Empreendedores e mentores contam suas experiências no Bootcamp e Demoday InovAtiva

Descubra porque o Demoday InovAtiva é um evento imperdível para qualquer empreendedor brasileiro

Nos dias 08 e 09 de dezembro, startups de todo o Brasil se reuniram no Palácio dos Campos Elísios, em São Paulo, para o Bootcamp Nacional InovAtiva Brasil, onde receberam mentorias para melhorar seus pitches e aprimorar seus negócios. Para os empreendedores, esse momento foi essencial para a apresentação feita no Demoday no dia 10 de dezembro, no Senac Santo Amaro.

Fernanda Tietjen, fundadora da Fluenglish, empresa especializada em teste de proficiência bilíngue para empresas corporativas e avaliações de desempenho, conta que este foi o seu primeiro pitch e a experiência engrandeceu seu negócio e gerou bons resultados. “Esses três dias foram de coração batendo a mil, ótimos feedbacks e críticas construtivas. Foi o nosso primeiro pitch em um grande projeto de aceleração, então foi muito bacana. Foi muito importante para nós, empreendedores, um evento desse porte com a estrutura que ele oferece”, comenta Fernanda.

Para os mentores, ter a oportunidade de transmitir seu conhecimento para quem está abrindo seu próprio negócio, também foi muito gratificante. Raquel Gomes, instrutora de startups na Central Única das Favelas (CUFA) e mentora de negócios no InovAtiva desde dezembro de 2016, fez questão de vir para São Paulo para participar do evento, mesmo estando recém-operada.

“A iniciativa é muito boa. A maturidade das startups e a atitude dos empreendedores de buscarem contato, interação e não só apoio financeiro, é bem bacana. Trocamos cartões, fizemos amizades e reencontramos pessoas. As vezes, o empreendedor tem o ouro na mão e não consegue enxergar. E nós mentores, tentamos mostrar os pequenos ajustes que precisam ser feitos para que a startup decole”, afirma Raquel.

Porém, além dessa interação entre mentores e mentorados, as pessoas que estiveram presentes no evento destacaram um ponto muito importante que as surpreendeu: a relação construída entre os próprios empreendedores. Lucio Felix, da RDO App, diário de obras 100% eletrônico relata que seu intuito era receber mentorias, mas ganhou muito mais do que isso.

“Os mentores são pessoas muito destacadas nas suas áreas de atuação, mas o que me chamou a atenção foi a troca de experiência entre os empreendedores. Acho que em três dias aprendemos muito mais do que em vários dias validando o projeto. Ouvir crítica, sugestões, opiniões, nos ajudam a melhorar nossa caminhada”, comenta Felix. Já para Julio Muller, empreendedor da Suaview, startup que junta e organiza o conjunto de dados armazenados dos clientes e suas preferências, o InovAtiva foi importante pela oportunidade de apresentar seu negócio para investidores e entender o que fazer para atingir seu objetivo. “O programa também ajudou muito na clareza desse ecossistema de startups porque querendo ou não, quando você pensa em startup, em empresa de tecnologia e inovação, a metodologia é muito diferente da de uma empresa tradicional”, acrescenta Muller.

Complementando o ponto de vista do criador da SuaView, Renato Paquet, fundador e CEO da Polen, empresa especializada em transformar lixo em matéria-prima sustentável e reciclada, transformamos custos em receita, que foi escolhida como um dos dois destaques na categoria “Tecnologia da Informação e Comunicação: Big Data e Soluções B2B”, diz que o que mais lhe marcou foi a conexão com o ecossistema de startups nacional em um único lugar. “Entrei no programa pelo Fast Tracking. No InovAtiva convivi com pessoas do Brasil inteiro, com quem pude trocar experiências. Saímos de lá conhecendo a empresa do outro e vendendo a empresa do colega. Também tive a oportunidade de fazer conexões com grandes corporações com as quais não teria contato tão cedo. Para mim, o grande diferencial do programa é que ele te conecta com o ecossistema nacional no qual estamos inseridos em um único lugar. Contudo, o que foi mais importante para a Polen foi o feedback na etapa Demolation, em que os mentores e investidores deram dicas do que colocar para incrementar ainda mais o nosso pitch”, ressalta Paquet.

De acordo com Fabio Dias, agente InovAtiva no Rio de Janeiro e mentor desde 2016, nos últimos dois anos houve evolução e melhoria das startups que participam do programa. “O Demoday refletiu o nível de capacitação que foi dado durante o Bootcamp Nacional. Percebi que muitas startups chegaram com um conceito formulado, um pitch preparado, mas com a cabeça muito aberta para feedbacks. Essa é uma característica que o empreendedor deve ter para conseguir executar e pivotar alguma ideia”, finaliza Dias.

Compartilhar