Posts

Open InovAtiva reúne 184 participantes durante a Expotec em João Pessoa

Com objetivo de conectar agentes do ecossistema de startups a grandes organizações locais, nos dias 30, 31 de outubro e 01 de novembro participamos da 5ª edição da EXPOTEC – Exposição Científica, Tecnológica e Cultural – maior evento de tecnologia do Nordeste.

Organizada pelo Governo do Estado da Paraíba, ANID e parceiros como nós, do InovAtiva Brasil, a feira, reuniu diversos speakers da região para debater o tema “ A inteligência Artificial e o futuro do trabalho humano”. O evento teve como foco a promoção do desenvolvimento sustentável na Paraíba por meio da ciência, tecnologia e inovação.

Em um dos espaços da EXPOTEC, aconteceu simultaneamente o Open InovAtiva, que contou com 184 participantes entre empreendedores, empresários, investidores, mentores, líderes e agentes do programa e da região, para discutir sobre as tendências relacionadas aos programas de inovação abertos realizados por grandes empresas do Brasil e do Mundo que desejam inovar com o apoio das startups, de forma mais ágil e eficiente, conectando negócios.

Ainda durante a ocasião, a startup Incentiv.me, liderada por Douglas Nicolau, abordou a importância das grandes organizações utilizarem as leis de incentivo e trouxe insights relevantes para mostrar aos empreendedores como eles podem destinar parte dos seus impostos para a realização de programas de inovação aberta e investir em startups.

Construído em cima de três pilares essenciais para a evolução do ecossistema de startups – Inovação aberta, Abrangência e Tendência, nas próximas edições, queremos fomentar ainda mais a conexão entre essas pontas e disseminar o conceito de inovação e empreendedorismo por todo o país.

InovAtiva Brasil participa da Conferência Anual De Startups E Empreendedorismo e anuncia novos projetos para 2020

Durante os dias 28 e 29 de novembro, o InovAtiva Brasil, programa de aceleração de startups , realizado pelo Sebrae e Ministério da Economia, irá participar da 5ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE 2019) e aproveitará a ocasião para anunciar os novos projetos para 2020. O evento, considerado um dos principais voltados para o ecossistema de startups e empreendedorismo da América Latina, acontecerá no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Em parceria com ArcelorMittal e Darwin Startups, as startups irão receber mentorias gratuitas e participar de desafios. Com duração de 45 minutos – sendo 20 para cada startup – as mentorias têm como objetivo incentivar a troca de conhecimento e experiência entre as startups e mentores. Ao todo, serão três mentores convidados que irão auxiliar os empreendedores em relação ao potencial do seu negócio e dar dicas de como crescer em seu mercado de atuação, totalizando seis negócios atendidos no estande do Sebrae.

Em conjunto com a Darwin Startups, o InovAtiva também terá como missão conectar as startups participantes com desafios propostos pelos parceiros da aceleradora, como: B3, Neoway, Safra, TransUnion e RTM. Cada empreendedor terá que realizar um pitch para três jurados com duração de cinco minutos, seguido de perguntas e feedbacks. As áreas que serão englobadas com essa dinâmica são:  Fintech, Telecom, Big Data, Smart Cities, Health Tech, AgTech, IoT e Logística.

Por fim, junto com a Arcelor Mittal, oito rodadas de negócios com duração de 20 minutos serão realizadas durante o CASE. Na ocasião, as startups terão como desafio desenvolver projetos e estratégias para melhorar algumas áreas de atuação da empresa.

Para Gustavo Ene, Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, o evento será uma excelente oportunidade para mostrar a importância de um programa de aceleração para startups, além de divulgar os planos que temos para o próximo ano.

“Mais 2 mil startups de todas as regiões do Brasil já participaram do programa InovAtiva e mais de 900 delas chegaram à fase de apresentar seus negócios em bancas presenciais com investidores de 2013 até hoje. São iniciativas como a nossa que ajudam a agilizar o processo para que essas empresas ganhem mercado, utilizando mentoria, capacitação, conexão com o mercado e vivência experimental, além de proporcionar acesso a investimentos e recursos. Além disso, queremos aproveitar o alto fluxo de pessoas que irão participar do CASE para anunciarmos nossas novidades para 2020”, finaliza.

 

Sobre InovAtiva Brasil:

O InovAtiva Brasil é um programa gratuito para aceleração de negócios inovadores de qualquer setor e região do Brasil, realizado pelo Ministério da Economia e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI). O programa oferece mentorias, visibilidade às startups e conexão com investidores, grandes empresas e parceiros. Entre 2013 e 2019, mais de 2000 startups de todas as regiões do Brasil participaram do programa e 926 delas chegaram à fase de apresentar suas soluções em bancas presenciais com investidores.

Corporate Venture: como startups e grandes empresas trabalham junto para inovar

Até bem pouco tempo atrás corporações estabelecidas em suas indústrias e com histórico de sucesso navegavam em oceanos azuis onde a preocupação com novos entrantes, apesar de real, não chegava a ser percebida como ameaça. Consequentemente, a inovação ficava restrita ao aprimoramento e expansão de linhas de produtos e modelos de negócios pré-existentes.

Também não é novidade que novos entrantes têm menor aversão a riscos, o que os dá maior flexibilidade para criar e testar ideias, mapeando oportunidades de mercado até então pouco exploradas pelos grandes players, uma vez que os riscos de perdas são praticamente nulos.

No entanto, com o surgimento de tecnologias disruptivas aliado ao perfil empreendedor, digital, criativo e colaborativo da nova força de trabalho do século XXI, os Millennials, essa preocupação tornou-se mais do que uma ameaça real. Grandes corporações simplesmente desapareceram, e indústrias inteiras viram a necessidade de se reinventar.

Devido a suas estruturas engessadas, pouca margem para erros e consequente aversão a riscos, grandes corporações enfrentam dificuldades no processo de inovação. Por outro lado, essas organizações têm percebido que para se manterem competitivas (e, em alguns casos, vivas), precisam liderar as rupturas dos seus próprios modelos de negócio. Assim, passaram a adotar estratégias de inovação aberta – um modelo descentralizado e colaborativo de produzir inovação.

Nesse contexto, a aproximação com as startups surge como alternativa perfeita, num casamento entre mundos complementares, movido pela busca de ganhos mútuos. Ao se engajarem com startups, os benefícios para as corporações vão desde a possibilidade de desenvolvimento tecnológico, transformação digital, melhoria da experiência do cliente, desenvolvimento de novos produtos e modelos de negócio, até potencial reformulação da cultura organizacional através da internalização de mindsets de crescimento. É uma forma de trazer o DNA de inovação num movimento de fora para dentro, com riscos controlados, maior rapidez e menores custos quando comparado a iniciativas desenvolvidas dentro de casa

Os ganhos para as startups também são diversos. Projeção da marca, ampliação de networking, acesso à uma extensa base de clientes e, ainda, potencial para alavancagem financeira (seja através de contratos de parcerias, aumento no volume de vendas ou até corporate venture capital), são apenas exemplos de possíveis benefícios para esses empreendedores.

Sejam quais forem os objetivos estratégicos que motivem ambos os lados a uma parceria, corporações e startups são forças propulsoras de uma mesma engrenagem, onde não só as empresas envolvidas se beneficiam, mas também a economia de todo país.

 

Texto da Líder de Comunidade do Rio de Janeiro Luciana Leão.

inovativa@inovativabrasil.com.br