Posts

Plataformas que vão deixar o seu carnaval mais prático, econômico e divertido

O carnaval está chegando. Vai viajar? Já está com a passagem comprada ou com o hotel reservado? Se ainda não sabe onde vai ficar ou está em busca de um valor que caiba no seu bolso, você não pode deixar de ler essa matéria! O InovAtiva Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina elencou três plataformas que podem te ajudar com cada passo da sua viagem!

Decida para onde ir

Com o buscador de passagens aéreas Mevow basta escolher o aeroporto de origem e as datas da viagem que a ferramenta apresenta os destinos possíveis, organizados por preço. Assim que a decisão for tomada, o usuário é redirecionado para o site da companhia aérea para concluir a compra.

Escolha quanto pagar pela hospedagem

A Lance Hotéis é a única Agência de Viagens Online (OTA) do mundo que permite ao viajante negociar de forma direta e transparente o valor da hospedagem que ele está disposto a pagar. Por meio da plataforma, o cliente pode fazer até cinco propostas para o hotel em que deseja se acomodar. O estabelecimento citado terá até 24 horas para responder. Caso aceite, o viajante terá seis horas para finalizar a compra. No entanto, se a hospedagem recusar, o cliente poderá fazer uma nova proposta.

Aproveite para conhecer a cidade

Especializada em turismo, a Gestour Brasil é uma plataforma digital que reúne produtos e serviços de agências de viagens, operadoras, hospedagens, passeios, traslados, eventos, parques aquáticos e parques de diversões. Atualmente, o site oferece atividades em 27 estados brasileiros, 5570 cidades e 333 regiões turísticas.

Agora que você já tem o passo a passo para curtir o carnaval em grande estilo, é hora de arrumar as malas e cair na folia!

Descubra os segredos do Vale do Silício para decolar sua startup!

O InovAtiva Brasil vai realizar um webinar sobre a abertura das inscrições para a edição 2020.1 do programa. Para conversar com as mediadoras Natasha Meyer e Greyce Franzmann, ambas da Fundação Certi, estarão presentes o empreendedor Gabriel Leite, CEO da Feedz, e Bret Waters, especialista em inovação.

Enquanto Gabriel Leite irá compartilhar sua experiência como acelerado InovAtiva, Bret Waters vai revelar o futuro das startups em um animado e descontraído diálogo no dia 10 de fevereiro, às 17h. Os interessados podem assistir o bate-papo pelo link.

Sobre Bret Waters

Especialista em inovação, Bret Waters é um ícone do Vale do Silício. Apaixonado pelo poder do empreendedorismo e da inovação, fundou e dirige três empresas de software de sucesso na Califórnia. Nelas, aprendeu a levantar capital, crescer receitas e administrar saídas de sucesso. Atualmente, ensina empreendedorismo na Universidade de Stanford e revela os segredos do Vale do Silício para estudantes de todo o mundo.

Sobre Gabriel Leite

Professor, publicitário, pós-graduado em marketing digital, Gabriel Leite ministra aulas em pós-graduações, cursos e palestras sobre comunicação, marketing, comportamento digital e gestão de pessoas, além de ser CMO & Co-founder na Feedz – plataforma de Engajamento de Colaboradores.

A startup escolhida como um dos 12 destaques do programa InovAtiva Brasil 2018.1 vem transformando mais de 10.000 vidas em mais de 100 empresas pelo Brasil. Em apenas dois anos de existência, a empresa acumulou outras diversas conquistas: venceu o ProXXima Startups, foi acelerada da ACE, reconhecida duas vezes no Innovation Awards Latam, convidada pela YCombinator para apresentação no Vale do Silício (EUA), investida pela Organica Builder e, recentemente, considerada a 6ª startup SaaS que mais cresce no mundo, segundo a revista 156 Fastest Growing SaaS, de Nathan Latka.

Dicas: Como inscrever sua startup no InovAtiva Brasil

Se você está buscando conexão com o mercado e investidores, participar de um programa de aceleração de startups pode ser a solução para que a sua empresa conquiste visibilidade e suba de patamar com o amparo de especialistas de renome do ecossistema.

No InovAtiva Brasil, por exemplo, os empreendedores recebem gratuitamente mentorias online e presenciais, individuais e coletivas. Eles também têm a oportunidade de treinar o pitch (discurso de venda da solução) e apresentá-lo à maior banca de investidores do país.

Mas ser selecionado para um programa como esse não é uma tarefa simples. Por isso, separamos algumas dicas para te ajudar a fazer a sua inscrição:

1. Veja se o seu negócio está realmente preparado para participar do programa

O InovAtiva Brasil tem duração de quatro meses e requer atenção e dedicação por parte do empreendedor. Por isso, é destinado a empresas estabelecidas (com registro CNPJ), que estejam desenvolvendo soluções inovadoras em produtos ou serviços, em estágio de operação e tração, com as primeiras vendas já realizadas, ou uma crescente base de usuários. Além disso, o faturamento deve ser inferior a R$ 4,8 milhões por ano contábil.

Se a sua startup ainda não está neste estágio, não se preocupe. O programa acontece duas vezes por ano, então fique pronto para a próxima edição!

2. Preencha o formulário com calma e sinceridade

Para participar da seleção a uma vaga no ciclo de aceleração, os empreendedores devem preencher e enviar um formulário, disponível no website www.inovativabrasil.com.br, apresentando dados da startup (local onde está sediada, razão social, faturamento, etc.), descrição do negócio e a equipe por trás da solução.

3. Menos é mais! Inscreva uma startup por vez e apenas uma vez

Fazer a inscrição da sua solução mais de uma vez não aumentará as chances de ela ser selecionada. Muito pelo contrário! Dados duplicados são invalidados. Por isso, converse com o seu sócio e decida quem vai inscrever a startup no programa.

Além disso, é vedada a inscrição de mais de um projeto do mesmo empreendedor. Caso isto ocorra, será considerado o último negócio submetido.

4. O programa é destinado a maiores de idades que não estejam envolvidos com a execução deste

É vedada a participação de pessoas físicas menores de idade ou incapazes, pessoas envolvidas na organização do programa e funcionários do Ministério da Economia, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Fundação CERTI.

5. Fique atento aos prazos

Só serão aceitas as candidaturas enviadas dentro do período previamente estipulado pelo programa. Informações acrescidas após a data de término das inscrições serão desconsideradas.

Agora que já tem as diretrizes para fazer a sua inscrição, fique atento ao nosso site e se candidate para o nosso próximo ciclo! Mais informações sobre o processo de seleção podem ser encontradas no regulamento do programa.

Está com dúvidas na hora inscrição? Acesse nossa página com todas as dicas para te ajudar!

Principais erros cometidos por startups

Começar um novo negócio não é fácil, por isso é normal cometer erros durante este processo. Mas para que todo o esforço, dedicação e investimento não corram o risco de ir por água abaixo, conversamos com o mentor do programa InovAtiva Brasil, Carlos Altafini, sócio da Marketplus, para elencar alguns dos principais equívocos realizados por startups.

Para este material, Altafini focou em startups em estágio de tração, sua especialidade, uma vez que os erros variam de acordo com a fase de maturação de cada empresa. Confira abaixo os pontos de atenção que o mentor separou:

  1. Falta de foco

A ansiedade por tracionar o negócio faz com que alguns empreendedores acabem deixando a estipulação do ICP (perfil do cliente ideal) de lado para tentar uma aproximação com todo e qualquer público. “Isso acontece principalmente em operações B2B, que muitas vezes alocam recursos para as áreas de marketing e vendas sem cumprir com esta premissa”, comenta Altafini.

Para que esta questão não acabe prejudicando a sua startup, não atropele as etapas. Faça um mapeamento dos seus potenciais clientes e desenvolva ações voltadas a eles;

  1. Paixão pelo produto ou serviço

É normal se apaixonar pela sua criação, mas isso pode fazer com que você não enxergue os pontos que precisam ser aprimorados. De acordo com o empresário, isso pode ser fatal para um negócio. “De nada serve construir um produto maravilhoso, que resolva um problema real, mas cujo valor não seja identificado pelo cliente lá na ponta. Se o mercado não está disposto a pagar pela solução que você desenvolveu, não há muita chance de sucesso”, afirma o mentor;

  1. Não olhar para o mercado global

É fato que o mercado brasileiro é enorme e tem muito potencial para ser explorado. Porém, para Altafini, as startups devem nascer pensando globalmente e não deixar para pensar na internacionalização mais adiante. Ele aconselha que, já nos primeiros estágios da startup, todo empreendedor deveria se fazer algumas perguntas:

  • O meu negócio está limitado ao Brasil ou tem chances de ser internacionalizado em algum momento?
  • A minha marca é registrável no exterior? Ela será bem recebida em países que falam inglês ou espanhol?
  • Alguma empresa estrangeira já utiliza esta marca ou outra similar?
  • Os domínios “.COM” estão disponíveis ou já foram registrados por terceiros?
  • O meu software está nascendo preparado para ser traduzido rapidamente?
  • Quais as patentes relacionadas ao meu negócio, já foram registradas no exterior?
  • Quem são os meus concorrentes internacionais, diretos e indiretos?
  • Quais são os principais eventos internacionais relacionados ao meu negócio, que devo ter no meu radar?

“Quem segue este conselho, mesmo sem perceber dará os primeiros passos para a criação de uma cultura de internacionalização no negócio, mesmo que o foco inicial seja o mercado nacional”, completa Altafini.

Brasil está entre os países que mais criaram unicórnios em 2019

Em 2019, 142 startups se tornaram unicórnios. Elas são, principalmente, dos segmentos de finanças, comércio e compras, análise de dados, transporte, SaaS e saúde. Esses dados são de um levantamento realizado pela plataforma norte-americana Crunchbase.

Com estes novos empreendimentos avaliados em mais de US$ 1 bilhão, totalizam-se 558 unicórnios oriundos de 32 países. Juntas, essas empresas já atingem o valor de US$ 1,9 trilhão e somam US$ 411,2 bilhões em investimentos recebidos.

Segundo o estudo, os Estados Unidos foi o país que mais criou unicórnios no último ano. Ele foi responsável pelo título adquirido por 78 startups. Em seguida, vem a China, com a criação de 22 unicórnios em 2019. Empatados em terceiro lugar, estão o Brasil e a Alemanha, com cinco empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

No Brasil, a quantidade criada em 2019 foi a mesma do ano anterior. Os primeiros unicórnios brasileiros foram: aplicativo 99, PagSeguro, Stone, Nubank e iFood. No ano seguinte, chegaram a este patamar a Loggi, Gympass, QuintoAndar, Ebanx e Wildlife.

Mas não parou por aí. No primeiro mês de 2020, o país já mostrou que tem potencial para criar ainda mais unicórnios. Com apenas 16 meses de operação, a startup Loft, especializada em venda e reforma de imóveis, foi avaliada em US$ 1 bilhão após receber um aporte de US$ 175 milhões no início de janeiro.

A dúvida que fica agora é: quais serão os próximos unicórnios brasileiros?

Tendências para o empreendedorismo em 2020

O ano de 2020 começou e trouxe com ele novidades e tendências para o ecossistema de empreendedorismo. Com o avanço da tecnologia, a cibercultura vem tomando conta das startups, que estão investindo constantemente em aprimoramento e inovação para não ficarem para trás.

Aísa Pereira, criadora da metodologia da Engenharia de Vendas para Empresas de Software e mentora do programa InovAtiva Brasil, afirma que as startups que identificarem a interseção entre demanda de mercado com alto potencial (demanda significativa não atendida ou mal atendida) e baixa, inexistente ou desatualizada competição, terão múltiplas chances este ano.

“Os empreendedores devem olhar para os seus negócios com os olhos dos clientes. Isso é essencial para que a startup tenha sucesso no ano que está começando, pois ao fazer este trabalho, ela entenderá os problemas específicos e prioritários do nicho econômico a que se destina, a qualidade do produto, a atenção aos detalhes e terá responsabilidade, perfeccionismo e pontualidade nas entregas”, comenta Aísa.

A mentora também garante que a aposta dos próximos meses será nos setores de Health Tech, Food Tech, Fintech, Energy Tech e Retail Tech. Além disso, ressalta que tecnologias avançadas de investigação para uso da justiça e da segurança pública, incluindo a prevenção e o combate à corrupção, poderão ter destaque neste ano.

Dicas para aperfeiçoar seus negócios em função dessas tendências

Àqueles que desejarem se aventurar pelas novidades de 2020, Aísa deixa algumas dicas para guiá-los na decisão de quais tecnologias usar para o desenvolvimento de seus produtos e/ou serviços:

  1. Analise quais são as tecnologias mais adequadas para ajudar a resolver os problemas de clientes reais e potenciais da startup;
  2. Pondere os assuntos que devem ser estudados e trabalhados pelos seus colaboradores para aprimorar suas competências;
  3. Apure quais são as técnicas e tecnologias utilizadas por seus concorrentes (nacionais e internacionais) e por líderes do segmento.

InovAtiva Brasil está selecionando Líderes De Comunidade

O programa InovAtiva Brasil está em busca de pessoas que desejam fazer a diferença no ecossistema empreendedor do estado onde moram. Para isso, vai selecionar Líderes de Comunidade, analisando pessoas de todo o país.

Composto por três etapas (triagem, entrevista e divulgação dos escolhidos), o processo seletivo vai avaliar os inscritos com base na experiência e conhecimento que estes demonstrarem em relação ao universo das startups, motivações, entendimento, mapeamento e articulação no ecossistema local. Atividades ligadas ao empreendedorismo e empreendedorismo social serão grandes diferenciais.

Atuação do Líder de Comunidade

Serão selecionadas pessoas que estejam empenhadas em evoluir e liderar mudanças no ecossistema local em que estão inseridas. Elas vão trabalhar com as lacunas do seu estado, desenvolvendo e movimentando organizações, pessoas, empresas e governos que queiram fomentar o empreendedorismo e as startups regionais, com o apoio da rede do InovAtiva Brasil.

Os Líderes de Comunidades serão verdadeiros protagonistas estaduais mobilizados para movimentar diferentes grupos em prol de um ecossistema mais próspero. Caberá a eles disponibilizar duas horas semanais voluntariamente para realizar palestras, promover eventos, buscar oportunidades de conexão para startups e encontrar as melhores soluções para serem aceleradas pelo programa.

Para saber mais, acesse: https://www.inovativabrasil.com.br/representantes/

Maior programa de aceleração da América Latina chega a 1 mil startups aceleradas

Nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro, o InovAtiva Experience reuniu empreendedores, mentores, investidores, grandes empresas e importantes agentes fomentadores de startups para o término do ciclo de aceleração InovAtiva Brasil 2019.2.

O evento ocorreu na Escola de Negócios do Sebrae, em São Paulo, e contou com a presença de mais de 400 participantes, sendo 108 startups, 181 empreendedores e cerca de 170 investidores e mentores. No final de semana, eles tiveram a oportunidade de participar de 60 atividades, entre mentorias, treinamentos de pitchs e palestras.

Na segunda-feira, apresentaram seus negócios para a maior banca de investidores do país e puderam participar da cerimônia de encerramento deste ciclo do programa, que elegeu 14 startups como destaques, sendo duas em cada categoria:

  • Banca 1: Comércio & Setor Financeiro – Pricefy, plataforma que aumenta a venda dos varejistas automatizando a divulgação das promoções nas mídias online e offline, e ZH Soluções Especialistas, modelo SaaS que permite a gestão, saneamento e enriquecimento de todos os tipos de cadastros de empresas;
  • Banca 2: Educação & Recursos Humanos – Jovens Gênios, plataforma digital adaptativa de aprendizagem gamificada para o ensino Fundamental II, e AppGuardian, solução tecnológica que ajuda pais e filhos a organizarem suas rotinas no mundo digital;
  • Banca 3: Indústria & Jurídico – James Tip, startup que atua com indústrias, distribuidores e varejistas para aumentar o faturamento e reduzir as rupturas de estoque de seus clientes, e Crave Industry, empresa que desenvolve soluções Digital Twin embasadas em conceitos de Indústria 4.0 para o segmento industrial;
  • Banca 4: Marketing & Serviços – Implanta IT Solutions, solução de inteligência de dados com recursos de inteligência artificial que aproxima a indústria do seu consumidor final, e Peepi, ferramenta que ajuda empresas a identificar, engajar e mobilizar seus defensores para que façam ações pela marca, como compartilhamento de conteúdo em redes sociais, reviews, depoimentos, indicações e produção de conteúdo;
  • Banca 5: Alimentação & Saúde – Far-me, primeira empresa do Brasil a oferecer o serviço de dispensação customizada que torna a utilização de tratamentos contínuos mais simples e segura, e PWTECH, sistema de purificação que transforma água contaminada em água potável;
  • Banca 6: Tecnologia, Construção & Setor Imobiliário – T&D Sustentável, desenvolvedora e comercializadora de projetos com foco na redução do consumo de água de seus clientes, e Data2go, startup que impulsiona o crescimento de empresas PME’s por meio de soluções de inteligência que transformam dados simples em informações estratégicas;
  • Banca 7: Impacto social e ambiental – Coletando Soluções, primeira fintech do mundo a disponibilizar pontos móveis que trocam lixo por dinheiro em comunidades vulneráveis, e Cycor Cibernética, startup desenvolvedora do primeiro exoesqueleto do Brasil, que pode ser usado por pessoas paraplégicas totais e tetraplégicas parciais.

InovAtiva Conecta

No período da tarde do dia 02 de dezembro, o InovAtiva realizou a conexão de empreendedores com grandes empresas. Todos os participantes se inscreveram previamente no site do programa, contando o que poderiam oferecer (no caso das startups aceleradas de ciclos anteriores) ou o que estavam buscando (tratando-se das grandes empresas).

A partir desses dados, a equipe do InovAtiva fez uma triagem de quais soluções poderiam melhor atender as necessidades de organizações como Bosch, Vale, Johnson & Johnson, ThermoFisher Scientific, Andrade Gutierrez, Magazine Luiza, entre outras.

Ao todo, foram executadas oito rodadas de negócios, de 20 minutos cada, com cinco aceleradoras, cinco fundos de investimento/associações de investidores anjos e 10 companhias com programas de interação com startups.

Quais os benefícios de um programa de aceleração para startups maduras?

Com base em seus seis anos de atuação, o InovAtiva Brasil percebeu que soluções mais desenvolvidas conseguem aproveitar melhor o que um programa de aceleração de startups tem a oferecer e, assim, têm mais chances de realizar negócios por meio deste.

Por esse motivo, em 2019 ele mudou seu formato, passando a selecionar startups em fase de operação e/ou tração para ganhar visibilidade, se conectar com investidores e grandes empresas, além de fazer parte do time de aceleradas do maior programa de aceleração de startups da América Latina.

Com isso, o foco do InovAtiva se tornou impulsionar o crescimento das startups, garantindo que elas atinjam seus objetivos com uma maior velocidade, estabilidade e lucratividade. Para isso, oferece palestras, mentorias, treinamentos de pitch e dá a oportunidade das empresas se apresentarem à maior banca de investidores do país.

Os empreendedores também podem fazer networking e trocar experiências com startupeiros de todo o brasil, dos mais diversos segmentos, mas que possuem o mesmo nível de conhecimento que eles, gerando parcerias e o aprimoramento de seus produtos ou serviços.

Esse é o caso da Jovens Gênios, por exemplo. A startup eleita como destaque do InovAtiva 2019.2, que individualiza e torna o aprendizado mais divertido para os alunos, além de aumentar a participação dos pais no acompanhamento do desempenho dos filhos, já está atendendo mais de 120 escolas de cinco estados brasileiros.

De acordo com Bernard Caffé, Cofundador e Diretor Comercial da empresa, além de todo aprendizado que o InovAtiva proporciona, ele também gera um respaldo governamental. “Desde o primeiro contato, até toda a trilha, foi muito legal ver o quanto que a equipe do InovAtiva está disposta a nos ajudar e nos amparar em todo esse processo. É impressionante ver como crescemos desde que entramos no programa. Para completar a aceleração, passamos pelo InovAtiva Experience, no qual tivemos a oportunidade de receber mentorias, assistir palestras fantásticas e até criamos parcerias durante esse período”, completa Caffé.

Entenda a diferença entre hardware e software

Apesar de terem grafia e pronúncia parecidas, as tecnologias hardware e software se diferem, não apenas no significado, mas também na funcionalidade. Enquanto o hardware é um o conjunto de peças e equipamentos que fazem aparelhos eletrônicos (como computadores e celulares) funcionar, o software é a parte lógica desses dispositivos.

Responsável operação do hardware, o software manipula, instrui e envia os comandos necessários para a execução das atividades lógicas das máquinas, permitindo que o usuário interaja com todas as funcionalidades e acessórios de um computador, por exemplo.

Programas, sistemas operacionais e aplicações são alguns tipos de softwares. Eles são elaborados por meio da junção de inúmeros códigos e customizados de acordo com as tecnologias dos seus fabricantes. Quando um dispositivo é ligado, o software transmite impulsos, fazendo com que o hardware funcione.

Como esses dois artifícios são totalmente dependentes e sempre estão associados, é comum haver a confusão dos conceitos, mas hardwares e softwares são tecnologias diferentes.

Para saber mais, assista nosso webinar com o convidado Marcos Buson. Ele abriu sua primeira empresa de tecnologia com 17 anos e desde então ajudou a fundar mais de 10 empresas. Durante o bate-papo, ele deu dicas para que quer empreender com hardware ou para quem já está nessa jornada. Buson é responsável pelo programa de Pitch do Startup SC, Darwin Startups, IncTech, CoCreation Labs, Hotmilk, Inovativa, LabInvest, tendo treinado mais de 2 mil times.

inovativa@inovativabrasil.com.br