Posts

Entenda o que é Governança Corporativa e como aplicá-la na sua startup

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a aplicação da Governança Corporativa nas startups impulsiona o pleno aproveitamento do capital intelectual da empresa, promovendo uma expansão mais competitiva e auxiliando na captação de recursos. No entanto, para colocar este conceito em prática, o Instituto estabelece quatro pilares de gestão: transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade sócio-corporativa.

Para Ana Paula Candeloro, advogada, executiva c-level, conselheira certificada e mentora de startups, isso não basta para o sucesso de uma empresa. “É preciso transcender, abraçar as tendências e ficar atento a pensamentos inovadores. O código do IBGC introduz o olhar sobre o propósito na fase de validação, mas eu acho que é preciso pensar em Governança Corporativa a partir da ideação”, comenta.

Segundo a especialista, não existe uma fórmula definida para o estabelecimento desta prática na organização e sim direcionamentos que variam de acordo com o apetite de risco (saber onde quer e pode chegar), sua base de clientes, o momento de atuação da instituição, localização geográfica, contrapartes envolvidas e outros fatores que são próprios de cada startup.

“Existe o mito de que custa caro, é complicado, burocrático, que vai engessar o business e que precisa de uma equipe enorme de pessoas. Eu acho que falta disseminar um pouco a cultura de entendimento de que é possível ser aplicado um programa customizado que vai encarecendo conforme a fase da empresa e o orçamento disponível para isso”, explica a advogada.

Benefícios da Governança Corporativa nas Startups

Com a aplicação deste conceito na organização, a captação de recursos por fontes externas é mais acessível, visto que os bancos e instituições financeiras têm uma percepção mais favorável sobre a empresa, já que esta tem uma gestão organizada e, portanto, transmite mais credibilidade.

“Existe muito dinheiro de investidores estrangeiros querendo aportar no Brasil, mas eles não encontram startups preparadas para receber o investimento. As instituições que não estabelecerem a Governança Corporativa em seu escopo vão ficar fora das rodadas de capital”, afirma Ana Paula.

Além disso, a mentora diz que os padrões da América do Norte e da Europa são mais elevados e rigorosos do que no Brasil. Os investidores observam não só a diligência do negócio, como também os impactos que a instituição gera na sociedade de acordo com a lista dos 14 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Governança Corporativa nas diferentes fases das startups

Resumidamente, a empresa tem que ter um plano, saber para onde vai. Quando chegar o momento certo, o empreendedor estará no controle do seu negócio e poderá decidir com quem quer se relacionar, se quer abrir o capital e quando vai abrir, quais serão os seus fornecedores etc.

Contudo, a Governança Corporativa, segundo a Conselheira, é um instrumento de competitividade e de internacionalização que se baseia no propósito da empresa. Como este se altera com o desenvolvimento da organização, em cada fase da startup são esperadas diferentes aplicações do conceito:

  • Ideação: Tendo em vista que a empresa muitas vezes ainda não existe formalmente, é importante ter controle de caixa para pensar na capacidade financeira da startup, mapeamento da necessidade de registro de marca ou patente e entender as leis do setor em que está se inserindo;
  • Validação: É uma fase operacional, então o mercado já está sendo testado e a instituição está ativa e apta para receber aportes, mentores e consultores. Neste momento, a organização deve elaborar seu estatuto, efetivar o registro de marca ou patente, definir as rotinas contábeis e as regras de vesting, bem como criar um organograma e diretrizes para o que possa vir a ocorrer;
  • Tração: Quando a startup atinge este patamar, está procurando captar mais clientes e aumentar o seu faturamento. Por isso é necessário fazer segregação de funções, estruturar um conselho construtivo, definir um planejamento estratégico com metas e indicadores e as três linhas de defesa – de negócios e controle -, além de desenvolver um controle normativo;
  • Escala: Por fim, quando o crescimento estiver acelerado, a startup pode pensar em explorar as oportunidades e expandir geograficamente. Para tanto precisará estabelecer um plano de sucessão, incluir um conselheiro externo, implantar comitês de assessoramento, desenhar templates padrões para procedimentos e políticas, elaborar um programa de compliance e definir critérios para mensurar os impactos da atividade.

Se você quer saber mais sobre Governança Corporativa nas startups, acesse: Don’t Panic! Governança para startups

Confira o nosso núcleo de educação empreendedora: Academy

TrazFavela: Delivery para a periferia cresce 500% durante a pandemia

O programa InovAtiva Brasil está sempre em busca de ideias disruptivas que ajudam a solucionar dores da sociedade. No ciclo 2020.1, encontrou isso no TrazFavela, delivery sem preconceito que tem como objetivo buscar e entregar produtos em regiões periféricas da cidade de Salvador.  A startup, que está operando desde setembro de 2019, viu seus negócios expandirem 500% no terceiro trimestre deste ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Para saber mais sobre esse processo de crescimento e consolidação no mercado, conversamos com Iago Santos, CEO e cofundador da empresa:

1. O que faz o TrazFavela?
A proposta do TrazFavela é levar produtos da periferia para fora e de fora para a periferia, fazendo a ponte entre esses dois mundos. Nosso intuito é quebrar o preconceito de que quem é da periferia sempre é bandido. Tem muita gente boa dentro da periferia e nós tentamos reforçar sempre isso.

2. Como surgiu a startup?
A ideia surgiu em 2016, quando houve o boom dos deliveries. Na época, percebi que onde eu moro, apesar de ter uma economia muito forte, não fazia parte da rota dos aplicativos. Identificando esse problema e sabendo da potencialidade do meu bairro, vi o atendimento a comerciantes da região como uma oportunidade de negócio. Em agosto de 2018, eu e os outros cofundadores, Marcos Silva e Ana Luiza Sena, validamos a ideia no Startup Weekend Salvador, mas foi apenas em setembro de 2019 que iniciamos efetivamente a operação.

3. Atualmente, em que estágio está o TrazFavela?
Estamos na fase de MVP/Operacional e voltados para o público B2B. Por ainda não termos o nosso aplicativo, atuamos por meio do WhatsApp intermediando o contato do comerciante com o entregador. O processo de retirada do produto no estabelecimento e entrega ao comprador costuma durar de 20 minutos a 1 hora.

4. Qual é a abrangência do negócio?
Atendemos 51 estabelecimentos de todas as regiões. A maioria dos comerciantes cadastrados são de áreas periféricas e boa parte das nossas entregas são locais que já têm algum tipo de serviço de delivery, mas não pegam de periferias.

5. Por causa da pandemia a demanda por delivery aumentou no Brasil. Como o TrazFavela está passando por esse momento?
Foi totalmente favorável para a gente. Como não há nenhum tipo de delivery que atua com empreendedores, ganhamos muita visibilidade e assim conseguimos crescer 500% só no segundo trimestre desse ano. De março a junho realizamos mil entregas, enquanto no primeiro trimestre estávamos chegando a 100. Para se ter uma ideia, em fevereiro fizemos 19 entregas. Em março, esse número subiu para 45. Em abril já foi para 119. Com isso, conseguimos totalizar em seis meses 2 mil entregas.

6. O que foi preciso fazer para que o crescimento exponencial não prejudicasse a qualidade do serviço?
Esse processo foi realizado de forma gradual, conforme o aumento da demanda. Nós adquirimos um sistema de multi-atendimento pelo WhatsApp e expandimos o quadro de entregadores, passando de 10 no início do ano para 38 em setembro. Assim, estamos crescendo tanto na nossa operação quanto no desenvolvimento do negócio para que possamos entregar os produtos o mais rápido possível.

7. Como se dá o vínculo entre o entregador e o TrazFavela?
Com a chegada da pandemia, as pessoas que ficaram desempregadas e não estavam conseguindo renda nos procuraram e começaram a empreender prestando esse tipo de serviço para nós. No modelo que usamos hoje, os entregadores não ficam presos a nós, então utilizam o TrazFavela como uma renda complementar, recebendo o valor total do frete, que é calculado por quilometragem.

8. Existe um plano de expansão para outras cidades do Brasil?
Estamos nos estruturando para expandir para cidades vizinhas, mas nosso objetivo também é ir para São Paulo – que tem uma das maiores favelas da América Latina -, Rio de Janeiro, Recife. Assim que conseguirmos atuar bem nessas capitais, queremos atingir o Norte também, pois recebemos bastante procura de pessoas que querem levar o TrazFavela para lá.

9. O TrazFavela participou do ciclo 2020.1 do programa InovAtiva Brasil. O que você destaca dessa experiência?
Foi uma experiência muito boa pela possibilidade de construção e fortalecimento da estrutura da nossa startup. O InovAtiva Brasil nos ajudou muito com a parte humana do negócio e com a conexão com investidores. Por ser um grande programa aceleração de startups, vimos nele uma oportunidade de adquirir experiência em âmbito nacional.

10. Recentemente vocês começaram a fazer parte do Black Founders Fund. Como está sendo esse processo?
Na verdade, por a gente já ter passado pelo Startup Zone, um processo de aceleração do Google, a gente já tinha essa relação com a empresa, por isso conseguimos participar do fundo, que está sendo uma experiência muito boa. Estamos rodando Bootstrap há um ano e nossos recursos estavam acabando. Com este investimento, pudemos evoluir alguns processos, na parte operacional e conseguiremos finalizar nosso aplicativo e nos consolidar na capital baiana.

Conheça outras startups que participaram do programa de aceleração InovAtiva Brasil.

Mold.Me recebe investimento da Anjos do Brasil e desponta no mercado têxtil brasileiro

A Molde.me é uma solução em modelagem digital e encaixe automático para empresas do setor têxtil. Em 2019, a startup foi uma das 108 aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil. No ano de 2020, a startup teve mais uma conquista: recebeu investimento da Anjos do Brasil de Santa Catarina.

“O processo começou em novembro do ano passado, quando inscrevi a Molde.me para avaliação na plataforma do Anjos do Brasil. Em abril, mesmo em meio a pandemia da COVID-19, apresentei nosso pitch em uma reunião do grupo de Santa Cataria e logo em seguida começamos os contatos e negociação. Foram três meses de reuniões, revisões de contrato, apresentações e projeções”, comenta Tyara Nascimento, Fundadora e CEO da startup.

Segundo ela, o InovAtiva Brasil teve grande contribuição para a obtenção deste aporte, visto que foi com a ajuda do programa que a empreendedora desenvolveu uma projeção sólida, um planejamento financeiro conciso e um valuation preciso, gerando confiabilidade para os investidores.

“É uma honra ser uma das selecionadas para participar de um programa tão concorrido. Nas mentorias coletivas aprendemos muito e todas as semanas recebemos insights que colocamos em prática. Isso fez com que a empresa melhorasse a cada dia. Além disso, um dos nossos mentores tornou-se nosso conselheiro e hoje trabalha em uma área que antes era vista internamente como frágil”, afirma Tyara.

Atualmente, o objetivo da empresa é crescer significativamente a ponto de dominar o mercado brasileiro no seu segmento de atuação, depois partir para a internacionalização, seja na América Latina ou Europa. Para isso, o valor recebido será destinado a gerar leads e fortalecer a marca. Hoje em dia, a marca possui centenas de clientes, dentre eles J Hess Camisaria Sob Medida, Estúdio Minah, Lunelli Têxtil, Unochapecó e Zanotti Elásticos.

“Investiremos também na área de desenvolvimento de produto e vendas, que vai nos trazer mais clientes e receita, para que possamos oferecer sempre uma solução surpreendente para os nossos clientes. Temos expectativas muito boas e animadoras”, completa a empreendedora.

Sobre a Molde.me

A startup surgiu quando Tyara decidiu juntar seu conhecimento na área têxtil com a experiência de seu marido Luiz (Fundador e CTO) em engenharia de software para solucionar uma demanda de mercado: soluções acessíveis para micro, pequenas e médias empresas. Assim, o casal desenvolveu um produto inovador, com interface amigável, fácil de aprender e operar, ajudando a empoderar modelistas para que estes economizem tempo e dinheiro, e tornem-se ainda mais competitivos no mercado.

“A Molde.me nasceu e cresceu em Santa Catarina, onde o setor têxtil é muito forte. Porém, o nicho que atendemos é muito carente em soluções tecnológicas e nosso atendimento diferenciado conquista os clientes a longo prazo, o que me deixa muito animada e realizada”, finaliza a empreendedora.

Em nosso site, você encontra conteúdos completos sobre captação de investimentos. Acesse a página Academy e saiba mais.

Conheça 4 fintechs que têm mais de um setor de atuação

O mercado de fintechs vem crescendo ano após ano. Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), este é o segundo setor com mais soluções tecnológicas inovadoras, ficando atrás apenas da área educacional. Além disso, de 2015 a 2019 apresentou um aumento de 28,3%.

Neste cenário competitivo, Confira 4 startups aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil que adotaram esse modelo e conheça seus diferenciais:

Construção Civil

O OrçaFascio é um software de orçamento de obras focado na facilidade de uso. Desenvolvido para seguir rigorosamente todos os padrões e as normas do Tribunal de Contas da União (TCU), com uma detalhada assertividade e precisão nos cálculos, é considerado por especialistas um dos melhores softwares para concorrer a licitações públicas no Brasil. O sistema conta com 19 bases de composição, incluindo SINAPI, SICRO e SBC, todas atualizadas de forma automática e sem custo adicional para o usuário. A startup também fornece medição, diário de obra e módulo compras.

Cultura

A CREBIT desenvolveu um cartão digital que promove a inclusão do público jovem que não tem acesso a crédito tradicional, mas quer e precisa comprar serviços e produtos online. Tudo isso com uma experiência financeira diferente, simples e completa, com taxas revertidas em bônus no celular, games, cinema, entre outros. E o melhor: sem chances de dívidas.

Educação

O Juros Baixos é um comparador de serviços financeiros e canal de educação financeira. Sua missão é facilitar e guiar decisões monetárias conscientes e inteligentes com base nos valores de transparência, objetividade, liberdade, autonomia e foco no usuário. A startup também oferece crédito, investimentos, seguros, serviços bancários, meios de pagamento, câmbio, gestão de recursos e assessoria financeira.

Reciclagem

A Coletando é a primeira Green Fintech do mundo a disponibilizar pontos móveis, que promove uma economia circular ecológica, trocando lixo por dinheiro em comunidades. A startup oferece oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social de renda imediata, bancarização para acesso a oferta de serviços diversos, bem como a melhoria da qualidade ambiental. Isso porque o usuário que entrega os resíduos recebe uma conta digital com ou sem cartão físico, na qual é depositado um valor monetário referente ao que ele entregou.

Quer conhecer outras fintechs que participaram dos programas de aceleração InovAtiva Brasil e InovAtiva de Impacto? Acesse a lista completa de aceleradas.

O que você vai encontrar no Ecossistema InovAtiva?

A rede InovAtiva Brasil proporciona a todos os seus stakeholders as melhores oportunidades de crescimento, desenvolvimento e networking. No pilar Ecossistema, existe uma extensa malha de conexões estratégicas formada por mais de mil mentores, diversos fundos de investimento e investidores, grandes empresas, 29 líderes de comunidade, 18 líderes veteranos, 35 agentes e mais de 155 disseminadores.

Beneficiando desde startups em estágio de ideação até aquelas já estruturadas e operantes, este pilar está dividido em quatro frentes de atuação:

Comunidade InovAtiva

Empreender não é fácil. O caminho a ser percorrido é árduo e com muitos obstáculos. Porém, para tornar essa jornada um pouco mais fácil, o InovAtiva Brasil conecta as comunidades de startups do país, dando apoio e suporte a fim de estimular a vontade de inovar nos empreendedores. Levando conhecimento e promovendo momentos de integração aos startupeiros, temos atuação nacional para ajudar a fortalecer o ecossistema de todo o país.

InovAtiva Conecta

Criado da necessidade de juntar as startups nos locais certos e com as pessoas certas, o InovAtiva Conecta é um mecanismo de estímulo à inovação aberta que promove rodadas de negócios entre empreendedores e seus públicos alvos. Atualmente, contamos com mais de 30 grandes empresas parceiras e já auxiliamos na concretização de mais de 200 rodadas de negócios.

Powered By InovAtiva

Visando a dar suporte a novas ações, fortalecer relações com comunidades regionais e incentivar atuações locais, essenciais na manutenção do empreendedorismo, o Powered By InovAtiva utiliza todo o know how adquirido durante os sete anos de existência do InovAtiva Brasil para apoiar eventos voltados à construção de um Brasil mais inovador.

Eventos 

Para aumentarmos o alcance do impacto gerado pelo InovAtiva Brasil, fornecer conteúdo altamente qualificado e promover networking entre os agentes do ecossistema de empreendedorismo, criamos parcerias com diversos eventos, como Rio2C, HOJE, CASE, Startup Summit, Rec’n Play, Hackathon, entre outros. Também promovemos o InovAtiva Day, um dia em que diversos estados realizam treinamentos, palestras e treinamento de pitch para startups.

Quer saber mais sobre o Ecossistema InovAtiva? Então entre em: https://www.inovativabrasil.com.br/ecossistema/

Saiba o que é Taxtech e como elas estão mudando o Brasil

O termo TaxTech surgiu da junção das palavras em inglês Tax (que significa imposto) e Tech (de tecnologia). Assim sendo, o conceito designa startups que oferecem soluções tecnológicas para o setor tributário, que envolvem o pagamento de impostos, taxas, encargos e tarifas para o poder público.

Essas empresas têm como função ajudar na gestão das contribuições financeiras da sociedade, evitando que as pessoas recebam multas por atrasos no pagamento de contas ou que sofram processos criminais por sonegação de impostos. Inseridas neste conceito, também existem empresas que apresentam alternativas para a destinação do Imposto de Renda, como é o caso da Incentiv.me.

Trabalhando com projetos financiados via leis de incentivo fiscal, a startup oferece produtos e serviços que ajudam na escolha da destinação de impostos. “Dessa forma, torna-se uma ferramenta de desburocratização e democratização do acesso às leis de incentivo fiscal, dando à sociedade a oportunidade de gerenciar parte de seus impostos na solução de problemas coletivos”, comenta Douglas Lopes, CEO da Incentiv.me.

Outra empresa que se destaca nesta área é a Porthal Sistemas. Seu objetivo é desenvolver soluções web, desktop e mobile para automação comercial e do agronegócio, visando  a facilitar as operações. Com o iCode ERP, software web para gestão empresarial e um dos principais produtos do empreendimento, a startup ajuda o comércio varejista e atacadista de pequeno e médio porte com a emissão de DFe (Documentos Fiscais Eletrônicos).

“Nosso diferencial é automatizar os processos tributários, permitindo assim que qualquer pessoa, mesmo com pouco conhecimento na área, consiga operar o sistema com facilidade e assim reduzir custos e tempo nas operações da empresa”, afirma Alex Malmann Becker, sócio da Porthal Sistemas.

Por fim, a Eficiência Fiscal, startup de outsourcing em gestão tributária com foco nas operações de compra, manutenção de itens e venda de mercadorias, também se destaca neste segmento. Ela busca resolver o problema da falta de conhecimento para lidar com a complexidade da legislação tributária brasileira.

“Nós possibilitamos que pequenas, médias ou grandes empresas varejistas tenham acesso à conhecimento qualificado em matéria tributária por meio de uma plataforma (SaaS), baseada em inteligência artificial, acessível e com um custo de investimento compatível com a realidade financeira de cada negócio. Em resumo, prestamos consultoria tributária nas operações de compra e revenda de mercadorias”, complementa Edgar Kaiser, Diretor Executivo da Eficiência Fiscal.

Inscreva-se para o InovAtiva Brasil 2020.2

Entre 29 de junho e 03 de agosto, soluções brasileiras inovadoras de qualquer segmento e região do país podem se inscrever gratuitamente para participar da próxima edição do InovAtiva Brasil – o maior programa de aceleração de startups da América Latina. 

O tema escolhido para representar o Ciclo 2020.2 do programa foi “Além do Vale do Silício: um Brasil que respira inovação”. A partir da análise da grandeza dos produtos e serviços oferecidos pelas startups nacionais, fica perceptível que o Vale do Silício pode até ser considerado o berço da tecnologia, mas o Brasil não fica para trás.

Afinal, segundo a Associação Brasileira de Startups, o país conta com um ecossistema formado por mais de 12 mil startups, 75 comunidades e centenas de agentes dispostos a contribuir com o empreendedorismo, como aceleradoras, investidores, grandes empresas e o governo. O InovAtiva Brasil faz parte desse cenário.

As empresas que se inscreverem no segundo ciclo de 2020 do Programa vão passar por uma rigorosa seleção e até 160 delas serão escolhidas para ter acesso, durante quatro meses, a um conteúdo online, que inclui mentorias, treinamentos, webinars e muito mais. Na banca final, terão seus pitches avaliados pelos jurados do programa.

As 12 startups que se destacarem nessa apresentação irão receber uma placa em reconhecimento à dedicação em realizar as atividades propostas pelo InovAtiva Brasil. Além disso, serão disponibilizados benefícios exclusivos para todos aqueles que cumprirem com o cronograma total de atividades oferecidas durante o ciclo.

E aí? O que está se esperando para se inscrever? Acesse https://www.inovativabrasil.com.br/ciclo20202/ e faça já o seu cadastro!

No ciclo 2020.2, InovAtiva Brasil mostra que o país respira inovação e seu empreendedorismo vai além do Vale do Silício

Com sete anos de existência, mais de 10 mil projetos submetidos, 1064 startups aceleradas e mais de 30 mil empreendedores impactados, o InovAtiva Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina, chega a sua segunda edição de 2020.

De 29 de junho a 3 de agosto, startups de todo o Brasil, que atuam com qualquer segmento, poderão se inscrever para o ciclo 2020.2 pelo site do programa. Até 160 startups serão selecionadas para receber mentorias, fazer treinamentos de pitches e se apresentar para a maior banca de investidores, grandes empresas e parceiros do país.

Nesta edição, o programa terá como tema “Além do Vale do Silício: um Brasil que respira inovação” e pretende mostrar como as 75 comunidades de startups existentes no país promovem um lugar favorável para o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções para problemas nacionais.

Em meio a mais de 12 mil startups, segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), 13 negócios unicórnios e milhares de pessoas comprometidas em entregar produtos e serviços com soluções eficientes, o InovAtiva Brasil se revela como uma importante ferramenta para a construção de um país onde o empreendedorismo tem papel fundamental para a sociedade e economia. 

Até o momento, o programa já realizou mais de 80 eventos e treinou cerca de 2 mil startups para conexão com seus públicos de interesse. Para saber mais sobre a oportunidade de participar do InovAtiva Brasil 2020.2, fique atento ao nosso site: https://www.inovativabrasil.com.br/ciclo20202/

Webinar debate saúde mental em tempos de isolamento social

Chegamos ao 6º webinar da série sobre a influência da Covid-19 no empreendedorismo. No dia 7 de maio, Felipe Faria, fundador e CEO da Moodar, e Diogo Lara, diretor e co-fundador da Cíngulo, foram convidados a debater sobre a importância de cuidar da saúde mental em tempos de isolamento social.

Com intermédio do Líder da Comunidade de Amazonas, Yan Fontão, os empreendedores comentaram, durante 45 minutos, sobre suas experiências na área de negócios, no mercado de saúde emocional e falaram sobre a importância do uso de tecnologias no segmento para pessoas e empresas, além de tirarem dúvidas dos participantes.

Os especialistas também foram questionados sobre como manter saúde mental em tempos de pandemia mundial e fatores econômicos, assim como sobre o impacto da crise do coronavírus nos empreendedores e na população em geral. Também foram abordados pontos sensíveis, como quais fatores mais têm afetado os indivíduos durante a quarentena e suas consequências; de que forma a tecnologia e suas startups podem auxiliar nesse momento tão difícil; e quais providências as pessoas podem tomar para evitar problemas emocionais e psicológicos.

Caso não tenha tido oportunidade de assistir ou queira rever o bate-papo, acesse o vídeo que disponibilizamos no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=CYuXp964FUU.

Programa InovAtiva de Impacto está com inscrições abertas para o ciclo 2020 de aceleração

Você, empreendedor que tem um negócio de impacto socioambiental, não pode ficar fora do próximo ciclo de aceleração do InovAtiva de Impacto. Coordenado pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, do Ministério da Economia, e pelo Sebrae, o InovAtiva de Impacto é uma vertente diferenciada do Programa InovAtiva Brasil e tem como objetivo apoiar negócios com propósito de criar iniciativas de âmbito social e/ou ambiental.

O programa acontece anualmente e tem duração de cinco meses. Os interessados podem se inscrever para o Ciclo 2020 de Aceleração até 1º de junho no site do InovAtiva Brasil. Para participar, as startups precisam estar formalizadas como empresas, possuir base tecnológica ou um modelo de negócios inovador, ter como missão gerar impacto social ou ambiental positivo e contar com alto potencial de escalabilidade.

Seleção

No dia 22 de junho será anunciado, no site do programa, as 40 startups que receberão gratuitamente e de forma totalmente online, cursos de capacitação, mentorias individuais e coletivas, além de um treinamento de simulação de pitch (discurso feito a investidores). A escolha dessas soluções será realizada por uma rede de avaliadores qualificados para analisar os projetos submetidos com base em cinco critérios: Grau de Inovação, Potencial de Mercado, Maturidade da Solução, Equipe e Tese de Mudança. 

Ao final do ciclo, conforme o desenvolvimento durante o programa, 20 startups serão convidadas a participar do InovAtiva Experience, evento de conexão com organizações e empresas, em que se apresentam para uma banca de investidores e representantes de aceleradoras e de outras instituições ligadas ao tema.

E aí, está esperando o que para fazer parte desse ecossistema?

inovativa@inovativabrasil.com.br