Posts

86 empresas conquistam visibilidade e conexões no maior programa de aceleração de startups da América Latina

São Paulo, julho de 2018 – Entre os dias 20 e 22 de julho, cerca 160 investidores, representantes de aceleradoras e executivos de grandes empresas, estiveram presentes no Bootcamp Nacional e Demoday InovAtiva Brasil 2019.1, realizado na Escola de Negócios do Sebrae, em São Paulo, para conhecer e se conectar com os negócios mais inovadores do país.

Nos dois primeiros dias, as 86 startups participantes receberam mentorias, participaram de palestras, fizeram networking e apresentaram seus pitchs para mentores especializados, recebendo feedbacks e sugestões de melhores. Tudo isso serviu de preparação para o Demoday, realizado no último dia, em que essas empresas tiveram a oportunidade de mostrar suas soluções a maior banca de investidores do país.

“Mudamos o formato do programa para que as startups que chegassem aqui já estivessem maduras e vendendo. Nesse primeiro ciclo de 2019, foram 732 projetos inscritos, 122 selecionados e fechamos esta edição com 86 empresas se apresentando para uma banca com mais investidores do que startups”, afirma Igor Nazareth, Subsecretário de Inovação do Ministério da Economia.

As empresas foram divididas em seis bancas de acordo com o seu ramo de atuação. Elas tiveram cinco minutos para apresentar seus pitchs e mais três minutos para responder as perguntas dos avaliadores. Ao final, foram escolhidas duas startups de cada banca como destaques do programa:

  • Banca 1: Educação, Indústria e Setor Financeiro – OrçaFascio, software de orçamento de obras do Amapá e Smart-Tech Controle e Automação, empresa do Paraná focada no desenvolvimento de produtos para a indústria;
  • Banca 2: Sistemas de Gestão – Meu Crediário, plataforma SaaS de gestão, análise de crédito e cobrança para varejistas alocada em Santa Catarina e MOB, solução de São Paulo para coleta e análise de dados online;
  • Banca 3: Entretenimento, Comunicações, Marketing e Mídia – LeadFinder, plataforma do Paraná que conecta empresas e seus prospects e Widgrid, plataforma para construção ágil e diagramação de múltiplos sites de qualquer porte no mesmo ambiente situada em São Paulo;
  • Banca 4: Saúde, Agronegócio e Energia – Cycor Cibernética, startup de saúde localizada no Paraná que desenvolve tecnologias para reabilitação com foco industrial e Prevention Adam Robo, empresa do Paraná que criou um aparelho e hardware que descobre problemas visuais refrativos em apenas cinco minutos;
  • Banca 5: Serviços de Logística, Comércio Eletrônico e Marketplace – Cheap2ship, plataforma de Santa Catarina que centraliza todas as cotações de frete em um único lugar e Prepi, startup de Pernambuco que oferece um serviço de e-commerce atrelado ao Instagram;
  • Banca 6: Cyber Security, IoT, Inteligência Artificial, Big Data e Chatbot – NoLeak Segurança da Informação, plataforma de autenticação contínua para evitar fraudes online com sede em São Paulo e Previsiown, plataforma digital do Rio de Janeiro desenvolvida para a coleta e análise de dados de veículos automotores.

De acordo com Michele de Souza, CEO da Cycor Cibernética, startup destaque na Banca 4, todo o processo do InovAtiva Brasil foi extremamente enriquecedor. “Nos dois primeiros dias de evento, conseguimos atingir o objetivo que queríamos, que era encontrar um parceiro para nos ajudar a resolver um problema de regulamentação com a Anvisa a respeito da licença do nosso equipamento. Então, ganhar o reconhecimento de destaque no programa foi muito além das minhas expectativas. Só tenho a agradecer ao InovAtiva”, comenta Michele.

Próxima edição

As empresas interessadas na próxima edição podem se inscrever no site do programa até o dia 29 de julho. Para participar é necessário que a startup esteja no estágio de operação ou tração e desenvolva soluções inovadoras e tecnológicas. Serão selecionados até 130 negócios, que receberão mentorias gratuitas e se conectarão aos maiores players de empreendedorismo do Brasil.

Sobre o InovAtiva Brasil

O InovAtiva Brasil é um programa gratuito de conexão e aceleração de negócios inovadores de qualquer setor e região do Brasil, realizado pelo Ministério da Economia e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI). O programa oferece mentorias, visibilidade às startups e conexão com investidores, grandes empresas e parceiros. Entre 2013 e 2018, mais de 2000 startups participaram do programa e cerca de 930 delas chegaram à fase de apresentar suas startups em bancas presenciais com investidores.

Otimismo marca o segundo dia do Bootcamp InovAtiva 2016.2

Apesar do frio na barriga com a apresentação de amanhã para os investidores, os startupeiros presentes no Bootcamp Final concluíram o dia de curso de Modelagem Financeira e Demolation com otimismo e satisfeitos com os resultados alcançados durante o InovAtiva 2016.2.

Para os empreendedores Oswaldo Loureda e Vanessa Loureda, da Acrux, o curso foi tranquilo. “Nosso mentor foi muito didático”, enfatiza. Segundo ele, isso ajudou a confirmar os prognósticos para a startup especializada em kit educacional de robótica, com um mercado de equipamentos educacionais de R$ 1 bilhão anual. Segundo Oswaldo, a modelagem inicial foi bem modesta: “Estamos prevendo para o ano que vem alcançar 0,5% do mercado e 1% em 2018”.

Com formação em empreendedorismo em Stanford, o engenheiro Felipe Gásparo Almeida, aposta nos resultados positivos da sua startup, a Sii Smart Buildings, que oferece uma plataforma para qualquer prédio ser mais sustentável e inteligente, reduzindo em 20% o custo operacional do edifício. Segundo ele, as mentorias foram “muito boas”. “Todos os mentores conhecem muito da área e tiveram sugestões muito pertinentes”, analisa.

O dia produtivo serviu ainda para os últimos acertos. “Temos algumas deficiências e a mentoria ajudou a modelar nosso lado financeiro”, avalia Lucas da Silva, da startup Cia Petit, do Boa Vista (RO), que já fornece serviço para 70 empresas do Estado e conta com mais de dois mil usuários ativos. A startup desenvolveu um programa analisa dados do perfil dos clientes de bares e restaurantes, além de ser um guia para o consumidor.

“Estava mais nervoso antes de chegar ao Bootcamp. Hoje estou mais tranquilo depois de passar pelas mentorias e conversar com outros participantes”, afirma Fred Viana, da startup Sol, que oferece gestão ambiental por plataforma. A sócia Juliana Pena analisa os resultados do dia de trabalho: “Melhorou o nosso planejamento financeiro e até mesmo o nosso Pitch, que vamos apresentar amanhã”.

“Com o InovAtiva colocamos a startup em operação, o que era apenas uma ideia”, conta Anna Grillo, sócia da HER Health Engineering, especializada no desenvolvimento de produtos para a simulação de procedimentos de saúde. Geana Santos, também sócia da startup, destaca ainda o dia de trabalho com modelagem financeira. “Foi bom. É uma parte que estamos desenvolvendo bem”, diz.

A segunda-feira promete manter o ritmo de trabalho intenso com o Demoday. Esse é o momento aguardado pelos empreendedores, que apresentarão as suas startups para uma banca de investidores. O dia contará ainda com a 5ª. Conferência Nacional Anjos do Brasil. Os dois eventos serão realizados no Centro Universitário Senac, em São Paulo (SP).

Empreendedores aprendem plano de finanças sólido em Bootcamp

O trabalho continua intenso no segundo dia de trabalho no Bootcamp, neste domingo, dia 5. Durante os quatro meses de aceleração, os empreendedores do InovAtiva Brasil participam de diversos cursos online realizados com o intuito de moldar as ideias e projetos. Uma dessas aulas é o curso de Modelagem Financeira, feita para quem tem interesse em criar um plano de finanças sólido. Hoje os startupeiros têm a oportunidade de participar da oficina de modelagem financeira, que complementam o que já foi ministrado durante a aceleração

Esse é o momento para as startups serem colocadas à prova com o apoio de um mentor especialista no tema, que tira dúvidas e consolida o que os empreendedores já aprenderam durante os cursos. Mais do que uma oficina, esse é o momento para deixar as equipes tranquilas para não só entender as premissas financeiras, mas também para terem segurança ao apresentar os negócios aos investidores.

O mentor Julio Cezar Marques destaca que essa é a oportunidade de trazer um pouco da experiência que algumas empresas ainda não vivem. “O meu papel é desmitificar esse mostro que é a finança voltada para as startups”, explica. Marques também desenvolve trabalhos como investidor, empreendedor, consultor e monitor de startups em outros programas.  Para ele, “é um prazer muito grande conseguir fazer esse intercâmbio de conhecimento”.

Com a oficina, o participante aprende metodologias de precificação e como calcular custos reais. O mentor Fernando Bazzon destaca que algumas startups já estão praticamente prontas para enfrentar o mercado e outros têm buscado outros programas para o seu crescimento. Ele lembra que as participantes precisam entender o valor do seu produto ou serviço, sempre atento às expectativas dos consumidores. “Você tem que pensar sempre no seu cliente”, resume.

“O encontro presencial ajuda ainda a entender os pontos fortes e fracos de cada um”, explica o mentor Gustavo Raposo Vieira. Para ele, os participantes estão muito dedicados e lembra que empresas precisam realmente ser incentivadas pelo governo pelo impacto social que elas promovem. “Estou bem impressionado”, destaca Vieira.

Alexandre Calmon, da startup Leilão de Prêmios, considera que o curso de modelagem financeira é essencial para todas as participantes. Foi o momento de tirar as dúvidas e aprender um pouco mais sobre o assunto. “Está ajudando para uma apresentação mais assertiva amanhã”, pontua.

É importante ressaltar que a oficina acontece apenas para os participantes do Bootcamp, mas o curso de modelagem é aberto a startups ou qualquer interessado pelo assunto mesmo que não participe da aceleração. O conteúdo é destinado àqueles que já elaboraram a proposta de valor da startup e, agora, precisam transformá-la em números. O curso auxilia o empreendedor a se planejar para gerar uma receita que cubra os custos de estruturação e operação do negócio, demonstrando, qualitativamente, que a empresa terá uma boa saúde financeira.

Preparação para Pitch marca o primeiro dia do Bootcamp Final do Inovativa Brasil 2016.2

Apresentar um negócio de forma rápida e clara para atrair a atenção de um investidor pode parecer uma tarefa fácil, mas requer atenção, disposição e muita disciplina. E para se preparar para esse momento, em todas as edições do Bootcamp do programa InovAtiva Brasil, os empreendedores passam por simulações para não errar quando estiverem frente à frente com as bancas. 

Neste primeiro dia de mentorias do segundo ciclo do Inovativa Brasil, os startupeiros recebem dicas de como aprimorar a proposta de valor e como ter bom embasamento com os investidores. Estão presentes 121 startups e 111 mentores, de 17 estados. O grande desafio para cada empreendedor é chamar a atenção do investidor no Pitch que será realizado na segunda-feira, 5, no Demoday Inovativa 2016.2. 

Após as preparações, os empreendedores vão realizar amanhã, 4, uma simulação para que na segunda os investidores conheçam de fato os projetos. O objetivo é fazer com que os participantes consigam chamar a atenção dos investidores e ao mostrar o quão inovador pode ser o negócio e que tipo de transformação o produto pode trazer.

O Secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Vinícius de Souza, salienta que todos devem ficar atentos ao apresentar o que já têm, o que se espera obter e como mensurar os investimentos necessários. “Depois de seis meses de mentoria, as startups ainda terão esses dois dias para se preparar e apresentar seus projetos com maior segurança na segunda-feira, no Pitch do Demoday. Já são 160 executivos e empreendedores confirmados.”

O startupeiro Luciano Castelo, da Bod Out, se prepara para a banca desde que entrou na aceleração. “Participar desse evento foi como se eu estivesse em uma pós-graduação. É coisa de alto nível e muito intensivo”, diz.  

Para Marcus Vinicius Bezerra, gerente adjunto da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia do Sebrae, hoje é o dia “D”, quando os empreendedores chegam com a cabeça borbulhando querendo o máximo de conhecimento das oficinas e dos mentores. “É um momento para eles se planejarem. Os empreendedores devem manter o foco para chegarem na segunda-feira com mais confiança”, diz.

O evento também traz outras oportunidades para os empreendedores, como networking com outras empresas e mentores, afirma Eliza Coral, coordenadora de Projetos da Fundação Certi. “Esse primeiro dia é extremamente importante porque os empreendedores terão o treinamento necessário para se preparar para o Pitch de segunda-feira”, finaliza.

A tempestade secreta do empreendedor

Por Carolina Rossi Wosiack *

O caminho do empreendedor é muito solitário. Como fundador de uma startup, então, mais ainda. Os recursos financeiros iniciais são de amigos e família. São eles que fazem você seguir adiante e sempre de forma positiva e feliz, transpirando sucesso, motivado, com gás, focado. Alegre e entusiasmado com o desafio de empreender. Isso faz com que as pessoas não saibam que você pode estar passando por uma tempestade, ou melhor, por vários tipos dela, como financeira e emocional, por exemplo. Aliás, todos os tipos de tempestades, quando se está empreendendo.

A gente sabe que essa coragem nem todas têm. Passar por essa “chuvarada”, uma mudança de vida, uma transição de carreira, traz a tempestade que nem todas as pessoas conseguem ver: A tempestade secreta. A empreendedora levanta de manhã, veste sua roupa, coloca sua maquiagem e aciona seu sorriso. Quando você passa por uma tormenta visível, as pessoas lhe assistem, lhe estendem uma mão. Mas, quando você passa por uma tempestade invisível, as pessoas não sabem e não conseguem fazer nada.

E quando as coisas começam parecer que estão indo num bom caminho. Não é sinal que a tempestade acabou, mas sim que está chovendo menos. As pessoas podem até ficar com inveja de você, que acorda às 5 horas da manhã, trabalha até as juntas do corpo doerem, a cabeça latejar e ainda está com o pagamento da parcela do carro atrasada em 3 meses. Eles invejam o seu primeiro cliente, sem saber que desde que você conseguiu esse contrato, não consegue nem mais dormir à noite, tamanho a preocupação em fazer dar certo. Você tem muita tensão e tanta pressão, que repente você está em mais uma tempestade, e ninguém nem ao menos consegue ver.

E é nesses momentos que a gente tende a achar que estamos realmente sozinhos. Mas não estamos. Olhe para o lado. Cada dia há mais pessoas empreendendo. E elas estão no mesmo barco que você, na mesma tempestade. Ou melhor, enfrentando as mesmas tormentas. Mesmo que a chuva esteja tão forte no começo, e que você não veja, e que eles não estejam falando com você no momento, lá estão eles, seus colegas empreendedores.

Foi por isso que, ao invés de falar sobre canais de distribuição e  formalização de vendas e descontos, eu resolvi falar do que eu aprendi como executiva contratando fornecedores, e agora como consultora negociando com empresas. Resolvi abordar como eu passo pelas minhas tempestades também. E abrir o espaço para que vocês empreendedores compartilhem entre si também.

Não foi sem receio, bem parecido com aquele momento em que você tem que fazer um follow-up num cliente. Fiz questão de compartilhar um pouco do que aprendi de compras e vendas com empreendedores no último sábado (24 de setembro) durante o primeiro Bootcamp do ciclo 2016.2 do InovAtiva Brasil, na regional de São Paulo.

Eu contei para eles que ia fazer uma coisa arriscada. Que não queria compartilhar apenas informações encontradas no Google, e que ia ser histórias e dicas da vida real, casos de sucesso e insucesso. Contei da empresa que tinha 100 dias de funcionamento e o primeiro cliente queria pagar em 180 dias. Falamos sobre investidores, programas como Shark Tank, sobre clientes corporativos difíceis e aqueles acolhedores.

Naquele sábado, durante o workshop de vendas, com cerca de 30 empreendedores presentes, pude ver nos olhos de cada um o reconhecimento do que eu contava. Compartilhei que, para mim, as negociações empresariais na verdade são negociações entre pessoas, e que o relacionamento conta muito. E que você tem que nutrir esses relacionamentos. Falei dos diferentes tipos de comunicação que podem se dar. Fiz dinâmicas para eles descobrirem conexões entre eles e criarem rappor. Propus perguntas que eles gostariam de saber respostas e para as quais, honestamente, também gostaria de saber, entre elas: como encurtar o tempo do lead para fechamento? Desenhei dinâmicas para que eles mesmos pudessem trocar entre eles o que havia funcionado até aquele momento.

Toda a vez que eu tenho a oportunidade de escutar um colega empreendedor, do privilégio de ele compartilhar comigo suas histórias e seus sonhos, eu saio mais feliz, mais rica e sinto que compartilhei um guarda-chuva na tempestade.

* Sócia da Innoscience e mentora do Programa InovAtiva Brasil desde 2016.

InovAtiva Brasil oferece mentorias e oficinas a mais de 200 startups em nove capitais

Bootcamp conectou empreendedores selecionados pelo programa a especialistas em negócios inovadores

O programa InovAtiva Brasil capacitou empreendedores de mais de 200 startups no último sábado (18). Através de um bootcamp de integração, os empreendedores do ciclo de aceleração de startups tiveram acesso a especialistas renomados, que orientaram os profissionais quanto ao planejamento de mercado para o cenário atual. O evento foi realizado simultaneamente em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ).

Segundo Marcos Vinícius de Souza, Secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o Bootcamp é capaz de impulsionar o crescimento das startups e promover mentorias em diversas regiões do Brasil. ‘‘Além de complementar a capacitação e as mentorias online do InovAtiva, no evento os empreendedores têm contato direto com os mentores e as demais startups, fomentando o surgimento de novos negócios, parcerias e investimentos no futuro’’, afirma Souza.

Heloisa Menezes,  diretora técnica do Sebrae Nacional, co-realizador do InovAtiva com o MDIC a partir deste ano, anunciou a abertura do Edital Sebrae de Inovação no início de julho. “Este ano, R$ 20 milhões serão destinados como subsídio para projetos inovadores de micro e pequenas empresas de todo o país. As startups que concluírem a aceleração do InovAtiva Brasil terão pontuação diferenciada , com bonificação de 10% na avaliação do projeto”, ressalta.

De acordo com Leandro Carioni, Diretor Executivo do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI, essa foi uma etapa importante do programa Inovativa, que agrega mentores, empreendedores, agentes e outros parceiros, de tal forma que fomenta o ecossistema da inovação brasileira. “A conexão foi grande. O resultado certamente virá com a ajuda ao desenvolvimento e um ambiente propício para o surgimento de novas oportunidades e até mesmo a geração de novos empregos”, ressalta Carioni.

Totalmente gratuito, o bootcamp foi transmitido ao vivo pela internet e contou com duas oficinas. Gerson Ribeiro, especialista em Marketing digital, acredita que muitos começam suas startups sem saber como buscar usuários e clientes. ‘‘Ideias muito boas sem planejamento não são vendidas. É necessário criar caminhos para que o projeto dê certo. O marketing digital faz com que isso aconteça’’, enfatiza Ribeiro. Em seu segundo ano de Bootcamp, o especialista avalia a importância da aceleração. ‘‘Confio muito nessa equipe do InovAtiva. São pessoas experientes e que acreditam nos bons projetos. A meu ver, este é um dos melhores programas para acelerar e desenvolver startups’’, reitera.

Segundo Théo Orosco, CEO da Exact Sales e mentor Endeavor, que conduziu a oficina de Estratégias de Vendas, para se posicionar no mercado não basta ter uma boa ideia. Segundo o executivo, é necessário se preparar, fazer um bom planejamento e conhecer o mercado. ‘‘É por este motivo que as mentorias oferecidas pelo InovAtiva Brasil são tão importantes. Os especialistas mostram aos empreendedores que sonhar alto é necessário, mas executar com responsabilidade é fundamental’’, ressalta.

O Bootcamp reuniu representantes de startups com especialistas para conceder capacitação em negócios inovadores que possuem boas tecnologias. ‘‘Eu aprendo mais do que ensino. A cultura de startup tem que ser baseada no pressuposto da colaboração. Todos já foram ajudados em algum momento da vida e nada mais justo do que falar sobre minha experiência para eles também’’, ressalta o mentor Leonardo Valença, CEO e fundador da MyInfoshare.

 

inovativa@inovativabrasil.com.br