Posts

Descubra os termos de empreendedorismo que podem te ajudar a construir seu modelo de negócios

O modelo de negócio de uma startup é a maneira como esta cria, entrega e captura valor, gerando lucros aos seus acionistas. Para determiná-lo, a empresa precisa fazer um estudo que contemple o mercado de atuação, público-alvo, custos para operação, infraestrutura e a forma de obtenção de receita.

Abaixo listamos as definições de alguns termos que podem ajudar na elaboração do modelo de negócios da sua startup:

  • Atividades Chave: Ações necessárias para o funcionamento da startup;
  • Business Model: Com o intuito de ajudar o empreendedor a enxergar todas as etapas do seu Plano de Negócios, no Business Model são elencadas as técnicas que a startup utilizará para apresentar suas principais atividades aos seus parceiros e acionistas;
  • Business Plan: Traduzido para o português como Plano de Negócio, trata-se de um documento com os dados da empresa, ou seja, a descrição do produto/serviço que oferece, análises de mercado e as estratégias de vendas da startup. Ele serve para comprovar a viabilidade negócio;
  • Canais: Ações de marketing ou de logística para atingir os clientes;
  • Escalabilidade: Capacidade que um modelo de negócios tem de aumentar seu faturamento sem precisar elevar proporcionalmente seus custos;
  • Estrutura de Custos: Trata-se do valor investido para a criação do modelo de negócio da empresa;
  • Modelo de Assinatura: Startups que oferecem produtos ou serviços que são entregues ao cliente com periodicidade mediante pagamento mensal;
  • Parcerias Chave: Empresas, terceiros, fornecedores e organizações importantes para o funcionamento da empresa;
  • Pivotar: Momento em que o empreendedor muda seu Plano de Negócios após testar uma estratégia e não obter os resultados esperados;
  • Proposta de Valor: Inovações que a startup oferece – diferenciais em relação aos concorrentes;
  • Recursos chave: Ativos e recursos necessários para o funcionamento da empresa;
  • SaaS: A sigla corresponde ao termo Software as a Service e designa tecnologias que permitem que os usuários se conectem e usem aplicativos em nuvem pela internet;
  • Segmentação de Mercado: A expressão diz respeito à área em que a startup está inserida, como agronegócio, finanças, marketing, saúde, etc;
  • Validação: Momento em que o cliente ou usuário da empresa averigua se o modelo de negócio é viável.

Glossário Startupês – Conheça os termos usados para falar sobre ramos de atuação

Você já deve ter ouvido falar em “fintech”. Um dos termos mais conhecidos no Brasil no que se refere a startups, é utilizado para designar empresas que usam a tecnologia para aprimorar serviços financeiros, como remessas de dinheiro para o exterior, conta corrente em banco, empréstimos, entre outros.

Porém, este é apenas um dos segmentos de atuação de startups. Abaixo, listamos outros termos utilizados para nomear os diversos tipos de empresas tecnológicas existentes no mercado:

  • AdTech: sinônimo de Madtech, a expressão designa startups que atuam com publicidade e propaganda e criam tecnologia para convergência de mídias, análise de big data e distribuição de anúncios em mídia programática descentralizada;
  • AgTech: também conhecido como Agrotech, esse termo se refere a empresas que desenvolvem técnicas ou softwares para aprimorar práticas agrícolas;
  • AutoTech: esse é o nome dado para startups que desenvolvem soluções voltadas para mobilidade, transporte, logística e indústria automobilística;
  • Biotech: empresas de biotecnologia que produzem equipamentos e soluções para melhorar a vida humana;
  • Construtech: iniciativa que surgiu para melhorar os problemas, facilitar processos e gerar valor para o setor de construção;
  • Cleantech: também denominada de Greentech, essas empresas desenvolvem soluções tecnológicas e modelos de negócios para minimizar o impacto ambiental das empresas;
  • EdTech: o termo é usado para designar inovações na área de educação com o intuito de facilitar a aprendizagem e melhorar o desempenho dos alunos por meio de aplicativos móveis, mídia social, Inteligência Artificial, entre outras tecnologias;
  • Femtech: criada para denominar startups que desenvolvem produtos voltados para o público feminino, hoje a expressão também se refere a

iniciativas defendidas por empresas e associações, que combinam feminismo e tecnologia para erradicar a desigualdade de gênero;

  • Foodtech: entrega de alimentos, cozinheiros automatizados, impressoras alimentícias 3D, aplicativos para verificar a quantidade de calorias nos alimentos são alguns exemplos de startups do setor que desenvolve soluções para o mercado alimentício;
  • Health Tech: voltadas para o setor de saúde, essas startups criam tecnologias para otimizar o atendimento ao paciente em geral, como aplicativos para marcar consultas médicas, máquinas para consulta oftalmológica, plataformas de monitoramento dos sinais vitais dos pacientes, entre outras.
  • HRtech: designação das empresas que empregam tecnologias inovadoras para aprimorar a área de Recursos Humanos;
  • Insurtech: essas soluções beneficiam consumidores das indústrias de seguros, financeira e imobiliária com a criação de novos mecanismos de medição de risco;
  • LegalTech: também chamadas de Lawtechs, essas startups desenvolvem tecnologias para o ramo jurídico;
  • Martech: utilizando bots, algoritmos, big data e data analytics, as Martechs contribuem para alavancar as vendas revolucionando o marketing digital;
  • Proptech: voltada para a corretagem de imóveis, esses negócios se baseiam em blockchain, realidade virtual e aumentada, IoT e geolocalização;
  • Regtech: com ferramentas para aprimorar as atividades regulatórias, essas startups têm como intuito garantir a integridade financeira e proteção de dados do consumidor;
  • Retailtech: destinadas aos mercados de varejo e consumo, essas empresas desenvolvem tecnologias para melhorar a experiência de compra;
  • SportsTech: tecnologias usadas para criar uma solução para o mercado esportivo. Elas podem ser voltadas para Atividade e Performance, Organização e Gerenciamento, Engajamento de Fãs ou Jogos e Apostas;
  • Wealthtech: o objetivo das startups que atuam nesse ramo é desenvolver serviços e produtos de investimento alternativos para gerenciamento de patrimônio.

 

Ficou curioso para conhecer mais termos do universo do empreendedorismo? Já falamos um pouco sobre termos relacionados à tecnologias utilizadas por startups e a termos ligados a investimentos.  Continue acompanhando as novidades do nosso blog e conheça ainda mais!

Glossário de tecnologias utilizadas por startups

Virar empreendedor implica em uma série de mudanças, inclusive no vocabulário. Para te ajudar nessa adaptação, preparamos um glossário com alguns dos termos mais utilizados no universo das startups. Organizamos por categorias, em ordem alfabética, para ficar mais fácil de encontrar o significado da expressão procurada.

Neste primeiro material da série, separamos as definições das tecnologias que estão revolucionando a forma de fazer negócios.

    • Big Data: Grande volume de dados variados, gerados em alta velocidade;
    • Biohacking: Técnica de hackear o corpo humano para fazê-lo desenvolver habilidades que não possuía;
    • Biometria Facial: Ferramenta que permite a identificação de pessoas por meio das características genéticas presentes em seu rosto;
    • Biotecnologia: Conjunto de técnicas para manipular organismos vivos e, assim, modificar seus produtos;
    • Blockchain: Banco de dados online, público, descentralizado, transparente e confiável que não necessita de um agente externo para validar o processo;
    • Chatbot: Software programado para responder perguntas usuais;
    • Computação Cognitiva: Método para fazer os computadores pensarem como seres humanos;
    • Data Analytics: Técnica de utilizar algoritmos para examinar dados brutos a fim de encontrar padrões e tirar conclusões sobre essa informação;
    • Inteligência Artificial: Ferramentas tecnológicas que se assemelham ao raciocínio humano;
    • IoT (Internet of Thing): Traduzido como “Internet das coisas” para o português, essa tecnologia permite o monitoramento e gerenciamento de operações remotas;
    • Machine Learning: Método em que as máquinas aprendem com os dados a elas apresentados;
    • Nanotecnologia: Técnica que utiliza partículas atômicas para construir estruturas mais estáveis e aprimorar materiais;
    • Realidade Aumentada: Ferramenta que possibilita a interação entre os ambientes real e virtual em três dimensões;
    • Realidade Virtual: Projeção em tempo real de elementos concretos em um ambiente virtual.

 

 

inovativa@inovativabrasil.com.br