Posts

Case InovAtiva: Alientronics representa o Brasil na Alemanha

Ao Monitorar e gerenciar qualquer dispositivo que seja possível conectar à internet, a Alientronics, startup de Porto Alegre/RS, tem o modelo de negócio baseado em desenvolver tecnologias e soluções para Internet das Coisas. A empresa foi convidada pela AHK (Câmara Brasil-Alemanha) para apresentar um pitch no MUST Munich, na Alemanha. O evento acontece de 21 a 23 de fevereiro deste ano.

No encontro, eles vão apresentar o projeto Sistema de Monitoramento Inteligente para Pneus (TPMS), o primeiro produto desenvolvido pela empresa em parceria com o CETEMP/SENAI e a Avansat. O Sensor TPMS foi um dos vencedores do Prêmio Santander Empreendedorismo 2015 e do Prêmio Transporte Moderno & TruckPad de Inovação no Transporte 2016. Segundo Felipe Melz, CEO da startup, o convite mostra o nível internacional que a empresa já possui. “Ficamos muito contentes por se tratar de um evento que reúne as melhores startups internacionais. Ainda mais contentes pois a Alemanha é famosa por suas montadoras de veículos, que estarão presentes no evento e é também nosso público-alvo”, comenta.

o TPMS é um hardware, que ao ser colado na parte interna do pneu, monitora precisamente a pressão e a temperatura. O sensor é totalmente selado e não sofre danos com líquidos, poeira ou vibração, e pode durar até três anos. Os dados são enviados para o aplicativo, disponível em plataforma Android via Bluetooth a cada cinco minutos, ou em situações de risco para assim oferecer um controle real do veículo. Qualquer evento gera um alerta instantâneo no aplicativo avisando o motorista de pneu murcho, superaquecido ou estourado.

O MUST-Munich é um evento que dá mais uma oportunidades para que empresas de todo o mundo possam colocar suas inovações no centro das atenções do ecossistema empresarial, ao conectar os principais players do mercado. Felipe ainda ressalta as expectativas para o evento. “Estamos bem curiosos para descobrir como será a receptividade da nossa solução. Também existe a expectativa de ganhar visibilidade internacional ao fazer o pitch para 400 diretores de empresas líderes de diferentes segmentos da indústria, em especial a automotiva, além de termos as conversas com investidores”, pondera e continua.

Vale ressaltar que a Alientronics foi finalista do Programa InovAtiva em 2014 e já está presente em cinco transportadoras pelo país. O CEO destaca a importância da aceleração para o crescimento da empresa. “As mentorias, os treinamentos pela internet e o networking foram muito eficazes na aceleração profissional de nós, empreendedores. Nos levou a conhecer novos ecossistemas, ganhamos visibilidade e reconhecimento”, encerra.

Case InovAtiva: Soluções no setor biotecnológico com a Kopp Technologies

Desenvolver e vender soluções para a purificação de produtos biotecnológicos é o objetivo da Koop Technologies. A empresa que segue em fase de operacionalização, com a montagem de laboratórios para iniciar suas vendas no segundo semestre de 2017, é a primeira da América Latina a nacionalizar a tecnologia de purificação, sendo que apenas 6 países produzem este tipo de insumo. Recentemente ganharam um projeto no PIPE – FAPESP, que apoia a execução de pesquisa científica e agora estão montando uma estrutura própria com o P&D da empresa.

Lançada há um ano, a Koop nasceu da ideia de um dos 3 sócios da empresa, que durante o desenvolvimento de tese de doutorado percebeu uma lacuna no setor de biotecnologia brasileiro para a purificação de produtos na Indústria Farmacêutica, Química Fina e Biotecnológica. “Até então era preciso importar a tecnologia dos Estados Unidos e da Europa e além de demorar meses para chegar ao Brasil, gerava altos custos. Foi aí que detectamos a falha no mercado para obtenção deste produto’’, comenta Willian Kopp, Diretor de Operações da Koop.

Trabalhando no mercado de produtos biotecnológicos, com soluções para os segmentos humanos, animal e vegetal, a Koop foi participante do programa InovAtiva Brasil no ciclo de aceleração 2015 e teve destaque por ser a primeira empresa brasileira a nacionalizar este tipo de tecnologia e ficou entre as 92 Startups mais inovadoras do Brasil. Segundo Vilabruna, a participação da startup foi fundamental para a consolidação da empresa no mercado. “O InovAtiva foi o grande divisor de águas pois tivemos acesso ao mercado e conseguimos transformar nossa proposta teórica em um produto aplicável e vendável”.

Para ele, a Koop não conseguiria estar tão próxima do mercado e trabalhando na prospecção de clientes. “A partir de nossa participação e da mentoria de grandes profissionais, conseguimos adequar nossa startup ao viés mercadológico e já pensamos em, posteriormente, exportar nossas soluções”, finaliza o Diretor.

InovAtiva Brasil concorre como melhor aceleradora no Startup Awards 2016

A Associação Brasileira de Startups (ABStartups) abriu a votação para o principal premiação do ecossistema de empreendedorismo digital do país. O Startup Awards conta com votação aberta ao público em duas etapas: indicação pública, e votação final nos três mais indicados em cada uma das 12 categorias. O anúncio e premiação dos vencedores será no dia 8 de novembro, em São Paulo, no encerramento da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo – CASE 2016, promovida pela ABStartups.

É possível votar no InovAtiva Brasil para concorrer ao prêmio na categoria de Melhor aceleradora. Marcos Vinícius de Souza, Secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), explica que o InovAtiva oferece desde 2013 capacitação online, mentoria de alto nível e conexão com o mercado para startups de todo o país sem nenhum custo para os participantes. “Neste quarto ano atingimos a maturidade do programa. Com 600 startups selecionadas de 26 Estados brasileiros nos dois ciclos de 2016, o InovAtiva hoje oferece um programa de aceleração verdadeiramente de larga escala mantendo a qualidade em tudo o que oferece”, destaca. Entre as startups que participaram dos Ciclos de aceleração este ano, 81,6% disseram que certamente indicariam o InovAtiva Brasil a um amigo empreendedor – o que resultou em um Net Promoter Score (NPS) de 76,5.

Para votar no InovAtiva Brasil como Melhor aceleradora, basta acessar www.startupawards.com.br. A votação é aberta a qualquer interessado e também é possível apontar indicados em outras 11 categorias. A seleção ocorre em duas etapas. A indicação aberta vai até o dia 26 de outubro. Os três nomes mais lembrados passam para a etapa final de votação, entre 27 de outubro e 3 de novembro. Mais informações sobre a CASE 2016 e inscrições para participar do evento no site http://case.abstartups.com.br/.

O InovAtiva divulga na próxima segunda-feira (17/10) as 125 startups finalistas do segundo Ciclo de aceleração de 2016, que se encerra com o Demoday no dia 5 de dezembro. As inscrições para a primeira edição de 2017 terão início em janeiro.

Acompanhe o InovAtiva Brasil:

Site: www.inovativabrasil.com.br

Facebook: http://facebook.com/inovativabrasil  

Twitter: twitter.com/inovativabr

LinkedIn: http://linkedin.com/company/inovativa-brasil  

Case InovAtiva: Myleus Biotecnologia recebe investimento do Fundo Primatec

A Myleus Biotecnologia acaba de fechar negociação de investimento com o Fundo Primatec. A empresa de base tecnológica oferece soluções baseadas em testes de DNA para empresas de alimentos e também para pesquisadores. Em 2014, a startup recebeu seu primeiro investimento de capital semente da Fundepar e foi acelerada pelo programa InovAtiva Brasil.

Segundo a presidente da Myleus, Marcela Drummond, foi após o investimento da Fundepar que a equipe conseguiu ter fôlego para estrutura comercial e passou a acessar os clientes. ‘‘Com esse primeiro investimento conseguimos levar as tecnologias para o mercado com posicionamento em uma solução completa nos testes de DNA’’.

Marcela lembra que, assim que o investimento foi alcançado, a startup entrou para o ciclo de aceleração do Programa InovAtiva. ‘‘Foi um ano de muitas conquistas. A participação no programa foi fundamental para a empresa crescer após a captação dos recursos. Costumo dizer que o acompanhamento do mentor durante o processo conseguiu tirar a equipe da zona de conforto. Ele se relacionou com a história e nos fez correr atrás principalmente do desenvolvimento comercial. Amadurecemos’’, afirma.

A partir daquele momento, a Myleus se estabeleceu na incubadora Habitat/Biominas e passou a contar com sua própria estrutura laboratorial. Além disso, as ações comerciais levaram ao aumento da carteira de clientes. “Conseguimos grandes clientes, cases importantíssimos, realizamos muita interação com diversos parceiros estratégicos para alavancar o negócio”, conta Marcela.

O investimento feito pelo Primatec será aplicado na expansão comercial e evolução da proposta de valor. Espera-se que a empresa organize sua oferta de produtos de forma a entregar o máximo de valor para seus clientes. O esforço comercial e de marketing da Myleus, deverá viabilizar a expansão da carteira de clientes tanto no Brasil quanto no exterior. Além disso, os três sócios pretendem abrir uma filial em São Paulo nos próximos meses.

*Com base no texto publicado pela Fundepar/UFMG

 

Case InovAtiva: Ubivis tem segundo projeto selecionado para aceleração no InovAtiva Brasil

Finalista do InovAtiva Brasil em 2014, a startup Ubivis foi aprovada para fazer parte do programa novamente em 2016 com um novo projeto inovador. A empresa apostou no “Sistema IoT”, que oferece uma solução completa e otimizada no trabalho industrial, além de modernizar o seu processo fabril com a atualização do maquinário e de coletar e trocar dados analisando o aprendizado e desempenho de máquinas.

Em 2014, na primeira participação, a startup apostou em um projeto de controle de smartphones e tablets. Algumas dificuldades apareceram na criação do software, pois não atendiam os padrões planejados. Paulo Henrique Souza, CEO da Ubivis, comenta que após a participação no programa de aceleração também no Bootcamp, oferecido ao término das mentorias, uma nova oportunidade surgiu para a empresa. “O evento foi fundamental para nossa mudança. Conversamos com várias empresas e mentores e tudo o que aprendemos permitiu compreender o real movimento do empreendedorismo no Brasil. Foi como se fosse uma luz no fim do túnel”, ressalta.

Após todo o processo de aceleração, a Ubivis elaborou um novo projeto dentro do ambiente e dos recursos do empreendedorismo. Já em 2015, a empresa apresentou o projeto no Edital SESI SENAI de Inovação e ao ser selecionada, recebeu um investimento de aproximadamente R$ 800 mil. ‘‘Recebemos um excelente investimento no Edital pois estávamos preparados após as mentorias. Com esse valor, investimos na criação de um novo projeto, nos cadastramos mais uma vez no InovAtiva e fomos selecionados para iniciar uma nova etapa de mentorias em 2016’’, relembra Souza.

Com o projeto “Sistema IoT”, a startup voltou ao ciclo de aceleração do InovAtiva para receber novas mentorias e ser conectado a novos possíveis investidores. O produto permite integrações entre processos físicos e computacionais em máquinas industriais. Ou seja, armazena e analisa dados coletados através da IoT e faz com que os operados possam guiar os sistemas em tempo real.

Paulo Henrique revela que o ciclo de aceleração é como se fosse uma escola para as startups e traz grandes mudanças. “É a minha segunda vez. Não que eu não tenha aproveitado em 2014, nós aprendemos muito com as mentorias, oficinas e cursos. Mas após o nosso primeiro Bootcamp, entendemos o que realmente queríamos fazer. Nunca esqueceremos do apoio que o programa InovAtiva nos deu e estamos prontos para acelerar o nosso novo produto”, finaliza o CEO.

Case InovAtiva: com capacitação e mentoria, Sencer capta investimento privado e de fomento

O InovAtiva Brasil é conhecido nacionalmente por oferecer a projetos inovadores uma aceleração completa e gratuita. Dentro do suporte oferecido, a oportunidade de possíveis investimentos para alavancar os negócios chama a atenção das startups.

A Sencer, por exemplo, voltada ao agronegócio com foco em monitoramento da umidade do solo para agricultura de precisão, foi finalista do InovAtiva Brasil em 2014. Segundo Valdir Pavan, diretor da startup, a conexão com possíveis parceiros mudou completamente o mindset da startup. “Em uma das palestras oferecidas pelo programa, alguns investidores nos notaram e, desde então, nossa empresa nunca mais foi a mesma”, afirma.

Além das mentorias e do acompanhamento, a startup teve acesso a um curso de acesso a capital em que as startups entendem os passos de como financiar a empresa de acordo com o estágio em que se encontra e com suas particularidades.

Após a aceleração, a Sencer passou por uma rodada de investimentos privados, uma de fomento e outra para desenvolver um protótipo e ver como o produto desenvolvido se sairia no mercado comercial.

Pavan revela que o InovAtiva Brasil levou a empresa a ter uma visão e comportamento de mercado diferente. “Nós tínhamos uma noção do que era uma startup completamente diferente do que realmente é. Imaginávamos um tipo de negócio e, com o InovAtiva, aprendemos a administrar melhor e a gerenciar nosso projeto traçando as estratégias”, completa o diretor da Sencer.

O diferencial da empresa é a capacidade de pesquisar e desenvolver sensores baseados em nanotecnologia. A startup tem seu próprio laboratório de pesquisa, com uma equipe composta por doutores e mestres capacitados para desenvolver, com o menor custo, tecnologias melhores que as existentes no mercado externo.

A startup possui um produto de monitoramento para humidade do solo. Ele calcula a quantidade de água que fica disponível para as plantas e envia informações para um servidor mostrando se precisa de irrigação. Durante a aceleração, a empresa trabalhava apenas com um tipo de mercado. Após as mentorias, a Sencer começou a desenvolver um novo produto voltado para paisagismo e jardinagem, com custo mais acessível.

O Curso InovAtiva de Acesso a capital oferece as principais ferramentas para ajudar startups nesse processo, com apresentação do presidente do Instituto Anjos do Brasil, Cassio Spina, e participação de diversos especialistas e executivos de mercado. O programa contempla dicas de como se preparar para um pitch (rápida apresentação para conquistar interesse de investidores), detalhes sobre as principais fontes públicas e privadas de recursos e cases de startups que compartilham experiências sobre a busca por investimentos. Para mais informações e inscrições para o curso, clique aqui

Saiba mais sobre a Sencer em: www.sencer.com.br

Case InovAtiva – Piipee cria produto que reduz em 80% uso de água em descargas

De acordo com o relatório mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento de Recursos Hídricos, lançado pela Unesco em 2015, nas últimas décadas, o consumo de água no mundo cresceu duas vezes mais que a população. Uma das práticas mais corriqueiras que aumenta o uso da água está intimamente ligada à quantidade de descargas realizadas em domicílios e empresas brasileiras. Atualmente, mais de oito bilhões de litros de água potável são gastos diariamente apenas com esse costume.

Pensando nisso, em 2010, o empreendedor Ezequiel Vedana estudou o mercado e as alternativas possíveis para diminuir o consumo de água nas descargas. Porém, esses produtos eram muito caros. Então, surgiu a ideia de criar um produto de baixo custo para reduzir o desperdício. Alguns meses depois, a startup Piipee foi idealizada.

“O Piipee é um dispenser acoplado próximo ao vaso sanitário. Quando o usuário urinar não deve acionar a descarga, mas sim o aparelho. De forma simples, reduzimos em até 80% o consumo de água de qualquer vaso sanitário”, afirma Vedana. Segundo o empreendedor, engenheiros da Sabesp estimaram uma economia de cerca de 1 bilhão de litros de água a cada três dias caso o Piipee fosse instalado em todas as 6,4 milhões de residências da Grande São Paulo.

O aparelho libera no vaso sanitário um líquido biodegradável que altera as características da urina, remove o odor e higieniza o banheiro, sem utilizar água e é vendido a baixo custo. O produto custa R$ 79,90 e possui opções de refil com 500ml por R$ 24,90 e de um litro por R$ 49,90.

A startup possui hoje mais de 270 clientes em todo o Brasil. Empresas como Vale, Arcellor, Enel, Unimed e Sabesp já utilizam o produto, que é vendido por site ou telefone. É importante ressaltar que um produto como este põe em prática os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU desde o ano passado. ‘‘Fomos a única empresa do Brasil convidada para representar o país na COP21* em Paris. Estamos realizando a meta inicial do Piipee, que é de reduzir o consumo para preservar a água no mundo’’, acrescenta.

A empresa viajou para França e Israel para buscar novas parcerias. A Piipee também está sendo acelerada pela StartupFarm em parceria com o Google e a IBM. ‘‘Com essa aceleração, vencemos o Sustainable Brands RIO16, um evento global de marcas sustentáveis’’, relembra. Mas o sucesso da empresa não para por aí. ‘‘Também fomos selecionados para uma aceleração pela BraskemLabs e vencemos o BrazilLab, uma parceria da CLP com a Endeavor para aproximar startups do poder público’’, comenta.

Mas o que poucos sabem é que o desenvolvimento da empresa começou com a participação no programa InovAtiva Brasil. ‘‘Participar do programa foi transformador. Tivemos mentoria com experts de desenvolvimento e mudamos todo o conceito do produto com base no que aprendemos. As mentorias de negócios foram fenomenais’’, declara. O fundador da startup comenta que finalizou o ciclo pronto para continuar. “Decidi me dedicar somente ao Piipee após a participação no InovAtiva e a minha vida mudou! Meu produto mudou. Após um ano da final, fomos selecionados para a missão UK Chapter do InovAtiva”. Para ele, a missão ao Reino Unido, uma semana de prospecção de negócios e investimentos em Manchester e Londres em fevereiro de 2016, abriu portas antes inimagináveis. ‘‘Aprendemos muito em todo o processo. São empreendedores por natureza que anseiam pelo sucesso das empresas que orientam como se fossem deles. Sou muito grato por esse início e é um programa que recomendo para qualquer novo empreendedor que conversa comigo’’, finaliza.

COP21* – conferência do clima que busca alcançar um novo acordo internacional, aplicável a todos os países, com o objetivo de manter o aquecimento global abaixo dos 2°C até o fim do século.

Saiba mais sobre a Piipee:

www.piipee.com.br

www.facebook.com/PiiPeeBR

 

Case InovAtiva: capacitação e mentoria ajudam Smarti9 a captar investimento Série A

Um dos pontos mais importantes da aceleração oferecida pelo InovAtiva Brasil às startups é a preparação para captação de investimento. A Smarti9, startup mineira que desenvolve equipamentos para o setor elétrico e tecnologias na área de internet das coisas, foi uma das que melhor aproveitou isso. Acelerada pelo InovAtiva em 2014, em 2015 a empresa criou uma spin-off, a Wari, e, em pouco mais de um ano, recebeu três rodadas de investimento: um aporte de investidor-anjo e uma rodada de investimento Série A na Wari, e agora mais um investimento Série A na Smarti9.

O CEO Diogo Fernandes afirma que o plano de negócios da empresa foi estruturado e adaptado de acordo com o feedback do InovAtiva. “A partir das mentorias, passamos a realizar pitches dentro e fora do país, o que chamou a atenção de vários investidores e nos levou a Série A de investimentos”, comemora. Ele destaca que, no primeiro aporte recebido, o mentor da Smarti9 no InovAtiva continuou acompanhando após o término do programa e auxiliou diretamente na negociação do investimento. “As outras rodadas foram mais tranquilas porque já havíamos aprendido bem o processo. Toda a capacitação e suporte do InovAtiva foram fundamentais para atingirmos esses resultados”, afirma.

Essa preparação começa com os cursos online do InovAtiva, que são depois complementados na prática com mentorias individuais, atividades de treinamento nos bootcamps e a apresentação a investidores no Demoday InovAtiva. No Curso InovAtiva de Acesso a capital, que terá início no dia 8 de agosto, o presidente do Instituto Anjos do Brasil, Cássio Spina, apresenta os principais pontos que uma startup que busca investimento deve ter atenção. O conteúdo, gratuito e aberto a qualquer interessado, é complementado por especialistas em pitch para investidores, cases de empresas que receberam investimento e como fazer uma apresentação. 

Em 2012, os fundadores da Smarti9 desenvolveram um sistema que conecta medidores a concessionárias em tempo real, que permite o controle de consumo de energia em tempo real através de uma rede sem fio, o i9Híbrido. A partir dos investimentos recebidos, outros produtos foram desenvolvidos, como o i9Plug, uma extensão elétrica constituída de quatro tomadas conectadas de forma virtual e possibilita que diferentes aparelhos sejam ligados e desligados de forma remota, com horários agendados e também o controle de temperatura e energia.

Outra grande novidade é a spin-off Wari, um sistema que torna o gerenciamento de eventos mais fácil. “Este é um sistema que funciona por meio de leitores e pulseiras de rádio frequência e permite o controle de fluxo de pessoas, de consumo e interação em mídias sociais nas festas”, ressalta Fernandes. Segundo ele, essa tecnologia evita diversos problemas no setor de eventos, como falsificação de ingressos, entrada indevida, longas filas e demora na prestação de contas.

Este ano, a empresa participou da semana de inovação em Paris e recebeu o Engie Brazilian Innovation Award, que foi fundamental para trazer novos investidores à empresa. “Estamos totalmente focados em efetivar o nosso planejamento a partir da venda de nossas tecnologias, transformando a Smarti9 em uma referência na área de desenvolvimento de tecnologias inovadoras de hardware e software e idealizar a internet das coisas no Brasil”, afirma.

Serviço

Período: 08/08 a 26/08

Curso de Acesso a Capital:  Identifique as fontes de recursos disponíveis à sua Startup, o momento certo para captá-los e aprenda a negociar com investidores.

Faça agora sua inscrição em:  www.inovativabrasil.com.br/plataforma/curso/detalhe/8/acesso-a-capital

Case InovAtiva: Mereo é tema de mestrado em universidade britânica

Fundada em Belo Horizonte (MG) em 2012, a Mereo é uma startup que cria estratégias e fornece soluções para empresas através de softwares. Após receber capacitação, mentoria e conexão no programa InovAtiva Brasil, a empresa fundiu sua tecnologia com o conhecimento gerencial para desenvolver estratégias de mercado para seus clientes. Este ano, a Mereo foi convidada por um estudante de mestrado da Cass Business SchoolCity University London, para ser tema de um diagnóstico que mede o grau de inovação de uma startup.

A história da Mereo no InovAtiva teve início numa sexta-feira, quando Ivan estava a caminho de casa e ouviu no rádio que as inscrições para o programa de aceleração estavam no fim. A motivação foi instantânea pois Ivan percebeu que, dessa forma, conseguiria capacitação, mentoria e acesso a investidores para alavancar o projeto. ‘‘O InovAtiva proporcionou avanço em algumas frentes de internacionalização e tenho certeza que, por este motivo, a empresa está crescendo com o passar dos anos e com as práticas que desenvolvemos após as mentorias’’, afirma Ivan Cruz, diretor da startup.

O estudante de mestrado Silvio Regis, que estuda por meio da bolsa de estudos concedida pela governo britânico, convidou a startup a ser objeto de um diagnóstico que mede o grau de inovação de uma organização. “Quando recebemos o convite nem acreditamos. Pudemos direcionar o trabalho do estudante da melhor forma possível. Estamos ansiosos pelo resultado final”, afirmou Ivan.

A proposta da Mereo é detectar os desafios enfrentados pelas empresas, além de medir o desempenho de quem está ligado à empresa.  A plataforma utilizada pela startup envolve tecnologias em sistema na nuvem. Está disponível na web e possui boa produtividade em tablets. A partir do segundo trimestre de 2016, será lançado como aplicativo em versões para Android e iOS.

Em 2015, a Mereo firmou uma parceria para auxiliar na gestão dos resultados da Fundação Lemann, que desenvolve e realiza pesquisas e projetos inovadores na área da educação. Por meio da plataforma inserida pela startup, a Fundação pode acompanhar os resultados e planos de ação, como análises financeiras (gestão orçamentária) e gestão de talentos (avaliação das competências dos colaboradores).

Para o Felipe Proto, Gerente Administrativo e Financeiro da Fundação Lemann, a parceria com a Mereo trouxe uma segurança de monitoramento de equipe. ‘‘Iniciamos o ciclo de análise dos resultados, permitindo que ações mais efetivas sejam estabelecidas. Além de ter o acompanhamento, a Mereo também nos permite um monitoramento mais eficiente das nossas ações” afirma Proto.

Vale lembrar que a Mereo trabalha com práticas simples, focada em métodos analíticos e se diferencia por fornecer estratégias e uma solução completa em softwares. Com todas essas qualificações, em 2015, foi destaque e finalista do InovAtiva Brasil. “A passagem da Mereo pelo programa foi muito importante pois tivemos acesso a excelentes mentores, que, além de questionarem alguns aspectos cruciais do nosso negócio, ajudaram a modelar melhor a nossa proposta de valor”, finaliza Cruz.

Saiba mais sobre a Mereo em:

www.mereo.com

www.facebook.com/MereoConsulting

Case InovAtiva: Biomassa do Brasil participa da construção do Parque Olímpico no RJ

Especializada no desenvolvimento de produtos inovadores com foco no setor de construção civil, a empresa Biomassa do Brasil é uma das startups aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil . Este ano, a empresa ganhou destaque por utilizar o produto feito de argamassa sustentável na construção do Parque Olímpico no Rio de Janeiro.  

A startup ofereceu à construtora do parque soluções viáveis que simplificam o dia a dia de uma obra ou reforma. “Nós nos inscrevemos como fornecedores na categoria sustentabilidade e logo fomos selecionados. Nosso produto conseguiu gerar uma grande economia no consumo dos recursos usados na obra”, afirma o diretor executivo da Biomassa do Brasil, Gilberto Strafacci Neto.

O Parque Olímpico economizou cerca de 125 mil litros de água na obra com a utilização da argamassa Biomassa do Brasil. Para Gilberto, participar da construção dessa estrutura é um grande marco para a empresa. “Este é um produto que já vai pronto para a construção, por isso a economia na água. É muito gratificante saber que um produto da minha empresa fez parte da história das Olímpiadas do Rio”, comemora.

A Biomassa do Brasil participou em 2015 do ciclo da aceleração do InovAtiva Brasil, o que proporcionou à empresa um leque de oportunidades e conhecimento. “A mentoria do InovAtiva mudou completamente nossa visão de mercado. Acredito que estamos mais focados nos nossos objetivos. Recebemos acompanhamento antes e depois da nossa participação. Conseguimos, inclusive, clientes fora do Brasil” ressalta o diretor.

A startup atua em todo território nacional e oferece suporte técnico e acompanhamento do trabalho aos clientes. Uma grande novidade é que agora, além da biomassa, a empresa começou a produzir diversos produtos na área da construção civil, como cimento sustentável, argamassa polimérica pronta para aplicação em pisos, azulejos e pastilhas e também tinta térmica. ‘‘Nossa meta é criar diversos outros produtos deste tipo para então aumentarmos o mercado da construção sustentável’’, conclui.

Conheça a Biomassa Brasil: www.youtube.com/watch?v=HXe0dF0objM

Site: www.biomassadobrasil.com.br

inovativa@inovativabrasil.com.br