Posts

InovAtiva Brasil promoveu palestras, rodas de conversas e workshops durante Hack Town 2019

Entre os dias 05 e 08 de setembro, o programa InovAtiva Brasil marcou presença no Hack Town 2019, em Santa Rita do Sapucaí (MG). O evento juntou tecnologia, música e inovação, gerando ideias diferentes e conexões de impacto aos 6 mil participantes.

O festival contou com mais de 600 palestras, showcases e workshops durante seus quatro dias e chegou a ter 38 atividades simultâneas em diversos ambientes da cidade, como auditórios, teatros, bares, restaurantes e outros locais inusitados. Em sua quinta edição, o Hack Town também promoveu ações noturnas, aumentando o uso dos espaços abertos.

Dentro dessa programação, o InovAtiva Brasil, em conjunto com a Campinas Tech, realizou mentorias e palestras sobre inovação aberta, empreendedorismo e startups; organizou rodas de conversas e participou de painéis nos quais seus Líderes de Comunidade compartilharam suas experiências e conhecimentos. Durante todas as atividades promovidas, impactamos diretamente mais de 80 pessoas.

O programa também ofereceu um workshop trazendo insights e dinâmicas focadas em inovação aberta e trazendo o aspecto estratégico das diferentes formas de promover o Open Innovation. Foi um momento de bastante troca entre startups e grandes empresas.

Além disso, durante o evento, houve um momento para que as startups participassem de pitch sessions e fizessem uma breve apresentação da sua solução aos demais presentes. A Biti9, startup acelerada pelo InovAtiva Brasil 2019.1 focada em serviços para produtividade administrativa e automação robótica de processo, ficou em primeiro lugar no primeiro dia.

“Tivemos uma experiência incrível no Hack Town, em Santa Rita do Sapucaí. Já na chegada à cidade, todos estavam com crachás coloridos, animados e comentando de palestras e aprendizados, ao mesmo tempo em que a euforia apareceu, surgiu a preocupação em fazer um bom pitch para apresentar o Robbi9 (nosso robô SaaS de automação de processos repetitivos). No final da noite, na chegada ao auditório, conhecemos as startups e sabíamos que a concorrência seria grande. Momentos antes de subir ao palco nossa mente traz à tona todo o caminho percorrido, brainstorms, os mentores, a aceleração do InovAtiva, que nos preparou tanto para estar ali. Toda essa dedicação acabou refletindo no resultado: ficamos em primeiro lugar”, finaliza Adalberto Cunha, Fundador e Diretor de Operações da Biti9.

Conheça as 112 startups que vão participar do Ciclo 2019.2

Após 585 inscrições e um criterioso processo de avaliação, 112 startups foram selecionadas para participar do programa InovAtiva Brasil – Ciclo 2019.2. Representantes de todas as regiões do país, as aprovadas são provenientes de metade dos estados brasileiros.

Em comparação com o ciclo 2019.1, as startups da região sudeste do país aumentaram sua presença em 18 pontos percentuais, sendo que o estado de São Paulo permaneceu na liderança, com 34 empresas aprovadas.

Perfil das startups aprovadas

Formalizadas como empresas, as startups selecionadas estão em estágio de operação (69,64%) ou tração (30,36%). Delas, 70 estão com uma base crescente de clientes e faturamento anual de mais de R$ 360 mil (26%). Elas são voltadas com para o público B2B (59,82%) e possuem vínculo com grandes empresas (53%).

Além disso, essas startups atuam, prioritariamente, nos segmentos de serviços, saúde e educação. Com modelo de negócios SaaS (51,8%), 108 das empresas possuem funcionários full time e 57% delas estão contratando. O InovAtiva será a primeira experiência de aceleração da maioria das startups, já que 71% delas nunca passou por uma aceleradora e 60% nunca esteve em uma incubadora.

Das aprovadas, 33 empresas já captaram algum investimento, sendo 51,52% provenientes de Investidores Anjo. O valor do aporte de 76% destas foi superior a R$ 100 mil. Mesmo assim, o objetivo de 56% das startups é ter a oportunidade de conquistar investimento e se conectar com grandes empresas.

Veja a lista completa.

Glossário Startupês – Conheça os termos usados para falar sobre ramos de atuação

Você já deve ter ouvido falar em “fintech”. Um dos termos mais conhecidos no Brasil no que se refere a startups, é utilizado para designar empresas que usam a tecnologia para aprimorar serviços financeiros, como remessas de dinheiro para o exterior, conta corrente em banco, empréstimos, entre outros.

Porém, este é apenas um dos segmentos de atuação de startups. Abaixo, listamos outros termos utilizados para nomear os diversos tipos de empresas tecnológicas existentes no mercado:

  • AdTech: sinônimo de Madtech, a expressão designa startups que atuam com publicidade e propaganda e criam tecnologia para convergência de mídias, análise de big data e distribuição de anúncios em mídia programática descentralizada;
  • AgTech: também conhecido como Agrotech, esse termo se refere a empresas que desenvolvem técnicas ou softwares para aprimorar práticas agrícolas;
  • AutoTech: esse é o nome dado para startups que desenvolvem soluções voltadas para mobilidade, transporte, logística e indústria automobilística;
  • Biotech: empresas de biotecnologia que produzem equipamentos e soluções para melhorar a vida humana;
  • Construtech: iniciativa que surgiu para melhorar os problemas, facilitar processos e gerar valor para o setor de construção;
  • Cleantech: também denominada de Greentech, essas empresas desenvolvem soluções tecnológicas e modelos de negócios para minimizar o impacto ambiental das empresas;
  • EdTech: o termo é usado para designar inovações na área de educação com o intuito de facilitar a aprendizagem e melhorar o desempenho dos alunos por meio de aplicativos móveis, mídia social, Inteligência Artificial, entre outras tecnologias;
  • Femtech: criada para denominar startups que desenvolvem produtos voltados para o público feminino, hoje a expressão também se refere a

iniciativas defendidas por empresas e associações, que combinam feminismo e tecnologia para erradicar a desigualdade de gênero;

  • Foodtech: entrega de alimentos, cozinheiros automatizados, impressoras alimentícias 3D, aplicativos para verificar a quantidade de calorias nos alimentos são alguns exemplos de startups do setor que desenvolve soluções para o mercado alimentício;
  • Health Tech: voltadas para o setor de saúde, essas startups criam tecnologias para otimizar o atendimento ao paciente em geral, como aplicativos para marcar consultas médicas, máquinas para consulta oftalmológica, plataformas de monitoramento dos sinais vitais dos pacientes, entre outras.
  • HRtech: designação das empresas que empregam tecnologias inovadoras para aprimorar a área de Recursos Humanos;
  • Insurtech: essas soluções beneficiam consumidores das indústrias de seguros, financeira e imobiliária com a criação de novos mecanismos de medição de risco;
  • LegalTech: também chamadas de Lawtechs, essas startups desenvolvem tecnologias para o ramo jurídico;
  • Martech: utilizando bots, algoritmos, big data e data analytics, as Martechs contribuem para alavancar as vendas revolucionando o marketing digital;
  • Proptech: voltada para a corretagem de imóveis, esses negócios se baseiam em blockchain, realidade virtual e aumentada, IoT e geolocalização;
  • Regtech: com ferramentas para aprimorar as atividades regulatórias, essas startups têm como intuito garantir a integridade financeira e proteção de dados do consumidor;
  • Retailtech: destinadas aos mercados de varejo e consumo, essas empresas desenvolvem tecnologias para melhorar a experiência de compra;
  • SportsTech: tecnologias usadas para criar uma solução para o mercado esportivo. Elas podem ser voltadas para Atividade e Performance, Organização e Gerenciamento, Engajamento de Fãs ou Jogos e Apostas;
  • Wealthtech: o objetivo das startups que atuam nesse ramo é desenvolver serviços e produtos de investimento alternativos para gerenciamento de patrimônio.

 

Ficou curioso para conhecer mais termos do universo do empreendedorismo? Já falamos um pouco sobre termos relacionados à tecnologias utilizadas por startups e a termos ligados a investimentos.  Continue acompanhando as novidades do nosso blog e conheça ainda mais!

InovAtiva Brasil realiza conexão entre startups e grandes empresas no Startup Summit

O Startup Summit é um movimento que promove o fortalecimento da inovação, por meio da união do ecossistema empreendedor de todo o Brasil. O evento, realizado nos dias 15 e 16 de agosto em Florianópolis (SC), contou com palestras de CEOs das principais startups do país e representantes de grandes empresas de tecnologia nacionais e internacionais compartilhando suas experiências e cases de sucesso.

Para ajudar na conexão entre esses dois grupos de participantes, o InovAtiva Brasil realizou uma dinâmica de grupo que chamou de InovAtiva Conecta. Para estimular os empreendedores a ajudar grandes empresas, o programa mapeou os desafios internos de sete grandes empresas (Dell, Johnson, Arcelor Mittal, Vale, FCC, Nexa Resources e Softplan) e o perfil das startups que três fundos de investimento (DOMO, GVAngels e MIT Angels) procuram.

O matching entre startups e empresários foi feito de modo a unir a solução oferecida pelo empreendedor com o problema exposto pelas grandes corporações. Ao todo, foram selecionadas 28 startups para as 45 rodadas de negócios estipuladas para o evento. Porém, além delas, foi possível incluir outras startups no InovAtiva Conecta, totalizando 50 rodadas de negócios com 11 grandes empresas.

Como o stand do programa teve uma programação aberta a todos os presentes, empresas e startups se encontraram no espaço para realizar conexão. Nos dois dias também foi disponibilizado um horário para networking, no qual os participantes do Startup Summit puderam se reunir para conversar, trocar cartões e ver como podem se ajudar.

Uma das startups participantes foi a CustomerX. De acordo com Leonardo Superti, CEO e Fundador da empresa, a conexão gerada pelo InovAtiva proporcionou conversas com corporações e investidores. “Marcar reuniões presenciais normalmente é algo bastante complicado. Por isso, essa ponte feita pelo programa foi excelente, pois conseguimos chegar nas pessoas certas. Saímos do evento a energia renovada, muitas ideias novas, orientações de quem já passou pelo que estamos passando e com outras conversas já pré-agendadas. Esperamos que isso possa gerar ótimos frutos e foi sensacional. Só tenho a agradecer”, afirma o empreendedor.

POX e InovAtiva Brasil firmam parceria

A startup Pox e o InovAtiva Brasil são agora parceiras. Criada em Porto Alegre, o Pox é uma startup focada no conhecimento compartilhado. Sua plataforma digital proporciona uma interação do público com o conteúdo.

Durante o Bootcamp Nacional do InovAtiva Brasil, ocorrido em São Paulo no dias 20 e 21 de julho, as startups participantes e o público puderam interagir e trazer suas impressões sobre a programação do evento, votando no conteúdo que mais gostaram.

Criado em 2016, o Pox visa “dar voz a quem não tem voz” e subverter a lógica de conteúdo em que “um fala e os outros escutam”, criando maneiras de colocar o público como protagonista e tornando cada momento de interação único.

Na plataforma digital, é possível criar interações de diversas formas, como nuvens de palavras, perguntas de múltipla escolha, sim e não, avaliações de 0 a 5 estrelas e até mesmo o envio de perguntas do público, tudo com um simples acesso ao QR Code ou link pelo celular.

A mudança na construção do conhecimento é visível e o InovAtiva busca sempre proporcionar essa evolução em seus programas e eventos.

Acompanhe os próximos programas InovAtiva e conheça o Pox.

Conheças a Smart-Tech, startup destaque do InovAtiva Brasil

Entre os dias 20 e 22 de julho, 86 startups participaram do Bootcamp Nacional e Demoday InovAtiva Brasil 2019.1. O evento, realizado na Escola de Negócios do Sebrae, em São Paulo, destacou as 12 empresas com os pitchs mais atraentes. Entre elas está a paranaense Smart-Tech Controle e Automação.

Focada em desenvolvimento de produtos para a indústria, a startup se sobressaiu na Banca 1: Educação, Indústria e Setor Financeiro. Confira abaixo a entrevista que fizemos com Tiago Machado, Diretor na Smart-Tech, para saber mais sobre o negócio:

Conte sobre a trajetória da sua empresa. Quando vocês começaram?

TM: A Smart-Tech foi fundada em Curitiba no ano de 2011, porém só foi ativada em 2015 quando eu e meu sócio, Guilherme Francescon, deixamos nossos empregos fixos na área de automação para prestar serviços nessa mesma área. Os antigos patrões foram os primeiros clientes e, após uma longa jornada prestando serviços para diferentes indústrias de todo o mundo (Alemanha, República Tcheca, Índia, China, Argentina e Brasil), surgiu a oportunidade de criar um produto que resolvesse uma dor que é sentida por todas as indústrias. Assim nasceu o projeto ST-One.

O que faz a Smart-Tech? Qual é o diferencial da startup?

TM: A Smart-Tech atua na área de Automação Industrial, tendo como diferencial um hardware próprio que hoje é utilizado por outras empresas do mesmo ramo e que, no passado, eram nossas concorrentes.

Em que estágio a startup se encontra? Quantos clientes vocês possuem atualmente?

TM: Nosso estágio atual é o de tração. Já temos um produto validado por grandes clientes como Volkswagen e Bosch e temos mais de 50 dispositivos instalados pelo Brasil.

O que você almeja para o futuro da sua startup?

TM: A Smart-Tech tem o objetivo de ajudar indústrias a atingir o grau de Indústria 4.0 de maneira rápida e sem muitas barreiras. Nosso produto, o ST-One (http://netsmarttech.com/page/st-one), é capaz de atualizar uma máquina até 30 anos, em termos de tecnologia. Com isso, almejamos amadurecer tecnologicamente as indústrias do Brasil e do mundo.

O que o InovAtiva Brasil agregou para a sua empresa?

TM: Participamos do ciclo 2019.1 do InovAtiva. O programa nos surpreendeu muito. Nossos mentores foram escolhidos para cobrir os nossos pontos fracos e, nesses quesitos, o programa conseguiu diagnosticar precisamente as nossas necessidades. Tivemos mentores que conseguiram levar a empresa para um novo patamar. Além disso, a nossa rede de contatos na indústria aumentou consideravelmente, trazendo novos clientes e cases para a Smart-Tech.

Com que objetivo você se inscreveu no programa? Conseguiu atingi-lo?

TM: Nosso objetivo era aprender com pessoas experientes do mercado como podemos escalar o nosso produto e o nosso modelo de negócio. Nossos mentores foram a peça chave nesse processo e, com eles, conseguimos criar um plano de ações futuras da empresa.

Já passou por outros programas de aceleração? Qual a diferença destes para o InovAtiva?

TM: Não passamos por nenhum outro processo de aceleração no passado, mas sabemos que o diferencial do InovAtiva é o impacto a nível nacional que o programa tem.

A empresa tem alguma novidade que gostaria de compartilhar conosco?

TM: Durante o programa, a Smart-Tech abriu duas novas vagas para dar conta das demandas geradas pelas ações tomadas durante o processo de aceleração, inclusive temos em mente que em breve mais vagas serão abertas.

Inovativa Brasil recebe 585 inscrições para Ciclo 2019.2

De 17 de junho a 29 de julho, o programa InovAtiva Brasil esteve com inscrições abertas para o seu segundo ciclo do ano. Ao todo, tivemos 585 startups interessadas oriundas de 25 estados brasileiros. As regiões campeãs de número de engajamento foram, respectivamente, São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Dentre as interessadas, 191 empresas desenvolveram a própria tecnologia, que já está sendo utilizada por uma base crescente de usuários. Por outro lado, os empreendedores dessas mesmas empresas ainda estão fazendo ajustes no modelo de negócios.

A maioria dos negócios inscritos tem até três anos de existência (75%), atuam com a área de Serviços ou Educação (29%) e seus modelos de negócios estão baseados em Marketplace ou SaaS (50%). Com faturamento anual de até R$ 10 mil (55%), essas startups ainda não receberam nenhum tipo de investimento (85%).

Essas empresas são compostas por uma equipe de um a quatro funcionários (77%), estão em estágio de conquistar os primeiros clientes/usuários (36%), mas já possuem consumidores ativos (79%). Em termos de inovação, as startups contam com uma tecnologia incremental que atende necessidade relevante dos clientes (48%). Portanto, os concorrentes que desejarem copiar suas técnicas deverão dedicar tempo e esforço para tanto.

Além disso, as soluções são voltadas para o mercado B2B (45%) e ainda não participaram de nenhum programa para startups (69%), incluindo aceleração (81%). No InovAtiva Brasil, 84% das empresas buscam oportunidade de investimento, conexão com agentes do ecossistema e mentorias especializadas.

Edição 2019.2

Serão selecionados até 130 negócios, que receberão mentorias gratuitas e se conectarão aos maiores players de empreendedorismo do Brasil. Durante quatro meses, essas startups receberão mentorias gratuitas, terão acesso a cursos e conteúdos exclusivos criados para estimular o aperfeiçoamento dos negócios e poderão fazer networking com outros empreendedores. Para encerrar sua participação no programa, a empresa se apresentará para a maior banca de investidores do país.

InovAtiva Brasil fica em primeiro lugar no Ranking 100 Open Startups

Realizado desde 2016, o Ranking 100 Open Startups é publicado anualmente destacando as startups que implementam soluções inovadoras em conjunto com grandes empresas. Em 2019, a publicação incluiu, pela primeira vez, o ranking de iniciativas fomentadoras do ecossistema de startups, categoria na qual o InovAtiva Brasil ficou em primeiro lugar.

Além disso, o programa acelerou 50 das startups listadas no Ranking. Dentre as 100 startups que mais se destacaram, 29 participaram do InovAtiva e, das 10 primeiras colocadas, 40% passaram por ele. Além disso, nos rankings setoriais, 21 negócios acelerados pelo programa também foram reconhecidos.

Veja abaixo as startups que passaram pelo InovAtiva Brasil e marcaram presença na publicação:

Entre as Top 10 startups mais atraentes de 2019

  • Comprovei
  • Pix Force
  • Pris Software
  • Simplifica Fretes

Entre as Top 100 Open Startups 2019

  • Comprovei
  • Pix Force
  • Pris Software
  • Simplifica Fretes
  • STANDOUT
  • UBIVIS
  • Happmobi
  • JUSTTO
  • Postmetria
  • Intelup
  • PROSUMIR Aproveitamento Energético
  • Mereo
  • BITi9
  • LogPyx
  • Vidya Techology
  • MOLEGOLAR
  • BYOND
  • Vibbra!
  • Forebrain
  • Regenera Biotecnologia LTDA.
  • Biosolvit
  • Engage
  • Proj4me
  • KEMIA Tratamento de Efluentes
  • Nama
  • Sentimonitor
  • Tarvos
  • CUBi Energia
  • Beenoculus

Entre as Top 10 Human Resources

  • Pris Software
  • Mereo

Entre as Top 10 Productivity

  • BITi9
  • Proj4me
  • BirminD Automação e Serviços

Entre as Top 10 Marketing

  • Postmetria
  • Forebrain
  • Sentimonitor

Entre as Top 10 Industry

  • UBIVIS
  • Intelup
  • Tau Flow

Entre as Top 10 Transport & Logistics

  • Comprovei
  • Bynd

Entre as Top 10 Computer Vision

  • Shelfpix
  • Meerkat

Entre as Top 10 Education

  • Happmobi
  • Engage

Entre as Top 10 Marketplace

  • Simplifica Fretes
  • Vibbra!

Entre as Top 10 Environment

  • Biosolvit
  • KEMIA Tratamento de Efluentes
  • NETResiduos
  • Polen – Solução e Valoração de Resíduos

Entre as Top 10 Retail

  • STANDOUT
  • Reduza

Entre as Top 10 IoT

  • LogPyx

Entre as Top 10 Big Data

  • KCollector
  • EEmovel

Entre as Top 10 Customer Service

  • Nama

Entre as Top 10 Agriculture

  • Tarvos
  • Horus Aeronaves
  • Sensix

Entre as Top 10 Legal

  • JUSTTO
  • Incentiv

Entre as Top 10 Financial Services

  • Boletão
  • Meu Câmbio

Entre as Top 10 Construction

  • MOLEGOLAR

Entre as Top 10 Healthcare

  • HTX Systems

Entre as Top 10 Energy

  • PROSUMIR
  • CUBi Energia
  • Delfos
  • Enercred

Entre as Top 10 Biotech

  • Regenera Biotecnologia LTDA.
  • PluriCell Biotech
  • Pickcells
  • Sugarzyme

Cultura das startups: entenda o que há por trás

Cada empresa tem a sua própria cultura organizacional. Ela gera um senso de identidade entre os empregados, garante que todos sigam a mesma direção, moldam os valores, missão e visão da organização e permite que a companhia se adapte rapidamente as mudanças que ocorrem no ecossistema em que está inserida.

Nas startups isso não é diferente. Porém, ao contrário das grandes corporações, em que os processos são altamente burocráticos, elas já nasceram inseridas no mundo digital. Por isso, essas empresas tecnológicas têm uma cultura organizacional mais branda, com regras maleáveis e metodologias baseadas nos conceitos de inovação, produtividade, agilidade e economia.

Mesmo diante de um cenário de incertezas, elas conseguem manter seus funcionários motivados e engajados, pois lhes dão autonomia para executar projetos e demonstram que confiam em seu trabalho. Essa segurança, somada a possibilidade de experimentar sem medo de errar, faz com que as ideias fluam e que as soluções sejam criadas mais rapidamente.

Nas startups, as equipes são enxutas e formadas por pessoas de diferentes realidades. Porém, apesar de terem variadas vivências, formações e gêneros, todas elas têm uma característica em comum: o conhecimento em diversos assuntos, podendo exercer várias funções, mas com especialização em uma área, sendo reconhecido como “expert” em determinado tema.

Além disso, o clima organizacional fora do convencional também é um fator que chama a atenção nessas empresas emergentes. Na Solides, acelerada InovAtiva, por exemplo, existe um espaço para fazer churrasco, os funcionários não têm barreiras que os separam um dos outros, uma banda toca na hora do almoço e, na época do carnaval, um bloco formado pelos colaboradores desfila por Belo Horizonte (MG), onde a startup está localizada.

Outras iniciativas que podem ser encontradas nessas empresas tecnológicas são salas de descontração, com pufes, vídeo game, cadeira de massagem, mesas de ping pong e de pebolim e até mesmo espaço de beleza. Lá, os funcionários podem relaxar na hora do almoço para voltar renovado ao trabalho.

Para incentivar o networking, muitas delas estão alocadas em coworkings, ambientes inspiradores que contam conta a infraestrutura necessária para que empresas se juntem e desenvolvam seus negócios, fazendo com que este cresça de forma rápida e colaborativa. Nesses recintos, os integrantes de uma equipe trocam experiências com empreendedores desenvolvedores de soluções semelhantes à sua, criando assim uma forte rede de contatos.

Hoje, grandes corporações estão adotando o estilo startup de ser para atrair e motivar seus funcionários, além de garantir que seu negócio não se torne obsoleto com o passar do tempo. Essa é uma tendência de mercado influência que promete se solidificar daqui para frente.

Para saber mais sobre startups e seu ecossistema inovador, acompanhe as matérias que publicamos semanalmente no blog de InovAtiva!

Startups aceleradas pelo InovAtiva Brasil apresentam seus pitchs no Congresso de Inovação CNI

O 8º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, que ocorreu na São Paulo Expo dias 10 e 11 de junho, contou com startups aceleradas pelo programa InovAtiva Brasil apresentando seus pitchs para mais de mil pessoas, entre representantes do setor produtivo, do governo, da academia e de parceiros estratégicos do ecossistema de inovação brasileiro e internacional.

O evento, promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), e correalizado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), visa gerar networking e servir de inspiração para melhores práticas e tendências. 

Além disso, o Congresso teve como objetivo promover a cultura da inovação empresarial, discutir as oportunidades para o Brasil diante das tecnologias da indústria do futuro, disseminar experiências inovadoras, debater propostas de aprimoramento das políticas públicas de inovação e fortalecer o ecossistema de inovação no Brasil.

Confira abaixo a lista das startups aceleradas que participaram do evento:

  • PackID – startup que desenvolve soluções para monitoramento inteligente da temperatura de alimentos
  • Biosolvit – empresa de soluções em biotecnologia especializada em remediação ambiental
  • CUBi Energia – empresa que coleta e processa dados sobre consumo de energia elétrica
  • Acrux Aerospace Technologies – startup idealizada para resolver problemas no setor aeroespacial
  • Mogai – companhia que desenvolve tecnologia inovadora nas áreas de visão computacional e software para logística na indústria e agronegócio
  • Aya Tech – empresa que cria produtos com nanotecnologia voltado para a saúde dos usuários 

 

Para saber mais, acesse: http://www.congressodeinovacao.com.br/

inovativa@inovativabrasil.com.br