e Sebrae. Além disso, foi finalista do MIT Entrepreneurship Bootcamp, indicada para o prêmio de inovação INNXbr e uma das 33 selecionadas pela Apex Brasil para o Web Summit em Portugal.

Sobre a Bibliomundi

Fundada em 2014, a Bibliomundi é uma pubtech que integra serviços digitais para o mercado editorial. Nos últimos quatro anos, segundo o fundador Raphael Secchin, a startup atendeu mais de 15 mil autores, 47 editoras e transacionou mais de 1.5 milhões de ebooks em diferentes lojas, marketplaces e streamings, desenvolvendo ferramentas e suporte para todos os agentes da cadeia.

Em 2020, passou pelos programas de aceleração InovAtiva Brasil, Cotidiano e ACE. Além disso, a empresa é membra da Câmara Brasileira do Livro (CBL), da Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) e da internacional EDItEUR.

InovAtiva Experience 20.2 acontece de forma totalmente online e conta com programação aberta ao público

O InovAtiva Experience, evento de encerramento do processo de aceleração dos programas InovAtiva Brasil e InovAtiva de Impacto, será realizado nos dias 05, 12, 13 e 14 de dezembro. Com o tema “Além do Vale do Silício: um Brasil que respira inovação”, ele acontecerá de forma 100% online.

Durante o evento, além da programação exclusiva para os empreendedores participantes dos ciclos atuais, também serão realizadas atividades abertas ao público geral. A transmissão dessas atividades será feita ao vivo, no canal do YouTube do InovAtiva.

Programação aberta ao público

A partir do dia 12, será possível acompanhar, ao vivo, painéis e palestras realizados durante o evento. Confira o horário de cada atividade:

12/12 – Sábado

  • 15h: Painel sobre Investimentos com Juliene Piniano, advogada na Derraik & Menezes Advogados; Brenda Kutnikas, que atua na área de relacionamento com empreendedores e parceiros na Anjos do Brasil; e Bernard Caffe, CEO da startup Jovens Gênios.
  • 15h: Painel sobre Investimentos na área de impacto socioambiental com Fernanda Dativo, coordenadora de investimentos SITAWI; Ronaldo Tenório, CEO da startup Hand Talk; Michele de Souza, fundadora e CEO da startup Cycor Cibernética e Antonio Patrus, diretor da Bossa Nova.
  • 16h30: Palestra sobre o ecossistema de inovação e cases de sucesso com Ariel Patschiki, sócio do Ebanx, fintech brasileira que se tornou unicórnio no final de 2019.
  • 17h45: Live Musical com a DJ Rafaela Boeno.

13/12 – Domingo

Os membros da Comunidade InovAtiva Brasil participarão de um bate-papo sobre o cenário empreendedor da região onde atuam. Essas rodadas de conversa começarão às 13h30 e terão duração de uma hora cada. A ordem será Sudeste, Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Norte e, para encerrar o dia, às 18h30 acontecerá o painel “Retrospectiva 2020 – Ecossistemas de Startups”.

14/12 – Segunda-feira

No período da tarde, a partir das 15h, será realizada a live de encerramento do evento. A primeira parte da transmissão conta com dois blocos de entrevistas. O primeiro, sobre ambiente regulatório de startups, terá a participação de Lucas Maciel (coordenador da Enimpacto), Igor Nazareth (subsecretário de Inovação e Transformação Digital no Ministério da Economia) e Julierme Rodrigues da Silva (analista em TI na Secretaria de Governo Digital).

O segundo bloco começa às 16h30 e aborda o tema inovação aberta. Serão entrevistadas Amanda Graciano (head de portfólio e desenvolvimento de negócios da iDEXO), Izabella Neves (coordenadora de inovação da B3) e Mirella Lisboa (gerente de inovação aberta e ecossistemas digitais da BASF).

A partir das 18h15 acontece a cerimônia de encerramento, momento em que serão divulgados os nomes das startups destaques da edição. Em seguida, para encerrar o dia, serão realizadas rodadas de entrevistas com as premiadas.

Atividades exclusivas para empreendedores

Para os participantes dos ciclos atuais, a programação inicia no dia 05, com o Demolation, atividade de simulação de pitch. Nesta ocasião, os startupeiros serão divididos em 14 bancas temáticas, nas quais terão até quatro minutos para apresentar suas soluções a mentores. Encerrado esse tempo, os orientadores terão até oito minutos para fazer considerações sobre o que precisa ser melhorado para despertar a atenção de possíveis clientes, parceiros e investidores.

Já no sábado seguinte, dia 12, durante o período da manhã, serão realizadas mentorias coletivas sobre vendas, marketing, acesso a investidores, modelagem financeira e gestão estratégica.

Para encerrar o InovAtiva Experience, no dia 14 acontece o Demoday. Os empreendedores se apresentarão para mentores, investidores e executivos de grandes organizações, que poderão fazer perguntas para entender melhor os negócios e criar um relacionamento com as startups. Com base nos pitches, eles também elegerão 14 soluções como destaques em suas áreas de atuação.

Acompanhe a cobertura completa do Experience 20.2 nas redes sociais do InovAtiva.

Conheça os líderes, agentes e disseminadores que se destacaram no InovAtiva Brasil

Com os ciclos de aceleração 20.2 dos programas InovAtiva Brasil e InovAtiva de Impacto chegando ao fim, foi lançado o Ranking da Comunidade InovAtiva, que reconhece os líderes, agentes e disseminadores mais atuantes ao longo do semestre. A classificação dá destaque aos voluntários que promoveram, na região onde estão inseridos, ações ligadas aos programas.

Confira o resultado em cada categoria:

Ranking Líderes

  1. Fabiano Nagamatsu (MS)
  2. Alexandre Mori (RO)
  3. Karla Susiane Pereira (AM)
  4. Frederico Bombonatti (SP)
  5. Edson Rodrigues da Silva (AL)

Com a missão de fortalecer os ecossistemas regionais de empreendedorismo, eles mapeiam os pontos de melhoria para a sua comunidade e articulam iniciativas com players locais para estimular a inovação no seu estado.

Ranking Agentes

  1. Luciana Homrich (SC)
  2. Marcos Eduardo (SP)
  3. Aaron Campos (PB)
  4. Gabriela Melo (MG)
  5. Aretusa Martins (MG)

Responsáveis pela divulgação do InovAtiva em sua região, promovem ações e capacitações, incentivando os empreendedores locais a submeterem seus projetos aos programas de aceleração do hub.

Ranking Disseminadores

  1. Fernanda Caldeira (SC)
  2. Alexandre Uehara (SP)
  3. Vanessa Cavalcanti (AL)
  4. Jussiane Siqueira (SC)
  5. Camila Fernanda (PR)

Focados na comunicação, atuam de forma a propagar informações sobre o InovAtiva Brasil em sua comunidade por meio de publicações na mídia, redes sociais e ações locais.

Sobre o ranking Comunidade InovAtiva

Para chegar ao resultado final, os voluntários foram avaliados em quatro categorias:

  • Fomento: número de eventos realizados para a divulgação do hub, quantidade de startups inscritas e acompanhamento destes cadastros;
  • Comunicação: contribuição com conteúdo para newsletter, blog e pautas; divulgações regionais e participações em webinars;
  • Conexão: volume de projetos de fomento ao ecossistema;
  • Qualificação & Engajamento: participação em reuniões, comunicações, atividades e treinamentos.

Além disso, as diferenças de realidades em cada estado também são levadas em consideração. Antes da avaliação das categorias acima, foi criado um radar de maturidade para definir o peso das notas em cada localidade. Neste mapeamento, foram consideradas as percepções registradas pelos três grupos de representantes em relação a suporte, acesso a capital, ambiente regulatório, talentos e acesso a mercado na região onde estão situados. Assim sendo, quanto menor a maturidade do ecossistema, maior é o coeficiente de equiparação multiplicado por cada uma das notas.

Sobre a Comunidade InovAtiva

Com o intuito de capilarizar a atuação do InovAtiva Brasil, o hub conta com a ajuda de 29 líderes de comunidades, 35 agentes e 165 disseminadores espalhados por todas as unidades federativas do país. De forma voluntária, eles ajudam a propagar a marca ao promover ações regionais de incentivo ao empreendedorismo.

Conheça o pilar Ecossistema do InovAtiva.

68 Startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil foram selecionadas para o Raking 100 Open Startups 2020

Em sua quarta edição, o Ranking 100 Open Startups premiou 68 empresas aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil. O levantamento mede a atratividade das startups por meio das suas relações com grandes corporações e as classifica de duas formas:

  • TOP 100 Open Startups: elenca as soluções que mais despertaram a atenção de grandes organizações nos últimos 12 meses. Nesta lista, 29 empresas aceleradas foram premiadas pela quantidade de contratos assinados com essas instituições;
  • TOP 10 Categorias: considerando 25 segmentos, o ranking lista as dez soluções que se sobressaíram em suas áreas de atuação. Ao todo, 67 aceleradas foram destacadas em ao menos um deles. Além disso, seis startups ficaram em primeiro lugar nas categorias às quais haviam sido indicadas: VgResíduos (IndTechs), Standout (RetailTechs), Comprovei (LogTechs), Regenera Moléculas do Mar (BioTechs), CUBi Energia (EnergyTechs) e Simplifca Fretes (Marketplace).

Para Mário Frota Jr., sócio-fundador e diretor-presidente da Regenera Moléculas do Mar, criadora do primeiro e único banco de micro-organismos de origem marinha do país, o InovAtiva Brasil foi muito importante nesta vitória, visto que foi devido ao aprendizado adquirido durante o ciclo de aceleração que a companhia amadureceu.

Dessa forma, segundo o empreendedor, os resultados alcançados em 2020 superaram as expectativas da startup. “Na prática, conseguimos manter os contratos com grandes empresas que já estavam em vigência antes da pandemia. Também aumentamos o portfólio de projetos e parceiros, consolidando cada vez mais o nosso modelo de negócio e proposta de valor. O sentimento é de extrema gratidão por todos aqueles que seguiram acreditando nas nossas soluções”, comenta Frota.

A CUBi, startup que oferece uma solução completa de gestão e otimização do consumo de eletricidade, também foi uma das premiadas. De acordo com Rafael Turella, cofundador e diretor comercial da empresa, mudar o foco foi importante para superar desafios ao longo do ano.

“No ano passado, miramos nossos esforços para o desenvolvimento do produto e na organização da CUBi, mas em 2020 optamos pelo crescimento comercial. Isso nos ajudou a firmar contratos com grandes clientes. Foram esses relacionamentos que nos ajudaram a alcançar o 1º lugar no ranking de EnergyTechs pela primeira vez”, conta o empreendedor.

Essa vitória, sem dúvida, só foi possível devido a todos os aprendizados, experiências e trocas que tivemos durante os variados programas de aceleração que participamos, como o InovAtiva Brasil, que se destacou por nos colocar em contato com outras realidades do país e com empreendedores que não são da comunidade de São Paulo, onde está localizada a nossa sede”, completa Turella.

Quer conhecer um pouco mais sobre a Regenera Moléculas do Mar e a CUBi? Confira a seguir:

Sobre a Regenera Moléculas do Mar

Localizada na Incubadora Empresarial do Centro de Biotecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Regenera Moléculas do Mar foi fundada em 2010 para disponibilizar soluções sustentáveis em biotecnologia a partir do ambiente marinho. Em 2014, conquistou um investimento anjo e obteve a primeira licença especial para bioprospecção na Amazônia Azul. No ano seguinte, foi acelerada pelo InovAtiva Brasil.

Sobre a CUBi

A CUBi é uma startup que utiliza IoT e Big Data para auxiliar os setores comercial e industrial no entendimento e gestão de seu consumo de energia elétrica. A empresa, acelerada pelo programa InovAtiva Brasil no ciclo 2017.2, está inserida também nos ecossistemas de empreendedorismo dos Estados Unidos e Portugal.

inovativa@inovativabrasil.com.br