Posts

Startup ajuda supermercados a reduzirem o prejuízo com alimentos vencidos em até 94%

A startup Total Strategy desenvolveu um aplicativo capaz de identificar itens que estão se aproximando da data de validade e oferecer aos supermercados alternativas para evitar que os produtos sejam descartados.

O app conta com três ferramentas. A primeira, chamada Big, disponibiliza dados sobre o supermercado e, a partir do acompanhamento desses dados, fornece informações sobre como dar um fim adequado aos produtos. A ferramenta Box faz a gestão da informação e avisa o supermercadista sobre os itens que precisam ser repostos, auxiliando em serviços gerais. A terceira ferramenta é a Eco, loja online em que as mercadorias próximas do vencimento são colocadas em promoção ou doadas para ONGs.

“Em média, os supermercados jogam fora R$3 mil em produtos vencidos por mês. Conseguimos ajudá-los na economia de 80% a 94% deste valor.”, comenta Cynara Bahia, CEO da Total Strategy.

A startup foi criada em 2016. Na época, Cynara e seus dois sócios, Ricardo Crispim e Waltenes Sardinha, criaram um aplicativo que permitia que promotores de venda e repositores cadastrassem o código de barras, a data de validade e a foto dos produtos que existiam em suas lojas. “Quando disponibilizamos essa ferramenta, em instantes já tínhamos 3 mil downloads e promotores de venda contando as suas experiências”, conta a empreendedora.

Em 2019, a startup mudou seu foco e passou a oferecer a tecnologia diretamente para os supermercados, uma vez que são eles os prejudicados com o vencimento dos produtos. Em busca de qualificação técnica para atingir esse público, os empreendedores decidiram inscrever a startup em programas de aceleração.

No segundo semestre de 2020, participou simultaneamente dos programas InovAtiva de Impacto e InovAtiva Brasil e foi destaque na categoria Tecnologia da Informação e Comunicação.

De acordo com Cynara, a participação no InovAtiva a ajudou no processo de organização e gestão da equipe. “Todo o conhecimento adquirido foi aplicado em seguida. Parece até inexplicável a nossa evolução de 1º de janeiro de 2020 para 31 de dezembro de 2020. Nós participamos de todas as atividades do InovAtiva, mesmo as não obrigatórias, porque acreditamos que sempre temos algo para aprender”, destaca a CEO.

Em 2020, a Total Strategy participou também do Programa Centelha, do programa de aceleração da Cotidiano e do Conecta Startup Brasil.

Para 2021, um dos objetivos da startup é se preparar para participar de programas internacionalização (conheça o StartOut Brasil, programa de apoio à internacionalização de startups brasileiras).

Startup aumenta em 275% a média de novos cadastros durante o programa de aceleração InovAtiva Brasil

Durante o ciclo de aceleração 2020.2, o programa InovAtiva Brasil ajudou diversos empreendedores a validarem suas soluções, receberem orientações de melhorias e, até mesmo, a reestruturarem seus negócios. Esse foi o caso da Atom Planner e da Bibliomundi, startups das áreas de Tecnologia da Informação & Comunicação e Entretenimento & Marketing, respectivamente.

A Bibliomundi oferece soluções em autopublicação, distribuição, envios e vendas diretas de ebooks. Raphael Sacchin, CEO da startup, conta que, durante o período de aceleração, a empresa conseguiu aumentar em 275% a quantidade média de cadastro de novos ebooks mensais.

“Com a capacitação promovida pelo InovAtiva Brasil, fizemos uma completa reavaliação da jornada dos nossos clientes B2B e B2C. Com isso, identificamos novas etapas e métricas de conversão e reestruturamos nosso método funil de vendas para melhorar nossa taxa de fechamento de contratos com novos clientes”, afirma o empreendedor.

Outra startup que o programa ajudou foi a Atom Planner, que apoia empresas na otimização do uso compartilhado e restrito de recursos – máquinas, materiais, mão-de-obra e dinheiro, por exemplo. O objetivo é ajudar na utilização adequada dos recursos disponíveis, evitando o desperdício e reduzindo o custo do projeto. Com a pandemia, Peter Mello, CEO da startup, viu alguns clientes deixarem a plataforma ou diminuírem sua interação. Porém, segundo Mello, com a ajuda de especialistas do programa, a startup conseguiu se reerguer.

“Os mentores do InovAtiva nos fizeram perceber a necessidade de um spin-off (criação de uma nova empresa ou produto a partir do negócio atual) da empresa. Por isso, durante o processo de aceleração, recuperamos o conceito de MVP (Produto Mínimo Viável) e, em seguida, conseguimos validar um novo modelo de negócios que reduziu a exigência de investimento imediato em desenvolvimento e permitiu que começássemos a atender qualquer cliente mais rapidamente”, comenta.

Agora, a startup não depende mais da integração com outras ferramentas para funcionar. Ela permite que o usuário continue utilizando o software que está acostumado, mas oferece a possibilidade de usar a solução da Atom Planner para identificar maneiras de reduzir custos e antecipar entregas de projeto.

O ciclo de aceleração 2020.2 do programa InovAtiva Brasil aconteceu de 15/09/2020 até 14/12/2020. Durante os meses de aceleração, as startups participaram de atividades de capacitação como mentorias individuais e coletivas sobre temas variados – Marketing Digital, Estratégia e Modelo de Negócios, Tipos de Investimento e Modelagem Financeira, por exemplo. É possível conferir algumas das atividades realizadas por meio do canal do InovAtiva no YouTube.

Após o período de aceleração, as startups apresentaram suas soluções no InovAtiva Experience, evento que encerra o ciclo de aceleração. Veja quais foram os empreendimentos que chegaram até a última etapa do programa: Encarte InovAtiva Experience.

Sobre a Atom Planner

A startup apoia empresas na otimização do uso compartilhado e restrito de recursos, bem como a ideação, planejamento e execução de estratégias e projetos. Em 2018, ganhou o prêmio de Startup Destaque pelo Sinfor/Sebrae. No ano seguinte, participou de eventos internacionais da Softex/Brasil IT+ em parceria com a ISG e lançou o Kanvas.Cards, tendo o Senai como primeiro cliente corporativo.

Em 2020, ingressou nos programas Power To Innovate, da Shell; Scale Up, da Microsoft; Think, Build, Grow, da IBM; e InovAtiva Brasil, do Ministério da Economia e Sebrae. Além disso, foi finalista do MIT Entrepreneurship Bootcamp, indicada para o prêmio de inovação INNXbr e uma das 33 selecionadas pela Apex Brasil para o Web Summit em Portugal.

Sobre a Bibliomundi

Fundada em 2014, a Bibliomundi é uma pubtech que integra serviços digitais para o mercado editorial. Nos últimos quatro anos, segundo o fundador Raphael Secchin, a startup atendeu mais de 15 mil autores, 47 editoras e transacionou mais de 1.5 milhões de ebooks em diferentes lojas, marketplaces e streamings, desenvolvendo ferramentas e suporte para todos os agentes da cadeia.

Em 2020, passou pelos programas de aceleração InovAtiva Brasil, Cotidiano e ACE. Além disso, a empresa é membra da Câmara Brasileira do Livro (CBL), da Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) e da internacional EDItEUR.

68 Startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil foram selecionadas para o Raking 100 Open Startups 2020

Em sua quarta edição, o Ranking 100 Open Startups premiou 68 empresas aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil. O levantamento mede a atratividade das startups por meio das suas relações com grandes corporações e as classifica de duas formas:

  • TOP 100 Open Startups: elenca as soluções que mais despertaram a atenção de grandes organizações nos últimos 12 meses. Nesta lista, 29 empresas aceleradas foram premiadas pela quantidade de contratos assinados com essas instituições;
  • TOP 10 Categorias: considerando 25 segmentos, o ranking lista as dez soluções que se sobressaíram em suas áreas de atuação. Ao todo, 67 aceleradas foram destacadas em ao menos um deles. Além disso, seis startups ficaram em primeiro lugar nas categorias às quais haviam sido indicadas: VgResíduos (IndTechs), Standout (RetailTechs), Comprovei (LogTechs), Regenera Moléculas do Mar (BioTechs), CUBi Energia (EnergyTechs) e Simplifca Fretes (Marketplace).

Para Mário Frota Jr., sócio-fundador e diretor-presidente da Regenera Moléculas do Mar, criadora do primeiro e único banco de micro-organismos de origem marinha do país, o InovAtiva Brasil foi muito importante nesta vitória, visto que foi devido ao aprendizado adquirido durante o ciclo de aceleração que a companhia amadureceu.

Dessa forma, segundo o empreendedor, os resultados alcançados em 2020 superaram as expectativas da startup. “Na prática, conseguimos manter os contratos com grandes empresas que já estavam em vigência antes da pandemia. Também aumentamos o portfólio de projetos e parceiros, consolidando cada vez mais o nosso modelo de negócio e proposta de valor. O sentimento é de extrema gratidão por todos aqueles que seguiram acreditando nas nossas soluções”, comenta Frota.

A CUBi, startup que oferece uma solução completa de gestão e otimização do consumo de eletricidade, também foi uma das premiadas. De acordo com Rafael Turella, cofundador e diretor comercial da empresa, mudar o foco foi importante para superar desafios ao longo do ano.

“No ano passado, miramos nossos esforços para o desenvolvimento do produto e na organização da CUBi, mas em 2020 optamos pelo crescimento comercial. Isso nos ajudou a firmar contratos com grandes clientes. Foram esses relacionamentos que nos ajudaram a alcançar o 1º lugar no ranking de EnergyTechs pela primeira vez”, conta o empreendedor.

Essa vitória, sem dúvida, só foi possível devido a todos os aprendizados, experiências e trocas que tivemos durante os variados programas de aceleração que participamos, como o InovAtiva Brasil, que se destacou por nos colocar em contato com outras realidades do país e com empreendedores que não são da comunidade de São Paulo, onde está localizada a nossa sede”, completa Turella.

Quer conhecer um pouco mais sobre a Regenera Moléculas do Mar e a CUBi? Confira a seguir:

Sobre a Regenera Moléculas do Mar

Localizada na Incubadora Empresarial do Centro de Biotecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Regenera Moléculas do Mar foi fundada em 2010 para disponibilizar soluções sustentáveis em biotecnologia a partir do ambiente marinho. Em 2014, conquistou um investimento anjo e obteve a primeira licença especial para bioprospecção na Amazônia Azul. No ano seguinte, foi acelerada pelo InovAtiva Brasil.

Sobre a CUBi

A CUBi é uma startup que utiliza IoT e Big Data para auxiliar os setores comercial e industrial no entendimento e gestão de seu consumo de energia elétrica. A empresa, acelerada pelo programa InovAtiva Brasil no ciclo 2017.2, está inserida também nos ecossistemas de empreendedorismo dos Estados Unidos e Portugal.

Startup Awards premia duas startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil, Shawee e Transfeera

Durante o CASE + Startup Summit 2020, ocorreu a cerimônia do Startup Awards, também conhecido como o Oscar das startups brasileiras. Na ocasião, duas aceleradas pelo InovAtiva Brasil foram premiadas: a plataforma de gerenciamento para hackatons Shawee, na categoria Startup do Ano, e a fintech Transfeera, como Startup Revelação.

“Foi muito especial receber essa premiação. Tratamos isso como um reconhecimento à dedicação e ao trabalho do time, que confia no nosso potencial, acredita na história que construímos juntos e continua trabalhando para entregar a melhor solução aos problemas dos clientes e parceiros. O ano de 2020 foi desafiador, mas a equipe não desanimou e continuou acreditando no nosso plano de desenvolvimento”, comenta Guilherme Verdasca, CEO e cofundador da Transfeera, fintech open banking.

Para Rodrigo Terron, CEO da Shawee, ser eleita como Startup do Ano mostra que a empresa atingiu o seu maior objetivo: ser um negócio que gera impacto social, empregabilidade e conexão com o mercado.

“Em 2018 a gente ficou no TOP 10 e não chegou nem no TOP 3. Quando vi que fomos considerados como uma das principais soluções de 2020, fiquei muito animado, mas não imaginei que ganharíamos esse prêmio. Por isso, quando o resultado foi anunciado, fiquei surpreso e, ao mesmo tempo, emocionado”, afirma Terron.

As duas startups foram aceleradas pelo InovAtiva Brasil e acreditam que o programa contribuiu com essa conquista, seja pelo aprendizado adquirido no processo ou pela visibilidade gerada. De acordo com o CEO da Shawee, a aceleração gera insights para a melhoria do negócio e conexões valiosas.

Verdasca complementa que essa experiência rendeu o seu primeiro contato com o mundo do empreendedorismo. “Foi durante a aceleração que aprendemos as tarefas necessárias para o dia a dia dos negócios, recebemos feedbacks e melhoramos o nosso produto. Também fomos selecionados pelo Facebook, como uma das 10 empresas mais inovadoras da turma. Esse reconhecimento foi essencial para chegarmos aonde estamos hoje”, relata o CEO da Transfeera.

Ambas as startups têm um ponto em comum: não se deixaram afetar pela pandemia e conseguiram superar as expectativas em termos de faturamento para o ano de 2020. Agora, elas pretendem ir ainda mais longe, expandindo suas atuações e se consolidando como referência em seus mercados de atuações.

“Sabemos que, no Brasil, o que dificulta o crescimento das organizações é a falta de mão de obra qualificada. Por isso, estamos iniciando uma nova fase na Shawee em que assumimos a responsabilidade de mudar essa realidade. Dessa forma, esperamos conseguir formar e impactar, até o final de 2023, 100 mil novos programadores e desenvolvedores e posicioná-los no mercado, ajudando na transformação digital das empresas e no crescimento das startups”, finaliza Terron.

TrazFavela: Delivery para a periferia cresce 500% durante a pandemia

O programa InovAtiva Brasil está sempre em busca de ideias disruptivas que ajudam a solucionar dores da sociedade. No ciclo 2020.1, encontrou isso no TrazFavela, delivery sem preconceito que tem como objetivo buscar e entregar produtos em regiões periféricas da cidade de Salvador.  A startup, que está operando desde setembro de 2019, viu seus negócios expandirem 500% no terceiro trimestre deste ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Para saber mais sobre esse processo de crescimento e consolidação no mercado, conversamos com Iago Santos, CEO e cofundador da empresa:

1. O que faz o TrazFavela?
A proposta do TrazFavela é levar produtos da periferia para fora e de fora para a periferia, fazendo a ponte entre esses dois mundos. Nosso intuito é quebrar o preconceito de que quem é da periferia sempre é bandido. Tem muita gente boa dentro da periferia e nós tentamos reforçar sempre isso.

2. Como surgiu a startup?
A ideia surgiu em 2016, quando houve o boom dos deliveries. Na época, percebi que onde eu moro, apesar de ter uma economia muito forte, não fazia parte da rota dos aplicativos. Identificando esse problema e sabendo da potencialidade do meu bairro, vi o atendimento a comerciantes da região como uma oportunidade de negócio. Em agosto de 2018, eu e os outros cofundadores, Marcos Silva e Ana Luiza Sena, validamos a ideia no Startup Weekend Salvador, mas foi apenas em setembro de 2019 que iniciamos efetivamente a operação.

3. Atualmente, em que estágio está o TrazFavela?
Estamos na fase de MVP/Operacional e voltados para o público B2B. Por ainda não termos o nosso aplicativo, atuamos por meio do WhatsApp intermediando o contato do comerciante com o entregador. O processo de retirada do produto no estabelecimento e entrega ao comprador costuma durar de 20 minutos a 1 hora.

4. Qual é a abrangência do negócio?
Atendemos 51 estabelecimentos de todas as regiões. A maioria dos comerciantes cadastrados são de áreas periféricas e boa parte das nossas entregas são locais que já têm algum tipo de serviço de delivery, mas não pegam de periferias.

5. Por causa da pandemia a demanda por delivery aumentou no Brasil. Como o TrazFavela está passando por esse momento?
Foi totalmente favorável para a gente. Como não há nenhum tipo de delivery que atua com empreendedores, ganhamos muita visibilidade e assim conseguimos crescer 500% só no segundo trimestre desse ano. De março a junho realizamos mil entregas, enquanto no primeiro trimestre estávamos chegando a 100. Para se ter uma ideia, em fevereiro fizemos 19 entregas. Em março, esse número subiu para 45. Em abril já foi para 119. Com isso, conseguimos totalizar em seis meses 2 mil entregas.

6. O que foi preciso fazer para que o crescimento exponencial não prejudicasse a qualidade do serviço?
Esse processo foi realizado de forma gradual, conforme o aumento da demanda. Nós adquirimos um sistema de multi-atendimento pelo WhatsApp e expandimos o quadro de entregadores, passando de 10 no início do ano para 38 em setembro. Assim, estamos crescendo tanto na nossa operação quanto no desenvolvimento do negócio para que possamos entregar os produtos o mais rápido possível.

7. Como se dá o vínculo entre o entregador e o TrazFavela?
Com a chegada da pandemia, as pessoas que ficaram desempregadas e não estavam conseguindo renda nos procuraram e começaram a empreender prestando esse tipo de serviço para nós. No modelo que usamos hoje, os entregadores não ficam presos a nós, então utilizam o TrazFavela como uma renda complementar, recebendo o valor total do frete, que é calculado por quilometragem.

8. Existe um plano de expansão para outras cidades do Brasil?
Estamos nos estruturando para expandir para cidades vizinhas, mas nosso objetivo também é ir para São Paulo – que tem uma das maiores favelas da América Latina -, Rio de Janeiro, Recife. Assim que conseguirmos atuar bem nessas capitais, queremos atingir o Norte também, pois recebemos bastante procura de pessoas que querem levar o TrazFavela para lá.

9. O TrazFavela participou do ciclo 2020.1 do programa InovAtiva Brasil. O que você destaca dessa experiência?
Foi uma experiência muito boa pela possibilidade de construção e fortalecimento da estrutura da nossa startup. O InovAtiva Brasil nos ajudou muito com a parte humana do negócio e com a conexão com investidores. Por ser um grande programa aceleração de startups, vimos nele uma oportunidade de adquirir experiência em âmbito nacional.

10. Recentemente vocês começaram a fazer parte do Black Founders Fund. Como está sendo esse processo?
Na verdade, por a gente já ter passado pelo Startup Zone, um processo de aceleração do Google, a gente já tinha essa relação com a empresa, por isso conseguimos participar do fundo, que está sendo uma experiência muito boa. Estamos rodando Bootstrap há um ano e nossos recursos estavam acabando. Com este investimento, pudemos evoluir alguns processos, na parte operacional e conseguiremos finalizar nosso aplicativo e nos consolidar na capital baiana.

Conheça outras startups que participaram do programa de aceleração InovAtiva Brasil.

Conheça 4 fintechs que têm mais de um setor de atuação

O mercado de fintechs vem crescendo ano após ano. Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), este é o segundo setor com mais soluções tecnológicas inovadoras, ficando atrás apenas da área educacional. Além disso, de 2015 a 2019 apresentou um aumento de 28,3%.

Neste cenário competitivo, Confira 4 startups aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil que adotaram esse modelo e conheça seus diferenciais:

Construção Civil

O OrçaFascio é um software de orçamento de obras focado na facilidade de uso. Desenvolvido para seguir rigorosamente todos os padrões e as normas do Tribunal de Contas da União (TCU), com uma detalhada assertividade e precisão nos cálculos, é considerado por especialistas um dos melhores softwares para concorrer a licitações públicas no Brasil. O sistema conta com 19 bases de composição, incluindo SINAPI, SICRO e SBC, todas atualizadas de forma automática e sem custo adicional para o usuário. A startup também fornece medição, diário de obra e módulo compras.

Cultura

A CREBIT desenvolveu um cartão digital que promove a inclusão do público jovem que não tem acesso a crédito tradicional, mas quer e precisa comprar serviços e produtos online. Tudo isso com uma experiência financeira diferente, simples e completa, com taxas revertidas em bônus no celular, games, cinema, entre outros. E o melhor: sem chances de dívidas.

Educação

O Juros Baixos é um comparador de serviços financeiros e canal de educação financeira. Sua missão é facilitar e guiar decisões monetárias conscientes e inteligentes com base nos valores de transparência, objetividade, liberdade, autonomia e foco no usuário. A startup também oferece crédito, investimentos, seguros, serviços bancários, meios de pagamento, câmbio, gestão de recursos e assessoria financeira.

Reciclagem

A Coletando é a primeira Green Fintech do mundo a disponibilizar pontos móveis, que promove uma economia circular ecológica, trocando lixo por dinheiro em comunidades. A startup oferece oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social de renda imediata, bancarização para acesso a oferta de serviços diversos, bem como a melhoria da qualidade ambiental. Isso porque o usuário que entrega os resíduos recebe uma conta digital com ou sem cartão físico, na qual é depositado um valor monetário referente ao que ele entregou.

Quer conhecer outras fintechs que participaram dos programas de aceleração InovAtiva Brasil e InovAtiva de Impacto? Acesse a lista completa de aceleradas.

InovAtiva Brasil divulga a lista das startups pré-aprovadas para o ciclo 2020.2

Dentre 473 inscrições, o InovAtiva Brasil selecionou 127 startups para participar da segunda etapa de triagem para escolha das soluções que passarão pelo processo de aceleração do programa. De 04 a 14 de agosto, cada uma das empresas inscritas foi analisada por três avaliadores com base nos seguintes critérios:

    1. Estágio de operação:  A startup possui registro CNPJ, desenvolve soluções inovadoras em produtos ou serviços e tem as primeiras vendas já realizadas ou uma base crescente de usuários?
    2. Faturamento: A empresa teve faturamento inferior a R$ 4,8 milhões no último ano contábil?
    3. Formulário de inscrição: As informações disponibilizadas apresentavam aspectos gerais do negócio proposto e da equipe participante? Estavam em português?
    4. Grau de Inovação: A solução e/ou modelo de negócios é disruptiva, altamente inovadora ou difícil de ser copiada?
    5. Potencial de Mercado: A empresa possui gestão profissionalizada e base crescente de clientes pagantes, com previsibilidade de vendas futuras?
    6. Maturidade da Solução: O modelo de negócios está consolidado? Há quanto tempo está no mercado?
    7. Equipe: Por quem a empresa é formada? Quais são suas expertises?

Agora, as 127 pré-selecionadas passarão, até o dia 11 de setembro, por mais um processo de avaliação que será composto pela etapa de entrevistas onlines com um gestor de relacionamento. Depois disso, o Comitê Gestor (composto por integrantes das entidades realizadoras e executora do programa) terá até o dia 14 de setembro para divulgar a lista final das startups aprovadas para participarem do Ciclo 2020.2.

Para saber quais foram as startups aprovadas na primeira parte da triagem, acesse: https://www.inovativabrasil.com.br/startups-pre-aprovadas-ciclo-2020-2/

Gomining é destaque na categoria saúde e educação do InovAtiva Brasil 2020.1

A Gomining, localizada em Caxias do Sul (RS), é uma startup focada na análise e avaliação automática de textos. Em julho de 2020, ela apresentou seu pitch para a maior banca de investidores do país durante o InovAtiva Experience, onde conquistou público e foi eleita como destaque na categoria Saúde e Educação.

Segundo Daniel Epstein, CTO da empresa, o Experience, evento de conclusão do ciclo de aceleração, foi uma excelente oportunidade para realizar networking e aprimorar seu pitch, com base nos feedbacks recebidos dos mentores e investidores que assistiram sua apresentação no Demolation.

“Nos inscrevemos no InovAtiva para tentar entender melhor o mundo empresarial e podermos tomar decisões relacionadas aos produtos e à empresa com mais embasamento. O programa estava muito bem organizado e executado. Todo o suporte foi excelente”, comenta Epstein.

Sobre a Gomining

A ideia surgiu durante o estudo para o doutorado. Ao final de cada semestre, Epstein e seus sócios (assim como praticamente todos os professores EaD do país) se viam diante de uma quantidade gigantesca de redações para corrigir. Essa atividade se tornou um fardo, visto que era impossível fornecer comentários personalizados quando se tinha milhares de textos para revisar em poucos dias.

“Pensamos que deveria ter uma forma de avaliar os estudantes de maneira automática, para de fato fornecer um feedback personalizado e ajudar aqueles que precisavam. Com isso, surgiu a pesquisa inicial na área de mineração de textos e análise de conteúdo, o que futuramente foi desenvolvido como uma solução de negócio escalável e fácil de integrar em qualquer ambiente virtual de aprendizagem”, relembra o empreendedor.

Após identificar o problema, um time interdisciplinar altamente qualificado desenvolveu algoritmos de mineração de texto e inteligência artificial. Esses especialistas, dois Doutores na área de Informática na Educação pela UFRGS e uma Mestra em Marketing, tornaram-se os sócios fundadores da Gomining, startup que analisa redações de estudantes e fornece feedback personalizado, ao mesmo tempo que disponibiliza dados e métricas para sinalizar às instituições de ensino e professores quais são os alunos que apresentam maiores dificuldades.

As possibilidades de aplicações da tecnologia são inúmeras, desde correção de vestibulares e ENEM até internacionalização do produto. Porém, como a nossa equipe ainda tem uma forte raiz de pesquisa e docência e pouca experiência na área de gestão e financeira, não sabíamos ao certo como proceder ou escolher a melhor forma para a empresa crescer. O InovAtiva nos ajudou a dar uma direção para a startup”, finaliza o CTO.

12 Aceleradas InovAtiva Brasil são destaques no ranking 100 Startups To Watch 2020

Realizado em parceria pela Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Época Negócios, EloGroup e Corp.vc., o ranking 100 Startups to Watch elegeu 12 aceleradas InovAtiva Brasil como as empresas mais inovadoras e promissoras do país. São elas: Grão Direto, Safe Trace, JetBov, Cubi Energia, Easy Crédito, Sólides Tecnologia, Ramper, EPHealth, Fix It, Telavita, Justto e Polen.

Anualmente, o levantamento abre inscrições para todas as startups, não havendo preferência de setor ou tecnologia utilizada. Além disso, ele abrange empresas nos mais diversos estágios de maturidade (protótipo, validação, MVP, tração ou escala).

Ao todo, 1.972 empreendedores se inscreveram em um dos 10 setores disponíveis (agronegócios, educação, finanças, gestão, impacto social, marketing, saúde e bem-estar, serviços, tecnologia da informação e transporte e logística) por meio de um formulário composto por 85 questões sobre o potencial de inovação, tração comercial, tamanho da equipe e captação de investimentos.

Para a seleção dos 100 negócios brasileiros com maior potencial de inovação e crescimento, os projetos são avaliados por meio de uma rigorosa metodologia de análise de dados e um amplo conhecimento de mercado, que envolve o julgamento de cinco categorias: Negócio, Equipe, Grau de Inovação, Potencial de Mercado e Maturidade da Solução.

O InovAtiva Brasil parabeniza suas aceleradas e espera que muitas outras apareçam nos próximos rankings.

Para saber mais sobre o 100 Startups to Watch, acesse: https://revistapegn.globo.com/Startups-to-Watch/noticia/2020/08/100-startups-watch-empresas-mais-promissoras-do-ecossistema-brasileiro.html

137 startups são aprovadas para participar do InovAtiva Brasil 2020.1

Dentre as 694 inscrições realizadas por startups dos 27 estados brasileiros, o Programa de Aceleração InovAtiva Brasil selecionou 137 delas para participar do ciclo 2020.1. Elas são de 21 estados e estão localizadas, principalmente, nas regiões sul (38,7%) e sudeste (38%) do país.

Com faturamento anual bruto de até R$ 50 mil (40,9%), essas empresas atuam com modelo de negócio SaaS (44,5%) no ramo de serviços (13%). Elas possuem de um a quatro colaboradores fulltime (62,8%) e 73 delas já receberam aportes financeiros, oriundos, principalmente, de Investidores Anjos (53,7%).

No entanto, as startups ainda não tiveram oportunidade de se aproximar de nenhuma grande empresa (48,9%), nem passaram por programas de aceleração (64,2%) e não contam com negócios no exterior (89,8%), mas durante o ciclo do InovAtiva Brasil receberão informação e incentivo para mudar esse cenário.

Comparativo com o primeiro ciclo de 2019

Tanto no ciclo 2019.1 como no 2020.1, o estado com o maior número de startups selecionadas para participar do programa foi São Paulo, com 16 soluções no último ano e 35 este ano. E, assim como a região paulista, dois outros estados apresentaram grande crescimento no número de selecionadas: Santa Catarina (que foi de oito para 21) e Bahia (que passou de uma para cinco startups).

Além disso, neste ciclo a região sul ultrapassou a região sudeste em quantidade de selecionadas. A participação de startups do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande subiu de 35 para 38,7%. 

Para saber mais informações sobre as startups selecionadas para compor o time de aceleradas InovAtiva Brasil, acesse: https://www.inovativabrasil.com.br/perfil-inscritos-aprovados/

inovativa@inovativabrasil.com.br