Posts

Startups de impacto socioambiental são destaque no Demoday InovAtiva 2016.2

Mais do que gerar lucro e criar trabalho e renda, as startups também podem ter um grande impacto social e ambiental em uma comunidade ou em todo o país. No Demoday realizado nessa segunda-feira, 5 de dezembro, 15 empresas iniciantes com esse perfil, que foram aceleradas pelo programa nesse ciclo ou em edições anteriores, conquistaram lugar de destaque e tiveram um espaço especial para apresentar seus negócios a investidores focados nesse segmento na primeira edição do InovAtiva de Impacto. Como destaque, encontramos as duas startups de Santa Catarina: Sumá e ePHealth.

São empreendimentos capazes de mudar a realidade de muita gente, como na área de Educação. É o caso da Kiduca, uma plataforma educacional que já beneficiou mais de 10 mil alunos. “O nosso projeto nasceu em escola pública para atender escola pública”, explica o startupeiro Jorge Proença.

A startup Sumá quer reduzir distâncias na área agrícola. “Ela veio para fazer a conexão direta entre os produtores da agricultura familiar e o mercado consumidor”, explica o empreendedor Alexandre Lerípio. A plataforma ajuda a reduzir os intermediários e até mesmo oferece oportunidade logística para aqueles produtores que não conseguem atender às demandas diante dessa dificuldade.

Já a Tec Zelt desenvolveu uma tecnologia onde os próprios alunos criam games para aprender o conteúdo educacional. “Estamos em 20 escolas, beneficiando 22 mil alunos”, destaca a fundadora Carla Zelter.

A inclusão financeira foi a preocupação da startup Pop Recarga. Julio Figueiredo explica que a proposta do empreendimento é atender os 55 milhões de brasileiros, ou 40% da população do país, ainda não tem conta em banco. “O nosso objetivo é servir como o cartão de crédito desse público”, explica.

Os problemas da cidade também têm uma nova solução com a Urbotip. O startupeiro Paulo Faulstich criou uma ferramenta para a população reclamar. “Oitenta porcento dos moradores não conhecem os canais para resolver os problemas da cidade”, explica. Segundo ele, isso incluiu buracos, atendimento médicos, entre outros.

Cada vez mais, esses empreendimentos têm atraído um número maior de investidores. “Estou buscando startups de impacto social. Gostei muito e fiquei impressionada com a qualidade”, destaca Claudia Rosa Lopes, investidora representante da Rosa Gestão de Negócios.

Claudia acompanhou a apresentação de alguns empreendimentos durante a manhã desta segunda-feira. Segundo ela, o programa tem se caracterizado por ser uma plataforma não apenas para revelar startups, mas promover a interação com investidores e o ecossistema de inovação e empreendedorismo. “Já investimos em startups das edições anteriores e acompanhamos o desenvolvimento no mercado”, conta.

Startups InovAtiva fecham modelagem financeira para pitch em oficina no Bootcamp final

Nesse domingo (28), segundo dia do Bootcamp final InovAtiva, as startups participam de oficinas de modelagem financeira, como forma de complementar o que já aprenderam com o curso ministrado durante a aceleração. O programa InovAtiva Brasil oferece gratuitamente o curso de modelagem financeira para empreendedores que têm interesse em criar um plano de finanças sólido.

De forma complementar ao curso on-line, as oficinas colocam as startups em um ambiente voltado para a prática, com um mentor especialista no tema reforçando os pontos mais importantes e tirando dúvidas dos participantes. O objetivo é garantir que os empreendedores tenham segurança das principais premissas financeiras para que possam apresentar o seu negócio ao investidor – estrutura de custos, definição do preço do seu produto e valor do investimento que ele busca.

O mentor do InovAtiva Brasil e um dos responsáveis pela oficina, Wagner Mancini, revela o quanto se sente valorizado por poder contribuir com o crescimento de cada empresa. “Trabalho no ramo do empreendedorismo há mais de 15 anos. É uma experiência incrível ajudar essa nova geração. Os participantes do Bootcamp têm muito conhecimento, mas eles precisam de ajuda para transformar os projetos em realidade”, afirma.

Com a oficina, o participante aprende metodologias de precificação e como calcular custos reais. “Procuro fazer com que eles consigam entender qual é o valor da solução oferecida a seus clientes e também fazer com que eles mostrem o absoluto diferencial dos projetos. Os investidores esperam que eles sejam coerentes e saibam o que deve ser investido em suas empresas’’, comenta o investidor anjo Claude Salmona Ricci, mentor InovAtiva que coordenou a oficina com outro grupo de startups. O empreendedor da Healclever, Allan Duarte, participa da oficina com Claude e recebeu algumas orientações para apresentar o produto da melhor forma. “Nossa startup oferece soluções na gestão de doenças crônicas. Com a oficina, pude perceber o que de fato devo informar no pitch para gerar o interesse no investidor’’, destaca Allan.

É importante ressaltar que a oficina acontece apenas para os participantes do Bootcamp, mas o curso de modelagem financeira é aberto a startups ou qualquer interessado pelo assunto mesmo que não participe da aceleração. O conteúdo é destinado àqueles que já elaboraram a proposta de valor da startup e, agora, precisam transformá-la em números. O curso auxilia o empreendedor a se planejar para gerar uma receita que cubra os custos de estruturação e operação do negócio, demonstrando, quantitativamente, que a empresa terá uma boa saúde financeira. Um novo curso vai estar disponível a partir de 24 de outubro. As inscrições devem ser feitas através do site do InovAtiva Brasil.

Troca de experiências e pitch training marcam o primeiro dia do Bootcamp final InovAtiva

As 125 startups finalistas do primeiro ciclo de aceleração do InovAtiva Brasil participaram nesse sábado (27) do primeiro dia do Bootcamp Final em mentorias individuais e dinâmicas de treinamento para o pitch, a apresentação de 5 minutos que fazem a possíveis investidores e clientes.

Para Marcos Vinícius de Souza, Secretário de Inovação de Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), este é um momento histórico para o InovAtiva Brasil, já que, pela primeira vez, a etapa final conta com as 125 startups aceleradas. “Trata-se da concretização de um sonho de oferecer mentoria e aceleração em larga escala em todo o território nacional, transpondo barreiras com o uso de tecnologia e inovação”, afirma.

Também é reflexo do sucesso do InovAtiva o número de parceiros que contribuem para o programa, como é o caso do Sebrae, que abriu portas para startups de todo os país, desmitificando a crença de que só existem empresas inovadoras grandes regiões metropolitanas. “É com muita satisfação que o Sebrae atua como uma ponte para que as startups tenham a acesso à capacitação e conexão de excelência oferecida pelo InovAtiva”, destaca Marcus Vinicius Bezerra, gerente adjunto da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia do Sebrae Nacional.

Para Leandro Carioni, diretor executivo do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI, a tecnologia é o elemento base de desenvolvimento de um país ou ecossistema. “O InovAtiva, como um programa de incentivo, é essencial para preparar as empresas e se consolida como um grande passo para o sucesso das startups no país”, destaca.

Caroline Vlerick, diretora executiva da Harvard Business School Angels, participou de uma sessão de mentoria com a startup Planting CNC. “A estrutura da mentoria individual é ideal pois possibilita passar algumas mensagens essenciais como a importância de agregar valor para a proposta, calcular os valores de mercado e, principalmente, como se posicionar em um pitch para investidores com um bom embasamento”, explica.

Os sócio-fundadores da Planting CNC, Décio e Simone Nickel, contam que a mentoria foi importante para expandir a visão sobre o quanto vale o projeto no mercado e a importância de quantificar essa informação para parceiros e investidores. A Planting CNC desenvolve um aplicativo que permite a um arquiteto ou qualquer pessoa criar projetos de revegetação e paisagismo, criar orçamentos e até mesmo comprar o produto. “A mentoria traz um viés de aprendizado sob o ponto de vista do empreendedorismo bem alinhado com a realidade do mercado. A partir desses aprendizados, extraímos lições importantes como a necessidade de ampliar e definir melhor o público-alvo e trazer uma visão mais estratégica”, afirmam.

Impactar gerações: o papel do mentor na vida do empreendedor iniciante

Questionar, guiar, orientar e aconselhar. Essas são as palavras-chaves da relação de desenvolvimento entre mentores experientes e empreendedores iniciantes. Todos os dias pessoas discutem novas ideias e conceitos com quem já passou por determinadas situações e no mundo do empreendedorismo não é diferente. Por este motivo, no programa InovAtiva Brasil, empreendedores iniciantes são apoiados por mentores experientes para seus primeiros passos no mercado.

No Bootcamp, realizado neste final de semana, 125 startups de todo o Brasil têm a oportunidade de receber dos empresários mais experientes as informações e opiniões adequadas para dar o melhor seguimento aos seus projetos. O mentor é uma peça fundamental para ajudar os participantes. Através de conversas e debates acerca de assuntos, nem sempre ligados ao trabalho, os startupeiros são questionados e colocados à prova com o apoio dos mentores. Um processo como esse auxilia e possibilita o desenvolvimento criativo e consequentemente os projetos apresentados para possíveis investidores.

Caroline Vlerick, diretora executiva da Harvard Business Angels Brasil, participa como mentora do InovAtiva pela primeira vez esse ano. “Fiquei impressionada com a criatividade e as ideias dos novos empreendedores. Existe muito potencial aqui e fico feliz em contribuir com tudo o que sei sobre o mercado”, ressalta. Para ela, as startups brasileiras precisam se profissionalizar, pois no mercado internacional os pitchs para atrair investidores são bem mais exigentes. ‘‘É necessário que todos estejam com dados embasados e estatísticas sobre os nichos. É preciso deixar bem claro para o investidor aonde você quer chegar e com qual prazo’’, pondera.

Para Daniel Castello, mentor do InovAtiva, ser empreendedor é um desafio. “Ser um empreendedor iniciante é equivalente a entrar em uma floresta grande pela primeira vez. Você tem muita vontade de explorar, mas o mais provável é que seja morto por uma cobra ou uma onça na primeira noite’’, comenta. Para ele, quem está começando sabe apenas as informações obtidas em livros e teorias. ‘‘Com a experiência que obtive ao longo dos anos, sei que posso impactar as novas gerações e apoiá-las nos caminhos que elas pretendem seguir’’, reforça Castello.

Um detalhe importante é que, dentro do programa, os mentores, não recebem nenhum tipo de ajuda financeira. Eles dispõem tempo e vontade de ajudar os novos empreendedores a seguirem em frente. “Acredito na força do empreendedorismo. Tenho crença de que é por meio das empresas de alto impacto que o Brasil vai se tornar o país que merece ser. Faço de coração pois sei que essas empresas vão gerar emprego e renda. No início da minha carreira eu precisei de ajuda, agora eu quero ajudar a nova geração pois tenho a sensação de que histórias incríveis estão sendo escritas aqui”, finaliza Castello.

Demoday InovAtiva apresenta 125 startups de todo o país a investidores e clientes

Mais de 160 investidores e executivos de médias e grandes empresas convidadas vão participar dos três dias de evento no SEBRAE São Paulo

Com o avanço da tecnologia e o apoio de programas de aceleração, as startups brasileiras alcançam cada vez mais posições importantes no mercado nacional e internacional. Para alavancar essas e outras conquistas, nos dias 27, 28 e 29 de agosto o programa InovAtiva Brasil vai realizar um evento de mentoria, treinamento e conexão das empresas com investidores e clientes. Este encontro será a última atividade do primeiro Ciclo de aceleração do InovAtiva em 2016, que selecionou 125 startups para a etapa final do programa. No último dia do evento, os startupeiros terão a oportunidade de apresentar seus projetos a potenciais clientes, investidores e parceiros no Demoday. O InovAtiva, maior e mais abrangente programa de aceleração de startups do país, é realizado desde 2013 pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Para Marcos Vinícius de Souza, Secretário de Inovação e Novos Negócios do MDIC, o evento consolida os cinco meses de trabalho e dedicação de todos os participantes. “A partir de agora os empreendedores estão aptos e preparados para novos desafios. Vai ser um momento final de troca entre mentores e empreendedores, com as orientações finais para a estratégia de negócios o pitch da startup. Toda essa preparação visa a conexão com o mercado no Demoday, teremos dezenas de investidores e executivos convidados interessados em realizar negócios com as startups aceleradas no programa”, ressalta.

Durante o evento, o Sebrae, co-realizador no planejamento e na execução do InovAtiva desde o início deste ano, e o MDIC vão selar um Acordo de cooperação técnica para futuras atividades. “A assinatura do convênio de cooperação técnica vai firmar um plano de trabalho com objetivos e metas concretas para a parceria estabelecida no início do ano. Queremos estimular um ambiente cada vez mais favorável à inovação nas micro e pequenas empresas”,  afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Segundo Leandro Carioni, diretor executivo do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI, a última etapa do programa é fundamental para o mercado de inovação brasileiro. “A conexão obtida em um momento como esse consolida projetos incríveis. Com o Demoday, os empreendedores terão a chance de buscar investimentos capazes de impulsionar seus negócios no mercado brasileiro e também internacional’’, ressalta Carioni. A Fundação CERTI é a entidade que executa o InovAtiva Brasil desde 2015.

Já para Gustavo Gracitelli, co-fundador da startup Bynd, o evento vai servir para trocar experiências e estabelecer maiores conexões. “A expectativa é alta, pois o programa é uma vitrine para startups de todo o país e estar entre as finalistas já é uma honra. Quanto ao pitch, estamos com nossas atenções voltadas para a apresentação’’, finaliza.

O segundo Ciclo de aceleração do InovAtiva já está em andamento e se encerra nos dias 3, 4 e 5 de dezembro. Em fevereiro abrem as inscrições de projetos para a edição 2017. Para mais informações, acesse o site www.inovativabrasil.com.br. Curta também nossa fanpage: www.facebook.com/inovativabrasil.   

Serviço – Bootcamp Final InovAtiva Brasil

Data: 27, 28 e 29 de agosto

Horário: sábado e domingo a partir das 9h, segunda-feira a partir das 8h30.

Local: Escola de Negócios – SEBRAE/SP

Endereço: Alameda Nothmann, 598. Campos Elíseos, São Paulo-SP

inovativa@inovativabrasil.com.br