Posts

Empreendedores aprendem plano de finanças sólido em Bootcamp

O trabalho continua intenso no segundo dia de trabalho no Bootcamp, neste domingo, dia 5. Durante os quatro meses de aceleração, os empreendedores do InovAtiva Brasil participam de diversos cursos online realizados com o intuito de moldar as ideias e projetos. Uma dessas aulas é o curso de Modelagem Financeira, feita para quem tem interesse em criar um plano de finanças sólido. Hoje os startupeiros têm a oportunidade de participar da oficina de modelagem financeira, que complementam o que já foi ministrado durante a aceleração

Esse é o momento para as startups serem colocadas à prova com o apoio de um mentor especialista no tema, que tira dúvidas e consolida o que os empreendedores já aprenderam durante os cursos. Mais do que uma oficina, esse é o momento para deixar as equipes tranquilas para não só entender as premissas financeiras, mas também para terem segurança ao apresentar os negócios aos investidores.

O mentor Julio Cezar Marques destaca que essa é a oportunidade de trazer um pouco da experiência que algumas empresas ainda não vivem. “O meu papel é desmitificar esse mostro que é a finança voltada para as startups”, explica. Marques também desenvolve trabalhos como investidor, empreendedor, consultor e monitor de startups em outros programas.  Para ele, “é um prazer muito grande conseguir fazer esse intercâmbio de conhecimento”.

Com a oficina, o participante aprende metodologias de precificação e como calcular custos reais. O mentor Fernando Bazzon destaca que algumas startups já estão praticamente prontas para enfrentar o mercado e outros têm buscado outros programas para o seu crescimento. Ele lembra que as participantes precisam entender o valor do seu produto ou serviço, sempre atento às expectativas dos consumidores. “Você tem que pensar sempre no seu cliente”, resume.

“O encontro presencial ajuda ainda a entender os pontos fortes e fracos de cada um”, explica o mentor Gustavo Raposo Vieira. Para ele, os participantes estão muito dedicados e lembra que empresas precisam realmente ser incentivadas pelo governo pelo impacto social que elas promovem. “Estou bem impressionado”, destaca Vieira.

Alexandre Calmon, da startup Leilão de Prêmios, considera que o curso de modelagem financeira é essencial para todas as participantes. Foi o momento de tirar as dúvidas e aprender um pouco mais sobre o assunto. “Está ajudando para uma apresentação mais assertiva amanhã”, pontua.

É importante ressaltar que a oficina acontece apenas para os participantes do Bootcamp, mas o curso de modelagem é aberto a startups ou qualquer interessado pelo assunto mesmo que não participe da aceleração. O conteúdo é destinado àqueles que já elaboraram a proposta de valor da startup e, agora, precisam transformá-la em números. O curso auxilia o empreendedor a se planejar para gerar uma receita que cubra os custos de estruturação e operação do negócio, demonstrando, qualitativamente, que a empresa terá uma boa saúde financeira.

Preparação para Pitch marca o primeiro dia do Bootcamp Final do Inovativa Brasil 2016.2

Apresentar um negócio de forma rápida e clara para atrair a atenção de um investidor pode parecer uma tarefa fácil, mas requer atenção, disposição e muita disciplina. E para se preparar para esse momento, em todas as edições do Bootcamp do programa InovAtiva Brasil, os empreendedores passam por simulações para não errar quando estiverem frente à frente com as bancas. 

Neste primeiro dia de mentorias do segundo ciclo do Inovativa Brasil, os startupeiros recebem dicas de como aprimorar a proposta de valor e como ter bom embasamento com os investidores. Estão presentes 121 startups e 111 mentores, de 17 estados. O grande desafio para cada empreendedor é chamar a atenção do investidor no Pitch que será realizado na segunda-feira, 5, no Demoday Inovativa 2016.2. 

Após as preparações, os empreendedores vão realizar amanhã, 4, uma simulação para que na segunda os investidores conheçam de fato os projetos. O objetivo é fazer com que os participantes consigam chamar a atenção dos investidores e ao mostrar o quão inovador pode ser o negócio e que tipo de transformação o produto pode trazer.

O Secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Vinícius de Souza, salienta que todos devem ficar atentos ao apresentar o que já têm, o que se espera obter e como mensurar os investimentos necessários. “Depois de seis meses de mentoria, as startups ainda terão esses dois dias para se preparar e apresentar seus projetos com maior segurança na segunda-feira, no Pitch do Demoday. Já são 160 executivos e empreendedores confirmados.”

O startupeiro Luciano Castelo, da Bod Out, se prepara para a banca desde que entrou na aceleração. “Participar desse evento foi como se eu estivesse em uma pós-graduação. É coisa de alto nível e muito intensivo”, diz.  

Para Marcus Vinicius Bezerra, gerente adjunto da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia do Sebrae, hoje é o dia “D”, quando os empreendedores chegam com a cabeça borbulhando querendo o máximo de conhecimento das oficinas e dos mentores. “É um momento para eles se planejarem. Os empreendedores devem manter o foco para chegarem na segunda-feira com mais confiança”, diz.

O evento também traz outras oportunidades para os empreendedores, como networking com outras empresas e mentores, afirma Eliza Coral, coordenadora de Projetos da Fundação Certi. “Esse primeiro dia é extremamente importante porque os empreendedores terão o treinamento necessário para se preparar para o Pitch de segunda-feira”, finaliza.

InovAtiva Brasil divulga as 125 finalistas do segundo ciclo de aceleração de 2016

O InovAtiva Brasil anunciou nesta segunda-feira (17) a lista das 125 startups selecionadas para a segunda etapa do Ciclo de aceleração 2016.2. Nessa fase, as finalistas receberão mais sete semanas de mentoria e capacitação online, fechando com dois dias de treinamento intensivo antes do Demoday InovAtiva, em que apresentarão seus negócios na maior banca de startups do país, em dezembro.

O Secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Vinícius de Souza, destacou que este ano foi um divisor de águas para o programa pois, pela primeira vez, foram realizados dois ciclos de aceleração, dobrando a capacidade de empresas aceleradas. “O nosso desafio sempre foi realizar um programa em larga escala sem perder a qualidade das startups selecionadas. Isso garante o sucesso delas durante a conexão com os investidores e grandes empresas, que acontece nesta etapa final”, afirma.

Como ocorre desde 2014, o Demoday InovAtiva será realizado junto com a Conferência Nacional da Anjos do Brasil, no dia 5 de dezembro. Nos dias 3 e 4/12, sábado e domingo, o InovAtiva finaliza a preparação delas com mentorias individuais, treinamentos temáticos e simulação do pitch no Bootcamp final, que ocorrerá no Sebrae/SP. Co-realizador do programa desde o início de 2016, o Sebrae tem consultores que atuam como mentores, orientando esses novos empreendedores a estabelecerem seus negócios.  O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destaca que os pequenos negócios possuem capacidade maior de inovar. “Não podemos esquecer que a criatividade está no pequeno negócio, pois o grande compra pronto”, afirma.

A região Sudeste teve o maior número de selecionadas (52), seguida das regiões Sul (43), Nordeste (14),Centro-Oeste (12) e Norte (4). Dezessete Estados estão representados na lista, com destaque para São Paulo (28 empresas), Santa Catarina (18), Minas Gerais (15), Rio Grande do Sul (13) e Paraná (12). A abrangência multissetorial das startups do InovAtiva foi novamente o destaque, com empresas de 17 segmentos distintos, com destaque para Tecnologia da Informação e Comunicação (45 startups selecionadas), Serviços (16), Agronegócio (10), Saúde (10), Educação (7), além de diversas áreas da indústria como Energia, Química, Automotivo, Bens de capital e Construção Civil.

Na avaliação de Leandro Carioni, diretor do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI, a nova etapa da aceleração é a grande chance para as startups alcançarem investimentos, o que vai ajudá-las a conquistar o mercado. “Quase todas as startups já têm protótipo ou produto para oferecer ao público, mas apenas 30% declararam ter recebido algum investimento anteriormente”, ressalta. Outro destaque é que as startups finalistas desse ciclo também estão mais focadas em negócios com outras empresas, já que 70% atuam em B2B.

Entre os selecionados está o Sistema Olho do Dono, que utiliza câmeras 3D para realizar a pesagem do gado nos pastos. Para Pedro Henrique Mannato Coutinho, sócio-fundador da startup, as mentorias individuais e o Demoday vão abrir muitas portas para o projeto. “Vai ser uma oportunidade única de debater estratégias com mentores de alto nível e apresentar o sistema para investidores de um patamar que, até então, não tínhamos alcançado”, afirma. A solução desenvolvida pela startup otimiza tempo e recursos no processo de pesagem do boi e ainda auxilia o produtor na tomada de decisões como alimentação e momento de venda. “Hoje em dia, isso é feito de maneira demorada e por amostragem. Além disso, exige muita mão-de-obra e causa grande stress no animal, que pode chegar a perder peso. Nossa proposta é utilizar tecnologia de ponta para obter dados mais fieis, de maneira mais rápida e eficiente”, completa.

A lista completa das finalistas está disponível no link: http://www.inovativabrasil.com.br/lista-de-empresas-aprovadas-etapa-2-ciclo-2016-2/.

Confira alguns momentos do Bootcamp Final e Demoday InovAtiva Brasil – Ciclo 2016.1!

Aconteceu nos dias 27, 28 e 29 de agosto, em São Paulo, o Bootcamp Final e Demoday do primeiro Ciclo de aceleração do InovAtiva Brasil 2016!

Confira alguns momentos desse evento que reuniu 214 empreendedores, 115 startups e 117 investidores e mentores!

Mais informações sobre o programa InovAtiva Brasil em nosso site:www.inovativabrasil.com.br

Um programa de aceleração com capacitação de qualidade, mentorias nacionais e internacionais e muitas conexões com parceiros e investidores.

“O primeiro passo para qualquer startup do Brasil captar recursos e conquistar clientes”.

#InovAtivaBrasil #Startup #1cicloDeAceleração2016 #Capacitação#Mentoria #Investimento #BootcampFinal #Demoday#AMaiorBancadeStartupsdoBrasil

 

Startups aceleram aprendizado e garantem conexão com o mercado no Demoday InovAtiva

Evento final do programa de aceleração reuniu quase 120 investidores e executivos para assistir os pitchs

Muitos sotaques, diversos projetos e objetivos claros: ter sua empresa escolhida para receber investimento ou conquistar um grande cliente para o negócio decolar. Nesse clima, 115 startups participaram, desde sábado, do bootcamp final do primeiro ciclo 2016 do Programa InovAtiva Brasil. Foram três dias de intenso aprendizado em mentorias, dinâmicas, oficinas e, principalmente, de muita conexão e troca de ideias, não só com possíveis investidores como também entre as próprias participantes.

O resultado é que mesmo quem ainda não conseguiu investimentos concluiu o programa repleto de muita bagagem para levar para casa, ou melhor, para a sua startup. “O InovAtiva contribuiu muito para abrir portas a parcerias e para aprendermos a vender melhor nosso produto. O bootcamp foi fundamental para fazer conexões”, destaca Leandro Reinaux, que participou do evento com Renato Cruz. Eles são sócios da Even3, de Recife (PE), plataforma para gerenciamento de eventos técnico-científicos.

Assim como a Even3, a EasyCrédito, de Goiânia, está inscrita no Edital Sebrae de Inovação, aberto até o próximo dia 23. Marcos Túlio Ramos, um dos cinco sócios da startup goiana, pretende investir no desenvolvimento tecnológico da ferramenta, que conecta aspirantes a crédito com empresas que o concedem, como grandes magazines, de modo que antes de efetuar a compra o consumidor já saiba se terá seu cadastro aprovado. Ele elogia a qualidade do programa, com cursos e mentorias de alto nível oferecidos sem custo. “O InovAtiva foi uma surpresa positiva, tivemos acesso a conteúdos que ajudam muito a empresa no dia a dia”, comenta ele.

Célio Cabral, gerente de Acesso à Inovação e Tecnologia do Sebrae, avalia que o bootcamp coroa o papel da instituição, que “entrou de cabeça” no InovAtiva Brasil. Para Cabral, a parceria com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) é uma das principais  estabelecidas nos últimos anos e enriquece o trabalho do Sebrae. “A metodologia de mentorias usada pelo InovAtiva muda paradigmas. Queremos aumentar e fortalecer o programa, para que se torne perene”, afirma o gerente.

O crescimento do InovAtiva, a qualidade dos participantes e o sucesso do bootcamp, com a maior banca de sua história, foram comemorados por  Marcos Vinícius de Souza, secretário de Inovação e Novos Negócios do MDIC. Ao todo, 117 investidores compareceram para conhecer o que as participantes tinham para mostrar. “O engajamento dos mentores, que trabalham de forma voluntária, foi incrível. O InovAtiva faz uma ponte entre grandes empresas e startups que é positiva para todos”, completa ele.

O mentor Luiz Candreva confirma que, além de orientar o desenvolvimento de empresas iniciantes, aprende com elas. “Em alguns casos, cruzo experiências e até levo soluções para a minha própria empresa”, revela ele, que está em seu terceiro ciclo no InovAtiva e é fundador da ezPark, agência de marketing digital.

A força das mulheres no mercado de startups do Brasil

O empreendedorismo feminino alcançou notoriedade nos últimos anos e trouxe mudanças para o mundo empresarial. Atrás da equidade e equiparação de direitos, as mulheres têm reivindicado reconhecimento como protagonistas de um mercado antes alcançado, em sua maioria, apenas por homens.

De acordo com o Anuário das Mulheres Empreendedoras, elaborado pelo Sebrae em 2013, a participação feminina em micro e pequenas empresas aumentou consideravelmente em uma década. A média de mulheres cresceu em ritmo superior aos dos homens, 7,2% contra 5,4% ao ano, respectivamente. No programa InovAtiva Brasil de 2016, 16% das mentores são mulheres e no grupo dos empreendedores, 13% são do público feminino.

Nos exemplos de mulheres que compõem o time de empreendedoras, encontramos Melina Guelman, CEO do Menu for Tourist, um aplicativo que reúne cardápios de restaurantes brasileiros traduzidos em até oito idiomas. Com 28 anos, a publicitária acredita que as mulheres podem alcançar o que quiserem em todas as áreas de trabalho. ‘‘Eu vejo mulheres reclamando de preconceito, mas nós temos que ser ágeis e provar que somos capazes. Quando uma mulher se encanta por algo, existe um diferencial. Quando ela lidera, o projeto tem uma visibilidade diferente’’, reforça.

A ideia da plataforma surgiu há um ano e meio, quando Melina notou as críticas dos turistas que estiveram na Copa do Mundo de 2014 reclamando da falta de acesso aos cardápios. ‘‘Quando o turista veio para as Olímpiadas no Rio de Janeiro, o surpreendemos com um diferencial: um aplicativo oficial com toda a facilidade que o visitante precisa’’. E como a função de uma startup é realmente solucionar problemas, a mentorada pelo programa InovAtiva Brasil exalta a importância da troca de ideias que acontece na aceleração. ‘‘Temos uma conexão maravilhosa com os mentores e também podemos trocar ideias com todos os empreendedores e ver as soluções que surgem. Todos torcem um pelo outro e isso é realmente incrível’’, comemora.

Fernanda Davidovici, gestora da Caravel Corporate Finance e mentora do programa, já teve experiências complicadas no mercado. ‘‘Uma vez fui mentora de quatro homens, todos mais velhos que eu. A sensação que eu tinha era que eles me olhavam se questionando como eu podia ajudá-los’’, comenta. Segundo ela, foi preciso ser hábil para mostrar que estava ali para ajudar. ‘‘Me posicionei de forma que eles soubessem que eu os respeitava e mostrei que meu lado era apoiá-los. No final, foi algo engraçado pois eles queriam entrar no mercado da moda que é um mercado muito mais feminino que masculino. Então nós fomos ajustando e chegamos a um final tranquilo’’, brinca Fernanda.

Para ela, o trabalho do mentor vai além de qualquer diferença entre os gêneros. ‘‘É muito legal ouvir que as pessoas estão desenvolvendo coisas novas, pois, além de mentora, eu também sou empreendedora’’. Para ela, isso acontece não só pelo fato de se impressionar com as criações, mas como essas inovações estão intimamente ligadas com o desenvolvimento do país. ‘‘São novas cabeças pensantes, trazendo coisas geniais para o mundo. É muito bom pois eu posso compartilhar minha visão e o que eu tenho aprendido por aí com outras pessoas’’, enfatiza Fernanda.

Ela finaliza com o pensamento de que todos os mentores disponibilizam tempo para apoiar os empreendedores. ‘‘Pode parecer clichê, mas realmente estamos aqui pois acreditamos nos projetos. Assim como eu tenho um mentor que me apoia na minha startup, eu também posso colaborar com o meu conhecimento. Ninguém sabe tudo. A ideia é aprender com todos. O nome disso é cooperação’’, conclui.

inovativa@inovativabrasil.com.br