Startups finalistas do InovAtiva receberam acesso para edital que aporta R$400 mil reais

As startups foram selecionadas entre as 14 destaques do demoday do ciclo 2017.1

Surface, Pickcells e Enercred foram selecionadas para terem seus projetos desenvolvidos com recursos do Edital de Inovação para Indústria. As 3 startups selecionadas receberam o chamado fast track, que significa um acesso direto ao edital. O Edital de Inovação para Indústria é uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e tem como objetivo selecionar projetos inovadores para receberem até R$400 mil reais.

Fabio Pires, gerente de Inovação e Tecnologia do SENAI, destaca a oportunidade que as empresas selecionadas terão em participar do processo. Segundo ele, o fast track é uma forma de alinhar programas nacionais e facilitar o acesso das empresas aos programas. “O fast track das startups do InovAtiva para o Edital de Inovação para Indústria permite um apoio de programas complementares para as empresas, além de reduzir o custo da avaliação de projetos já analisados por outros programas”, conta.

O gerente da Unidade de Acesso a Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade (UAITS) do Sebrae Nacional, Célio Cabral, também ressalta a oportunidade que as startups terão por serem apoiadas pelo edital. Segundo ele, é um passo importante para ser uma grande e inovadora empresa no futuro. “É uma iniciativa que busca a complementaridade em prol das empresas inovadoras, para que elas possam desenvolver melhor seus produtos e colocá-lo no mercado”, defendeu.

Marcos Vinícius de Souza, Secretário de Inovação e Novos Negócios no Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços ressalta que o InovAtiva trabalha em conjunto com diversos programas de apoio à empreendedores. “Estamos sempre em busca de novas oportunidades para startups aceleradas acessarem recursos e benefícios de instituições parceiras do programa. Nossas startups tem um alto grau de inovação e por isso são convidadas a acessar novos programas de fomento.”

As startups que tiveram um acesso rápido ao Edital de Inovação para Indústria são dos estados de São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais e atuam, respectivamente, nas áreas de engenharia, desenvolvimento web e mobile e economia sustentável.

O engenheiro Bruno Belloti Lopes é o founder da Surface, uma startup que surgiu após uma pesquisa com academias. As dores dos empresários do segmento, em utilizar plasmas e modificar superfícies com certa frequência, se tornou um ambiente de pioneirismo para a atuação da empresa de Brunos. O trabalho atual da startup utiliza-se de equipamentos tecnológicos de alto nível para adesivar, de forma seca e sem contato, as superfícies e ainda não poluir o meio ambiente.

Outra startup selecionada foi criada em Recife por um ex-executivo da indústria farmacêutica, Paulo José Albuquerque Melo. A PickCells teve sua origem na dissertação de mestrado do engenheiro de computação André Caetano. A plataforma, que ainda não é comercializada, baseia-se numa visão computacional para permitir um diagnóstico, mais rápido, preciso e eficiente de doenças infecciosas, em tempo real e com baixo custo. Atualmente, Paulo espera por um laudo de aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e garante que sempre buscar oportunidades de aprimorar a plataforma. Com a confirmação de participação no edital, não foi diferente. “Entramos em nosso segundo ano e esperamos evoluir mais. É preciso estar tudo bem alinhado quando o laudo de aprovação for concedido”, conta.

Há mais de 400km da capital Belo Horizonte, a cidade de Pedralva (MG), viu nascer a plataforma de crédito de energia, EnerCred. A ideia surgiu após uma viagem aos Estados Unidos, onde o founder e CEO, José Otávio Carneiro, visitou uma empresa e descobriu modelos de comunidades de energia solar, o que não era permitido no Brasil.

Três semanas após chegar de viagem, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) publicou uma norma alterou o cenário para o Brasil e para as intenções de José Otávio. Atualmente, a plataforma completou dois anos conectando geradores a consumidores residenciais, por meio de créditos de energia. “O edital chegou em uma boa hora. Tenho muita coisa para desenvolver e muitas outras para fazer sinergicamente”, completou José.

Compartilhar