Posts

68 Startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil foram selecionadas para o Raking 100 Open Startups 2020

Em sua quarta edição, o Ranking 100 Open Startups premiou 68 empresas aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil. O levantamento mede a atratividade das startups por meio das suas relações com grandes corporações e as classifica de duas formas:

  • TOP 100 Open Startups: elenca as soluções que mais despertaram a atenção de grandes organizações nos últimos 12 meses. Nesta lista, 29 empresas aceleradas foram premiadas pela quantidade de contratos assinados com essas instituições;
  • TOP 10 Categorias: considerando 25 segmentos, o ranking lista as dez soluções que se sobressaíram em suas áreas de atuação. Ao todo, 67 aceleradas foram destacadas em ao menos um deles. Além disso, seis startups ficaram em primeiro lugar nas categorias às quais haviam sido indicadas: VgResíduos (IndTechs), Standout (RetailTechs), Comprovei (LogTechs), Regenera Moléculas do Mar (BioTechs), CUBi Energia (EnergyTechs) e Simplifca Fretes (Marketplace).

Para Mário Frota Jr., sócio-fundador e diretor-presidente da Regenera Moléculas do Mar, criadora do primeiro e único banco de micro-organismos de origem marinha do país, o InovAtiva Brasil foi muito importante nesta vitória, visto que foi devido ao aprendizado adquirido durante o ciclo de aceleração que a companhia amadureceu.

Dessa forma, segundo o empreendedor, os resultados alcançados em 2020 superaram as expectativas da startup. “Na prática, conseguimos manter os contratos com grandes empresas que já estavam em vigência antes da pandemia. Também aumentamos o portfólio de projetos e parceiros, consolidando cada vez mais o nosso modelo de negócio e proposta de valor. O sentimento é de extrema gratidão por todos aqueles que seguiram acreditando nas nossas soluções”, comenta Frota.

A CUBi, startup que oferece uma solução completa de gestão e otimização do consumo de eletricidade, também foi uma das premiadas. De acordo com Rafael Turella, cofundador e diretor comercial da empresa, mudar o foco foi importante para superar desafios ao longo do ano.

“No ano passado, miramos nossos esforços para o desenvolvimento do produto e na organização da CUBi, mas em 2020 optamos pelo crescimento comercial. Isso nos ajudou a firmar contratos com grandes clientes. Foram esses relacionamentos que nos ajudaram a alcançar o 1º lugar no ranking de EnergyTechs pela primeira vez”, conta o empreendedor.

Essa vitória, sem dúvida, só foi possível devido a todos os aprendizados, experiências e trocas que tivemos durante os variados programas de aceleração que participamos, como o InovAtiva Brasil, que se destacou por nos colocar em contato com outras realidades do país e com empreendedores que não são da comunidade de São Paulo, onde está localizada a nossa sede”, completa Turella.

Quer conhecer um pouco mais sobre a Regenera Moléculas do Mar e a CUBi? Confira a seguir:

Sobre a Regenera Moléculas do Mar

Localizada na Incubadora Empresarial do Centro de Biotecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Regenera Moléculas do Mar foi fundada em 2010 para disponibilizar soluções sustentáveis em biotecnologia a partir do ambiente marinho. Em 2014, conquistou um investimento anjo e obteve a primeira licença especial para bioprospecção na Amazônia Azul. No ano seguinte, foi acelerada pelo InovAtiva Brasil.

Sobre a CUBi

A CUBi é uma startup que utiliza IoT e Big Data para auxiliar os setores comercial e industrial no entendimento e gestão de seu consumo de energia elétrica. A empresa, acelerada pelo programa InovAtiva Brasil no ciclo 2017.2, está inserida também nos ecossistemas de empreendedorismo dos Estados Unidos e Portugal.

Startup Awards premia duas startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil, Shawee e Transfeera

Durante o CASE + Startup Summit 2020, ocorreu a cerimônia do Startup Awards, também conhecido como o Oscar das startups brasileiras. Na ocasião, duas aceleradas pelo InovAtiva Brasil foram premiadas: a plataforma de gerenciamento para hackatons Shawee, na categoria Startup do Ano, e a fintech Transfeera, como Startup Revelação.

“Foi muito especial receber essa premiação. Tratamos isso como um reconhecimento à dedicação e ao trabalho do time, que confia no nosso potencial, acredita na história que construímos juntos e continua trabalhando para entregar a melhor solução aos problemas dos clientes e parceiros. O ano de 2020 foi desafiador, mas a equipe não desanimou e continuou acreditando no nosso plano de desenvolvimento”, comenta Guilherme Verdasca, CEO e cofundador da Transfeera, fintech open banking.

Para Rodrigo Terron, CEO da Shawee, ser eleita como Startup do Ano mostra que a empresa atingiu o seu maior objetivo: ser um negócio que gera impacto social, empregabilidade e conexão com o mercado.

“Em 2018 a gente ficou no TOP 10 e não chegou nem no TOP 3. Quando vi que fomos considerados como uma das principais soluções de 2020, fiquei muito animado, mas não imaginei que ganharíamos esse prêmio. Por isso, quando o resultado foi anunciado, fiquei surpreso e, ao mesmo tempo, emocionado”, afirma Terron.

As duas startups foram aceleradas pelo InovAtiva Brasil e acreditam que o programa contribuiu com essa conquista, seja pelo aprendizado adquirido no processo ou pela visibilidade gerada. De acordo com o CEO da Shawee, a aceleração gera insights para a melhoria do negócio e conexões valiosas.

Verdasca complementa que essa experiência rendeu o seu primeiro contato com o mundo do empreendedorismo. “Foi durante a aceleração que aprendemos as tarefas necessárias para o dia a dia dos negócios, recebemos feedbacks e melhoramos o nosso produto. Também fomos selecionados pelo Facebook, como uma das 10 empresas mais inovadoras da turma. Esse reconhecimento foi essencial para chegarmos aonde estamos hoje”, relata o CEO da Transfeera.

Ambas as startups têm um ponto em comum: não se deixaram afetar pela pandemia e conseguiram superar as expectativas em termos de faturamento para o ano de 2020. Agora, elas pretendem ir ainda mais longe, expandindo suas atuações e se consolidando como referência em seus mercados de atuações.

“Sabemos que, no Brasil, o que dificulta o crescimento das organizações é a falta de mão de obra qualificada. Por isso, estamos iniciando uma nova fase na Shawee em que assumimos a responsabilidade de mudar essa realidade. Dessa forma, esperamos conseguir formar e impactar, até o final de 2023, 100 mil novos programadores e desenvolvedores e posicioná-los no mercado, ajudando na transformação digital das empresas e no crescimento das startups”, finaliza Terron.

20 Startups de Impacto Socioambiental apresentarão suas soluções para a maior banca de investidores do país

De junho a outubro, 40 startups focadas na área socioambiental participaram do processo de aceleração do programa InovAtiva de Impacto. Durante esse período, os empreendedores entregaram um Pitch Deck e um vídeo, com uma apresentação geral de suas startups. Agora, foram selecionados os 20 negócios que se destacaram nesta etapa e que terão a oportunidade de se apresentar para a maior banca de investidores, aceleradoras e grandes empresas do país durante o InovAtiva Experience.

Além da participação no evento de encerramento do ciclo, essas startups também terão acesso a mentorias específicas, coletivas e webinars exclusivos. Aquelas que cumprirem com todas as atividades obrigatórias receberão o selo de Startup Acelerada InovAtiva de Impacto Socioambiental; indicação direta para aceleradoras privadas, investidores, fundos de investimento, eventos e programas corporativos que sejam parceiros do InovAtiva Brasil; alertas de oportunidades de negócios; sem contar os benefícios e descontos com empresas e entidades parceiras, tais como Google Cloud, Microsoft e Lahar – confira todos os benefícios aqui.

Sobre as selecionadas

Provenientes de oito estados brasileiros, esses negócios estão situados, principalmente, na região sudeste do país (45%), com ênfase na região de São Paulo (30%). Suas soluções são voltadas para as áreas de educação (20%), sustentabilidade (15%), serviços (15%), agronegócios (10%), energia (10%), mobilidade urbana (10%) saúde (10%), marketing e mídia (5%) ou TIC (5%).

Para saber mais sobre as startups aprovadas para a segunda etapa do InovAtiva de Impacto, acesse: Finalistas InovAtiva de Impacto 2020

Acesse o canal do InovAtiva no YouTube para ter acesso às mentorias do Talk To Me.

Entenda o que é Governança Corporativa e como aplicá-la na sua startup

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a aplicação da Governança Corporativa nas startups impulsiona o pleno aproveitamento do capital intelectual da empresa, promovendo uma expansão mais competitiva e auxiliando na captação de recursos. No entanto, para colocar este conceito em prática, o Instituto estabelece quatro pilares de gestão: transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade sócio-corporativa.

Para Ana Paula Candeloro, advogada, executiva c-level, conselheira certificada e mentora de startups, isso não basta para o sucesso de uma empresa. “É preciso transcender, abraçar as tendências e ficar atento a pensamentos inovadores. O código do IBGC introduz o olhar sobre o propósito na fase de validação, mas eu acho que é preciso pensar em Governança Corporativa a partir da ideação”, comenta.

Segundo a especialista, não existe uma fórmula definida para o estabelecimento desta prática na organização e sim direcionamentos que variam de acordo com o apetite de risco (saber onde quer e pode chegar), sua base de clientes, o momento de atuação da instituição, localização geográfica, contrapartes envolvidas e outros fatores que são próprios de cada startup.

“Existe o mito de que custa caro, é complicado, burocrático, que vai engessar o business e que precisa de uma equipe enorme de pessoas. Eu acho que falta disseminar um pouco a cultura de entendimento de que é possível ser aplicado um programa customizado que vai encarecendo conforme a fase da empresa e o orçamento disponível para isso”, explica a advogada.

Benefícios da Governança Corporativa nas Startups

Com a aplicação deste conceito na organização, a captação de recursos por fontes externas é mais acessível, visto que os bancos e instituições financeiras têm uma percepção mais favorável sobre a empresa, já que esta tem uma gestão organizada e, portanto, transmite mais credibilidade.

“Existe muito dinheiro de investidores estrangeiros querendo aportar no Brasil, mas eles não encontram startups preparadas para receber o investimento. As instituições que não estabelecerem a Governança Corporativa em seu escopo vão ficar fora das rodadas de capital”, afirma Ana Paula.

Além disso, a mentora diz que os padrões da América do Norte e da Europa são mais elevados e rigorosos do que no Brasil. Os investidores observam não só a diligência do negócio, como também os impactos que a instituição gera na sociedade de acordo com a lista dos 14 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Governança Corporativa nas diferentes fases das startups

Resumidamente, a empresa tem que ter um plano, saber para onde vai. Quando chegar o momento certo, o empreendedor estará no controle do seu negócio e poderá decidir com quem quer se relacionar, se quer abrir o capital e quando vai abrir, quais serão os seus fornecedores etc.

Contudo, a Governança Corporativa, segundo a Conselheira, é um instrumento de competitividade e de internacionalização que se baseia no propósito da empresa. Como este se altera com o desenvolvimento da organização, em cada fase da startup são esperadas diferentes aplicações do conceito:

  • Ideação: Tendo em vista que a empresa muitas vezes ainda não existe formalmente, é importante ter controle de caixa para pensar na capacidade financeira da startup, mapeamento da necessidade de registro de marca ou patente e entender as leis do setor em que está se inserindo;
  • Validação: É uma fase operacional, então o mercado já está sendo testado e a instituição está ativa e apta para receber aportes, mentores e consultores. Neste momento, a organização deve elaborar seu estatuto, efetivar o registro de marca ou patente, definir as rotinas contábeis e as regras de vesting, bem como criar um organograma e diretrizes para o que possa vir a ocorrer;
  • Tração: Quando a startup atinge este patamar, está procurando captar mais clientes e aumentar o seu faturamento. Por isso é necessário fazer segregação de funções, estruturar um conselho construtivo, definir um planejamento estratégico com metas e indicadores e as três linhas de defesa – de negócios e controle -, além de desenvolver um controle normativo;
  • Escala: Por fim, quando o crescimento estiver acelerado, a startup pode pensar em explorar as oportunidades e expandir geograficamente. Para tanto precisará estabelecer um plano de sucessão, incluir um conselheiro externo, implantar comitês de assessoramento, desenhar templates padrões para procedimentos e políticas, elaborar um programa de compliance e definir critérios para mensurar os impactos da atividade.

Se você quer saber mais sobre Governança Corporativa nas startups, acesse: Don’t Panic! Governança para startups

Confira o nosso núcleo de educação empreendedora: Academy

TrazFavela: Delivery para a periferia cresce 500% durante a pandemia

O programa InovAtiva Brasil está sempre em busca de ideias disruptivas que ajudam a solucionar dores da sociedade. No ciclo 2020.1, encontrou isso no TrazFavela, delivery sem preconceito que tem como objetivo buscar e entregar produtos em regiões periféricas da cidade de Salvador.  A startup, que está operando desde setembro de 2019, viu seus negócios expandirem 500% no terceiro trimestre deste ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Para saber mais sobre esse processo de crescimento e consolidação no mercado, conversamos com Iago Santos, CEO e cofundador da empresa:

1. O que faz o TrazFavela?
A proposta do TrazFavela é levar produtos da periferia para fora e de fora para a periferia, fazendo a ponte entre esses dois mundos. Nosso intuito é quebrar o preconceito de que quem é da periferia sempre é bandido. Tem muita gente boa dentro da periferia e nós tentamos reforçar sempre isso.

2. Como surgiu a startup?
A ideia surgiu em 2016, quando houve o boom dos deliveries. Na época, percebi que onde eu moro, apesar de ter uma economia muito forte, não fazia parte da rota dos aplicativos. Identificando esse problema e sabendo da potencialidade do meu bairro, vi o atendimento a comerciantes da região como uma oportunidade de negócio. Em agosto de 2018, eu e os outros cofundadores, Marcos Silva e Ana Luiza Sena, validamos a ideia no Startup Weekend Salvador, mas foi apenas em setembro de 2019 que iniciamos efetivamente a operação.

3. Atualmente, em que estágio está o TrazFavela?
Estamos na fase de MVP/Operacional e voltados para o público B2B. Por ainda não termos o nosso aplicativo, atuamos por meio do WhatsApp intermediando o contato do comerciante com o entregador. O processo de retirada do produto no estabelecimento e entrega ao comprador costuma durar de 20 minutos a 1 hora.

4. Qual é a abrangência do negócio?
Atendemos 51 estabelecimentos de todas as regiões. A maioria dos comerciantes cadastrados são de áreas periféricas e boa parte das nossas entregas são locais que já têm algum tipo de serviço de delivery, mas não pegam de periferias.

5. Por causa da pandemia a demanda por delivery aumentou no Brasil. Como o TrazFavela está passando por esse momento?
Foi totalmente favorável para a gente. Como não há nenhum tipo de delivery que atua com empreendedores, ganhamos muita visibilidade e assim conseguimos crescer 500% só no segundo trimestre desse ano. De março a junho realizamos mil entregas, enquanto no primeiro trimestre estávamos chegando a 100. Para se ter uma ideia, em fevereiro fizemos 19 entregas. Em março, esse número subiu para 45. Em abril já foi para 119. Com isso, conseguimos totalizar em seis meses 2 mil entregas.

6. O que foi preciso fazer para que o crescimento exponencial não prejudicasse a qualidade do serviço?
Esse processo foi realizado de forma gradual, conforme o aumento da demanda. Nós adquirimos um sistema de multi-atendimento pelo WhatsApp e expandimos o quadro de entregadores, passando de 10 no início do ano para 38 em setembro. Assim, estamos crescendo tanto na nossa operação quanto no desenvolvimento do negócio para que possamos entregar os produtos o mais rápido possível.

7. Como se dá o vínculo entre o entregador e o TrazFavela?
Com a chegada da pandemia, as pessoas que ficaram desempregadas e não estavam conseguindo renda nos procuraram e começaram a empreender prestando esse tipo de serviço para nós. No modelo que usamos hoje, os entregadores não ficam presos a nós, então utilizam o TrazFavela como uma renda complementar, recebendo o valor total do frete, que é calculado por quilometragem.

8. Existe um plano de expansão para outras cidades do Brasil?
Estamos nos estruturando para expandir para cidades vizinhas, mas nosso objetivo também é ir para São Paulo – que tem uma das maiores favelas da América Latina -, Rio de Janeiro, Recife. Assim que conseguirmos atuar bem nessas capitais, queremos atingir o Norte também, pois recebemos bastante procura de pessoas que querem levar o TrazFavela para lá.

9. O TrazFavela participou do ciclo 2020.1 do programa InovAtiva Brasil. O que você destaca dessa experiência?
Foi uma experiência muito boa pela possibilidade de construção e fortalecimento da estrutura da nossa startup. O InovAtiva Brasil nos ajudou muito com a parte humana do negócio e com a conexão com investidores. Por ser um grande programa aceleração de startups, vimos nele uma oportunidade de adquirir experiência em âmbito nacional.

10. Recentemente vocês começaram a fazer parte do Black Founders Fund. Como está sendo esse processo?
Na verdade, por a gente já ter passado pelo Startup Zone, um processo de aceleração do Google, a gente já tinha essa relação com a empresa, por isso conseguimos participar do fundo, que está sendo uma experiência muito boa. Estamos rodando Bootstrap há um ano e nossos recursos estavam acabando. Com este investimento, pudemos evoluir alguns processos, na parte operacional e conseguiremos finalizar nosso aplicativo e nos consolidar na capital baiana.

Conheça outras startups que participaram do programa de aceleração InovAtiva Brasil.

O InovAtiva Brasil está com as inscrições abertas para o ciclo 2020.2

Estão abertas as inscrições para o InovAtiva Brasil 2020.2. Até o dia 3 de agosto, soluções brasileiras inovadoras de qualquer segmento e região do país que quiserem participar do próximo ciclo do maior programa de aceleração de startups da América Latina podem se cadastrar no site https://www.inovativabrasil.com.br/

Ao longo de seus sete anos de existência, o InovAtiva Brasil acelerou 1064 startups, capacitou mais de 2 mil empreendedores e conectou centenas de startupeiros a investidores que vieram a aportar seus negócios. Além disso, o networking promovido pelo programa também foi responsável pela criação de parcerias entre os próprios participantes.

Para a Simplifica Fretes, por exemplo, que participou do ciclo 2017.2, o InovAtiva Brasil gerou inúmeros benefícios. “A aceleração no InovAtiva Brasil foi fundamental para estruturamos a empresa como um todo. Por meio do programa, também desenvolvemos duas parcerias: uma com a startup Masterfreela, que participou do mesmo ciclo que a gente, e outra indicada pelo nosso mentor, Alexandre Barros, com a FIEMG”, comenta Eduardo Labre, CEO da Simplifica Fretes.

Sobre o ciclo 2020.2

Até 160 startups serão selecionadas para participar, durante quatro meses, do processo online de aceleração do InovAtiva Brasil, que inclui mentorias, treinamentos, webinars e muito mais, para capacitá-las e ajudá-las a impactar os jurados que vão avaliar seus pitches na banca final.

O tema desta edição será “Além do Vale do Silício: um Brasil que respira inovação”, mostrando que o país tem tanto a contribuir para a cultura empreendedora quanto a famosa região dos Estados Unidos que abriga desde startups iniciantes até aquelas que se desenvolveram e se tornaram grandes empresas, como o Facebook.

As startups que cumprirem todas as atividades obrigatórias, incluindo a participação no InovAtiva Experience, evento de encerramento do ciclo, serão consideradas aceleradas e passarão a ter acesso a oportunidades exclusivas, como descontos em eventos, cursos e programas de informática. Além disso, as 12 soluções que se destacarem, receberão uma placa de reconhecimento por toda a sua dedicação e esforço.

Se você ainda não se inscreveu, não perca mais tempo! Acesse https://www.inovativabrasil.com.br/ciclo20202/ e faça o seu cadastro!

Maior programa de aceleração da América Latina chega a 1 mil startups aceleradas

Nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro, o InovAtiva Experience reuniu empreendedores, mentores, investidores, grandes empresas e importantes agentes fomentadores de startups para o término do ciclo de aceleração InovAtiva Brasil 2019.2.

O evento ocorreu na Escola de Negócios do Sebrae, em São Paulo, e contou com a presença de mais de 400 participantes, sendo 108 startups, 181 empreendedores e cerca de 170 investidores e mentores. No final de semana, eles tiveram a oportunidade de participar de 60 atividades, entre mentorias, treinamentos de pitchs e palestras.

Na segunda-feira, apresentaram seus negócios para a maior banca de investidores do país e puderam participar da cerimônia de encerramento deste ciclo do programa, que elegeu 14 startups como destaques, sendo duas em cada categoria:

  • Banca 1: Comércio & Setor Financeiro – Pricefy, plataforma que aumenta a venda dos varejistas automatizando a divulgação das promoções nas mídias online e offline, e ZH Soluções Especialistas, modelo SaaS que permite a gestão, saneamento e enriquecimento de todos os tipos de cadastros de empresas;
  • Banca 2: Educação & Recursos Humanos – Jovens Gênios, plataforma digital adaptativa de aprendizagem gamificada para o ensino Fundamental II, e AppGuardian, solução tecnológica que ajuda pais e filhos a organizarem suas rotinas no mundo digital;
  • Banca 3: Indústria & Jurídico – James Tip, startup que atua com indústrias, distribuidores e varejistas para aumentar o faturamento e reduzir as rupturas de estoque de seus clientes, e Crave Industry, empresa que desenvolve soluções Digital Twin embasadas em conceitos de Indústria 4.0 para o segmento industrial;
  • Banca 4: Marketing & Serviços – Implanta IT Solutions, solução de inteligência de dados com recursos de inteligência artificial que aproxima a indústria do seu consumidor final, e Peepi, ferramenta que ajuda empresas a identificar, engajar e mobilizar seus defensores para que façam ações pela marca, como compartilhamento de conteúdo em redes sociais, reviews, depoimentos, indicações e produção de conteúdo;
  • Banca 5: Alimentação & Saúde – Far-me, primeira empresa do Brasil a oferecer o serviço de dispensação customizada que torna a utilização de tratamentos contínuos mais simples e segura, e PWTECH, sistema de purificação que transforma água contaminada em água potável;
  • Banca 6: Tecnologia, Construção & Setor Imobiliário – T&D Sustentável, desenvolvedora e comercializadora de projetos com foco na redução do consumo de água de seus clientes, e Data2go, startup que impulsiona o crescimento de empresas PME’s por meio de soluções de inteligência que transformam dados simples em informações estratégicas;
  • Banca 7: Impacto social e ambiental – Coletando Soluções, primeira fintech do mundo a disponibilizar pontos móveis que trocam lixo por dinheiro em comunidades vulneráveis, e Cycor Cibernética, startup desenvolvedora do primeiro exoesqueleto do Brasil, que pode ser usado por pessoas paraplégicas totais e tetraplégicas parciais.

InovAtiva Conecta

No período da tarde do dia 02 de dezembro, o InovAtiva realizou a conexão de empreendedores com grandes empresas. Todos os participantes se inscreveram previamente no site do programa, contando o que poderiam oferecer (no caso das startups aceleradas de ciclos anteriores) ou o que estavam buscando (tratando-se das grandes empresas).

A partir desses dados, a equipe do InovAtiva fez uma triagem de quais soluções poderiam melhor atender as necessidades de organizações como Bosch, Vale, Johnson & Johnson, ThermoFisher Scientific, Andrade Gutierrez, Magazine Luiza, entre outras.

Ao todo, foram executadas oito rodadas de negócios, de 20 minutos cada, com cinco aceleradoras, cinco fundos de investimento/associações de investidores anjos e 10 companhias com programas de interação com startups.

Quais os benefícios de um programa de aceleração para startups maduras?

Com base em seus seis anos de atuação, o InovAtiva Brasil percebeu que soluções mais desenvolvidas conseguem aproveitar melhor o que um programa de aceleração de startups tem a oferecer e, assim, têm mais chances de realizar negócios por meio deste.

Por esse motivo, em 2019 ele mudou seu formato, passando a selecionar startups em fase de operação e/ou tração para ganhar visibilidade, se conectar com investidores e grandes empresas, além de fazer parte do time de aceleradas do maior programa de aceleração de startups da América Latina.

Com isso, o foco do InovAtiva se tornou impulsionar o crescimento das startups, garantindo que elas atinjam seus objetivos com uma maior velocidade, estabilidade e lucratividade. Para isso, oferece palestras, mentorias, treinamentos de pitch e dá a oportunidade das empresas se apresentarem à maior banca de investidores do país.

Os empreendedores também podem fazer networking e trocar experiências com startupeiros de todo o brasil, dos mais diversos segmentos, mas que possuem o mesmo nível de conhecimento que eles, gerando parcerias e o aprimoramento de seus produtos ou serviços.

Esse é o caso da Jovens Gênios, por exemplo. A startup eleita como destaque do InovAtiva 2019.2, que individualiza e torna o aprendizado mais divertido para os alunos, além de aumentar a participação dos pais no acompanhamento do desempenho dos filhos, já está atendendo mais de 120 escolas de cinco estados brasileiros.

De acordo com Bernard Caffé, Cofundador e Diretor Comercial da empresa, além de todo aprendizado que o InovAtiva proporciona, ele também gera um respaldo governamental. “Desde o primeiro contato, até toda a trilha, foi muito legal ver o quanto que a equipe do InovAtiva está disposta a nos ajudar e nos amparar em todo esse processo. É impressionante ver como crescemos desde que entramos no programa. Para completar a aceleração, passamos pelo InovAtiva Experience, no qual tivemos a oportunidade de receber mentorias, assistir palestras fantásticas e até criamos parcerias durante esse período”, completa Caffé.

inovativa@inovativabrasil.com.br