Como as startups estão mudando o setor de saúde no Brasil

Mais do que vender produtos ou serviços, as startups têm potencial para inovar e otimizar vários setores do país. Veja o que elas estão fazendo no setor de saúde!

Quem vive no Brasil sabe dos problemas que o país enfrenta com um sistema de saúde que está longe de ser perfeito. Apesar de funcionar bem em algumas áreas, também existem problemas que podem ser solucionados – qualquer empreendedor sabe que, onde há problemas a serem resolvidos há oportunidades de negócios.

O Brasil possui um Sistema Único de Saúde (SUS) que atualmente atende cerca de 150 milhões de pessoas. Lidar com uma demanda desse tamanho e garantir atendimento gratuito para todos, como manda a Constituição, é realmente um grande desafio. Além da limitação do orçamento, existem problemas de administração dos recursos e gestão das unidades de saúde em si. O resultado é um sistema público que, muitas vezes, deixa de cumprir o seu papel.

Ao mesmo tempo, em uma pesquisa realizada pela KPMG, os planos privados também afirmam que veem suas receitas caírem e os custos aumentarem, o que indica que esse setor também é afetado. A Endeavor, em um artigo que analisa os desafios do mercado de saúde, lista alguns campos que podem ser explorados para novos negócios na área da saúde:

– Gestão da cadeia de suprimentos, logística e operação

– Comunicação e relacionamento entre fornecedores, clientes, parceiros e pacientes

– Estruturação de processos mais enxutos e eficientes

– Inteligência de mercado gerando dados que levem a insights

– Gestão da qualidade e minimização de desperdícios

– Mensuração dos resultados em tempo real para tomada de decisão mais ágil.

Como as startups estão mudando o setor

Felizmente, criatividade não é falta no Brasil e muitos empreendedores estão aproveitando as oportunidades para criar startups e alavancar esse setor. Muitas soluções estão sendo lançadas ligadas a temas como:

● Modelos inovadores para ensino de medicina e saúde, com uso de realidade virtual e outras tecnologias;

● Plataformas para facilitar o contato entre profissionais e pacientes;

● Softwares para gestão clínica e hospitalar;

● Aplicativo para conectar o cidadão a serviços de saúde em poucos cliques;

● Soluções ligadas ao cuidado de idosos e outros tipos de home care;

● Serviço de coleta e distribuição de medicamentes que não seriam usados, diminuindo o desperdício e entregando para quem precisa;

● Ferramentas inovadoras para diagnóstico e tratamento.

5 exemplos para você se inspirar

As startups do ramo de saúde marcam presença nos ciclos de aceleração do Programa InovAtiva Brasil. Separamos 5 exemplos inspiradores:

Pickcells

Empresa de Recife que trabalha com automação de pesquisas laboratoriais. A Pickcells usa visão computacional e algoritmos para fazer diagnósticos, reconhecer agentes biológicos como vírus, bactérias ou parasitas e auxiliar os profissionais de saúde. Na plataforma, a solução pode ser customizada para várias linhas de pesquisa e tipos de doenças.

ProntLife

É um prontuário eletrônico que integra todos os dados do paciente proveniente de diversos exames, dados clínicos, prescrições médicas e até fotos do paciente. Além disso, a ProntLife integra o prontuário eletrônico a protocolos clínicos inteligentes que auxiliam no diagnóstico e tratamento. O sistema oferece protocolos de exames, tratamento e orientações após a alta. Por fim, todo o prontuário fica disponível em um serviço de nuvem para que o paciente nunca perca seus dados.

ePHealth

O principal objetivo da ePHealth é fazer uma gestão mais eficaz da atenção primária, que é responsável por grande parte dos atendimentos e dos problemas de saúde. A plataforma auxilia gestores e coordenadores e profissionais de atendimento e agentes comunitários de saúde por meio de aplicativos fáceis de serem usados e eficientes na inserção e visualização de dados.

GnTech

Muitos pacientes sofrem com ineficácia e efeitos colaterais dos medicamentos, tendo esse problema em vista a startup Gntech resolveu lançar uma solução para identificar como cada pessoa responde aos medicamentos. A GnTech é um laboratório de genética e bioinformática que entrega exames de alta qualidade provenientes do sequenciamento do genoma humano, com precisão e de fácil interpretação, com o propósito de aumentar a qualidade de vida das pessoas e tornar os tratamentos médicos mais eficientes.

NurseBot

É um dispensador de pílulas que pode ser programado para atender à rotina médica do paciente. Nas horas programadas, ele seleciona o remédio que deve ser tomado, emite um alerta e o entrega ao paciente. A ideia é reduzir os erros de dosagem, horário ou tipo de remédio. O NurseBot pode ser conectado com smartphones, tablets e outros dispositivos, permitindo também que a família acompanhe a administração dos remédios.

As startups do setor de saúde estão desenvolvendo e aplicando tecnologias para melhorar diversos processos desde a parte administrativa até o atendimento e o tratamento de pacientes. Você tem um projeto inovador na área de saúde? Então, se inscreva agora mesmo para esperar o próximo ciclo de aceleração e acessar os cursos gratuitos para empreendedores!

Compartilhar