Posts

Dicas exclusivas de marketing para a gestão de startups em meio ao isolamento social

Em um bate-papo dinâmico e descontraído, Vinícius Dos Santos, Head de Parcerias da Lahar, e Kayuá Freitas, Diretor de Novos Negócios na Moskit CRM, mostraram aos ouvintes virtuais que o marketing pode e deve inovar nesta época em que as pessoas estão trabalhando de casa devido a pandemia do novo coronavírus.

“Esse é o momento de olhar para o mercado e se reinventar”, afirmou Freitas, “as empresas mudaram e as pessoas também. Temos que começar do zero olhando para o cliente em primeiro lugar”, aconselhou o diretor.

Sob mediação de Fábio Santos, consultor de marketing digital e agente do InovAtiva Brasil na cidade de Franca (SP), os convidados abordaram temas como Gestão de Crise, comportamento do público, mensuração de resultados e a mudança nas vendas por e-commerce.

“Antigamente, íamos procurar o mercado depois de criar o produto. Hoje essa realidade mudou. Precisamos entender o mercado para depois criar o produto. Isso é o que tem feito as vendas no e-commerce aumentarem quatro vezes desde o início da pandemia”, comentou Santos sobre as transformações que as vendas passaram como consequência do isolamento social.

O Head de Parcerias da Lahar também reforçou que agora é preciso manter o planejamento e controle financeiro em ordem e usar o CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) para organização e aumento de produtividade.

Kayuá Freitas completou dizendo que essa é a oportunidade para que o empreendedor implemente o conceito de Customer Development na sua startup. De acordo com ele, as redes sociais podem ser grandes aliadas neste período, principalmente para se aproximar dos clientes que a empresa gostaria de ter.

“A ideia é olhar para o que você está fazendo hoje, ver o que conseguiu reduzir e manter isso pós-pandemia. O que está dando certo hoje tem muito mais chances de dar certo no futuro do que o que estava fazendo antes”, finalizou Freitas.

Se você não conseguiu assistir ao webinar, mas quer saber mais sobre as dicas dadas pelos participantes, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=Ptx3UHYdZO8

07 Dicas para promover seu negócio com Marketing Digital

Um dos principais pilares de qualquer negócio é a área de marketing e vendas. Um negócio sem visibilidade é um negócio morto, porque, mesmo que haja qualidade nas suas entregas e uma proposta de valor evidente, se ninguém sabe da sua existência, provavelmente, seu negócio caminha a passos largos para o fechamento.

As constantes revoluções tecnológicas pelas quais nós temos passado nos últimos anos tem permitido que pequenas empresas e marcas entrem na disputa pela atenção do público consumidor. Isso faz com que se promover seja algo mais próximo da realidade de um pequeno empresário nos dias de hoje do que em qualquer época da nossa histórica. Claro que não estou falando aqui de disputas de mesma escala. Uma marca tradicional e forte tem visibilidade em escalas globais ou nacionais, enquanto pequenos empresários precisam de atenção local.

Novas possibilidades

A internet é a principal ferramenta para alavancar os resultados de visibilidade e, consequentemente, comerciais de qualquer tipo de empresa. Ela consegue quebrar barreiras de acesso a públicos específicos e diminuir o custo para dar visibilidade a uma marca, produto, ou serviço. Explico: ao invés de termos poucos bons fornecedores de visibilidade, como um canal tradicional de televisão ou uma revista conhecida por todos no mercado, falamos de milhares de sites, redes sociais, buscadores e reprodutores de conteúdos espalhados em diferentes links e acessados por diferentes perfis de pessoas. Com isso, o custo médio de divulgação de um produto ou serviço fica muito menor.

Como todo e qualquer contexto de oportunidade, ganha quem conhece melhor das ferramentas disponíveis e dos processos que levam uma empresa ao sucesso. Isso não quer dizer, de forma alguma, que exista uma fórmula mágica ou uma receita de bolo que se aplique a qualquer modelo de negócio. Mercados diferentes exigem estratégias diferentes, e não existem atalhos que simplifiquem esse processo de entendimento e aprendizado sobre um mercado e as grandes oportunidades que precisam ser exploradas ali.

 

Porém, existem alguns passos básicos que, se seguidos, podem te ajudar muito na hora de começar a se inserir dentro desse mundo digital. Vamos lá:

Estude seu público alvo

Um dos pontos altos do mundo digital é o fácil acesso à informação. Aqui, podemos fazer pesquisas intensas e profundas sobre quem é nosso público consumidor, que tipos de conteúdos ele acessa, com o que ele mais interage? Em que canais ele está mais presente? Ele usa muito as redes sociais? Ele faz muitas pesquisas no Google?

Essas informações podem valer ouro na hora de pensar em uma boa estratégia de marketing digital.

 

Estude seus concorrentes

Não basta saber quem são seus concorrentes. É importante entender como eles estão atuando na hora de se promover. Que canais eles estão usando? Que tipos de conteúdo estão sendo gerados? Isso está funcionando? Ele está vendendo mais? Onde é que os concorrentes estão acertando? E onde é que eles estão errando?

Com esse conhecimento, podemos pensar nos espaços em branco que podem ser preenchidos e que oportunidades existem para alavancarmos uma marca.

 

Reflita sobre a sua marca

Quando começamos a estudar o mercado, olhando para concorrentes e para seu público-alvo, temos uma série de insights de como nos comunicar melhor para termos mais atenção frente ao nosso público e termos mais resultados de venda. É importante, porém, respeitar quem a sua marca é e os valores que você entende que são relevantes para a construção dela. Essa essência não pode ser deixada de lado na hora dessa disputa, porque ela pode matar a identidade do seu negócio.

 

Escolha que canais utilizar

A partir daqui, estamos falando em plano tático e criativo de como promover seu produto ou serviço. Existe na internet uma infinidade de canais que podem ou não ser explorados como o Facebook, Instagram, Google, Linkedin, Twitter, anúncios em sites de conteúdo ou de notícias, entre muitos outros. Já vi muitas pessoas falando que é importante estar presente no máximo de canais que você conseguir. E isso pode ser muito perigoso.

Estamos falando de pequenos negócios com recursos e mão de obra limitada e, portanto, precisamos ser realistas e objetivos na hora de escolher em que canais precisamos estar presentes de acordo com os principais resultados de negócio que queremos gerar pelo esforço da promoção de nossa marca e dos produtos ou serviços que oferecemos ao mercado.

 

Defina a linha criativa que você vai utilizar

Como falei algumas vezes nesse texto, o marketing digital é, basicamente, um mundo de disputa por atenção. Isso quer dizer que você vai entrar em um contexto onde muitas (muitas mesmo) marcas estão tentando se vender de forma constante e insistente. O usuário final já sabe disso e, muitas vezes, ignora anúncios e marcas que aparecem em anúncios. A disputa de atenção se dá por duas principais visões: i) como construo conteúdos relevantes e de interação com o meu público-alvo? E ii) como construo anúncios matadores que vão gerar o máximo de clicks e compras em um site ou visitas em uma loja e por aí vai.

Esse esforço de construção não é simples, e exige muito conhecimento do seu mercado e, principalmente, das ferramentas e canais que você utilizará na promoção do seu negócio. Conhecer de marketing (digital e tradicional) é tão importante quanto conhecer de finanças, de atendimento ao cliente, de produção e de prestação de serviços.

 

Tenha verba para investir

Se você acha que o digital não consome dinheiro você está enganado. Aloque verba para compra de espaços publicitários de forma recorrente e permanente se você quer continuar crescendo ou se manter com o porte de negócio que você tem hoje.

Em média, sugiro que 5 a 10% do seu faturamento seja revertido em marketing considerando todos os custos envolvidos nisso: equipe, produção de conteúdo, compra de mídia e por aí vai.

 

Monitore os resultados

Marketing e comunicação são ciência e não tem nada a ver com ego, orgulho ou arte. Os dados devem sempre ser seus melhores amigos visto que você está investindo tempo e recursos de sua empresa nesse trabalho de forma constante e recorrente. Dito isso, tenha como melhores amigos os dados que acompanham todo tipo de resultado para saber se precisa fazer algum tipo de ajuste na sua estratégia de marketing ou se está tudo correndo como deveria.

Em geral, ao analisar os dados de marketing digital do seu negócio, você deveria ser capaz de responder as seguintes perguntas:

  • O público está interessado pelo que minha marca está falando?
  • O conteúdo que está sendo gerado pela minha marca tem algum tipo de conexão com o meu setor e com os produtos ou serviços que comercializo?
  • Estou conseguindo gerar tráfego para o meu site, aos meus pontos de venda ou aos pontos onde comercializo por meio do trabalho de comunicação digital?
  • Estou gerando resultados comerciais a partir do trabalho de comunicação digital?

Aliás, se você tem dúvidas sobre que indicadores construir para qualquer área do seu negócio, trabalhe sempre com dados que respondam a perguntas específicas e estratégicas para você. Um dashboard com dado demais costuma não responder nada e gerar muita confusão para o seu negócio.

Esses passos são a base para quem quer promover de forma adequada seu produto ou serviço. É um trabalho que exige dedicação e esforço para que, de fato, sejam construídas estratégias e ações coerentes com o contexto onde uma empresa está inserida e os resultados que ela almeja alcançar. Essa customização é crucial para quem quer de fato ir mais longe.

 

Crie uma colmeia para aproximar as abelhas de seu jardim usando o Inbound Marketing

Por Homero Catesby Chichorro *

Atualmente, a web parece ser nosso primeiro e último refúgio. Quer pedir uma pizza? Recorra ao iFood!!! Precisa de calças novas? Faça uma pesquisa no Buscapé!! Esqueceu o horário do aniversário do amigo? Vá ao evento no Facebook!! Não lembra o significado de alguma palavra? Google it!!! Não há (quase) nada que esse verdadeiro oráculo do século XXI não possa nos ajudar. É preciso, todavia, cuidado.

Por mais nobres que sejam as intenções das marcas, muitas vezes elas acabam exagerando no universo virtual. Parece contraditório, mas o fato é que o consumidor mais bem informado e municiado de ferramentas capazes de fornecer o que ele precisa, tem sua exigência elevada e não quer saber de empresas excessivamente insistentes no seu encalço, nem, por outro lado, ausentes da sua vida.

Logo, não adianta enviar um e-mail tentando convencer seu cliente a lhe fazer uma visita, se ele ainda não sabe quando irá precisar de você. Tampouco, adianta criar um anúncio patrocinado que, embora possa estar alinhado com a busca exata do potencial cliente, remeta a uma página de destino do seu website desconectada da motivação da pesquisa dele. É necessário perspicácia, tato e, sobretudo, sabedoria para evitar o que é conhecido como fadiga de marca.

A capacidade da internet fornecer dados sobre as ações dos nossos clientes (incluindo potenciais) faz com que tenhamos a possibilidade de lançar esforços com muito mais inteligência e resultados. Como já disse, no século passado o soldado e poeta D. Elhers:

“O segredo é não correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você.”

Isso sintetiza bem o conceito de Inbound Marketing e o que ele fará por você: cuidar do seu jardim e torná-lo belo, muito mais belo. O primeiro passo é ser relevante, com quem você quer se relacionar para então criar conteúdos ajustados às necessidades, desejos e dores desses públicos, sabendo como, onde e de que forma entregar esses conteúdos para que eles, voluntariamente, venham até você. Para facilitar esse trabalho existe um recurso que literalmente personifica as principais características dos clientes típicos transformando-os em personagens que facilitarão a comunicação: a esse recurso dá-se o nome de persona. A persona concede rosto, profissão, idade, família e estilo de vida ao seu potencial cliente e distancia-se do conceito de público-alvo por ser mais pessoal, literalmente. Com a persona fica muito mais fácil estabelecer um vínculo afetivo-emocional com o potencial cliente e criar conteúdo que vá de encontro com o que ele busca definindo, inclusive, o tom da mensagem, seu formato, momento mais adequado de entregá-la e como despertar nele (ou nela) o desejo de relacionar-se com você.

Depois, busca-se atraí-lo, para que, como uma abelha atrás de uma flor, ele possa chegar até você, fornecer informações sobre ele mesmo em troca de algo em que ele veja valor e que você possui (como, por exemplo, um vídeo sobre algo relacionado ao seu negócio ou ainda um pedido de orçamento) e, assim, você comece a criar nela convicção da qualidade e benefícios acerca dos seus produtos/serviços. Por meio de um processo denominado nutrição de leads, com diversas técnicas utilizadas, seu trabalho agora é preparar seu potencial cliente para que ele possa estar pronto para um contato comercial e faça, então, negócio com você. Após a venda, o trabalho não para. É necessário constantemente monitorar atuais e potenciais clientes para identificar oportunidades de fazê-los realizar novos negócios com você e ainda aumentar a frequência de compras.

Tudo isso parece simples. E com fornecedores e parceiros certos e, claro, as ferramentas adequadas é mesmo! No entanto, é fundamental muita dedicação, trabalho e experimentação. No início desse relacionamento é importante trocar as primeiras mensagens pessoalmente para conhecer com quem se fala e, ao entender melhor esses potenciais clientes, adequar os esforços de marketing digital aos perfis identificados incluindo a frequência de contato. Isso para evitar fadigar os clientes, incluindo os potenciais. É necessário também cuidado para não cair no sistema de filtros dos serviços de email dos seus  prospects e leads pois isso irá colocar suas mensagens em listas não prioritárias para eles. Caso isso ocorra, ainda que você tenha conteúdo de valor para eles, talvez nunca mais consiga acessá-los por esse meio. E isso eu não desejo para você. Por isso, fique atento. Em relação a conteúdos em blogs e plataformas, é necessário testes para identificar quem ajudará a espalhar o conteúdo e o porquê.

Quando postar é importante acompanhar os indicadores-chave que irão mostrar se o seu conteúdo está gerando o impacto que você gostaria e, caso contrário, permitir ajustá-lo. Nas mídias sociais não é diferente: elas, no geral, são movidas por algoritmos (ora mais sofisticados, ora menos) que avaliam se o conteúdo que sua marca posta é relevante para seus usuários pela interação que tiveram no passado com outros posts e também com o atual. Quando há bastante interação, sua autoridade naquela máquina virtual aumenta e, consequentemente, a exposição do seu conteúdo também. Quando não há interação, infelizmente, o que acontece é o inverso. Por isso é recomendável testar em perfis de mídias sociais que não sejam sua principal plataforma para que, quando um post gerar buzz e viralizar nessas vias secundárias, seja dado o sinal verde para você comunicar esse conteúdo impactante nos seus principais meios, evitando penalidades nas suas grandes avenidas.

Afinal de contas, o objetivo do Inbound não é intoxicar a atenção, mente e coração dos seus clientes com coisas que não são relevantes. Pelo contrário: é fazer com que ele corra para ler, ver e ouvir o que você tem a dizer e, assim, espalhar a novidade para todos. Afinal de contas, o seu negócio merece. Eu, pelo menos, acredito nisso. E você?

*Homero Catesby Chichorro é Consultor de empresas credenciado ao SEBRAE e ao Centro Internacional de Inovação do SENAI e Mentor InovAtiva  (Iniciativa do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC). Possui diploma de negócios pelo ISS of BC College – Vancouver – Canadá, onde trabalhou em empresas como Home Depot (Merchandising), Future Shop/Best Buy (Brand Ambassador), Hudson’s Bay Company (Loyalty&Sales Associate) e Wishpond (Market Research). Bacharel e com MBA em Marketing e Game Design pela Universidade Positivo fez cursos MOOC em Design Thinking (d. School – Stanford University), Creativity, Innovation & Change (Pennsylvania State University), Introduction to Game Design (MITx) e Social Media Marketing Specialization (Northwestern University em curso). Possui sua própria empresa de consultoria (No Alvo! Marketing Estratégico) através da qual orienta empresas em estratégia mercadológica e inovação.

O segundo Bootcamp Regional de 2016 já aconteceu! Veja alguns momentos desse evento.

No dia 24 de setembro, aconteceu o Bootcamp Regional do segundo Ciclo de aceleração do InovAtiva Brasil 2016!
 
Você pode conferir alguns momentos desse evento que reuniu 330 empreendedores, 211 startups e 197 mentores em 10 cidades simultaneamente. O evento contou com mentorias individuais e oficinas de Marketing Digital e Vendas.
 
Mais informações sobre o programa InovAtiva Brasil em nosso site: www.inovativabrasil.com.br
 
Um programa de aceleração com capacitação de qualidade, mentorias nacionais e internacionais e muitas conexões com parceiros e investidores.
 
“O primeiro passo para qualquer startup do Brasil captar recursos e conquistar clientes”.
 

 

Entrevista InovAtiva: a importância do Marketing digital para negócios B2C

Gerson Ribeiro, CEO da Angel Eye, se classifica como um empreendedor tático: engenheiro eletrônico pela UFPE, ele fundou quatro startups, é consultor certificado de Marketing Digital pela DM LLC no Texas e palestrante internacional.Ele contou um pouco sobre a sua experiência com estratégias de Marketing Digital para empresas B2C (Business to Consumer, que vendem diretamente ao consumidor final) e citou experiências que viveu com projetos de consultoria. Além disso, deu dicas para quem está começando no mercado, através de startups. Confira abaixo a entrevista com ele, e descubra como realizar a estratégia perfeita para o seu negócio:


INOVATIVA: Conte-nos um pouco sobre a Oficina de Marketing Digital para empresas B2C.

GERSON: Esta oficina eu já realizo há anos. A primeira vez que ministrei foi em San Diego, na Califórnia (EUA), para seis startups locais. Depois disso realizei o aperfeiçoamento do material e, logo em seguida, fui convidado para dar um treinamento no acelerador de startups do Porto Digital, em Recife, na Jump Brasil. O Bootcamp Regional do InovAtiva em junho teve o mesmo conteúdo apresentado no ano de 2015, e apresentei na oficia o passo a passo para atrair clientes e convertê-los em pessoas pagantes. Isto se dará com dicas de análise que vão desde o posicionamento da empresa, até seu faturamento.


INOVATIVA: Como o Marketing Digital pode auxiliar as empresas?

GERSON: O que acontece é que, hoje, nós temos mais de 100 milhões de usuários – só no Facebook – no Brasil. Pelo mundo, estima-se mais de 1 bilhão de usuários. Atribui-se então que “quem não está nas redes sociais não existe”. A mídia mudou, tornou-se mais democrática graças as redes sociais. As pessoas escolhem o que querem ver de acordo com seu interesse, o que torna mais barato investir no meio online, por conta do direcionamento mais assertivo do produto. E isso independe do negócio. O Marketing Digital auxilia construindo uma base de clientes em larga escala. Porém, não é só criar fan pages, ou perfis em redes sociais diversas, é preciso montar uma estratégia para cada campo e para cada intenção.


INOVATIVA: Marketing Digital pode ser usado somente para vendas em e-commerce? Por quê?

GERSON: Não. O Marketing Digital pode ser usado para qualquer tipo de venda, mesmo que não seja uma transação direta na internet. Ele pode auxiliar para a venda de produtos em campos físicos, por exemplo, ou até para assinaturas, como é o caso das mídias tradicionais. O Marketing digital nada mais é do que a aplicação de conceitos de marketing, no mundo virtual. Isso permite que você use para atrair clientes, para qualquer tipo de produto. Um exemplo bem claro disso são as campanhas políticas. Com o Marketing Digital bem aplicado é possível informar aos eleitores, as propostas e planos de um governante e estimular o voto, por exemplo. Hoje se tem acesso a uma quantidade muito grande de pessoas através dos aplicativos, e isso gera vendas para qualquer negócios e não apenas para e-commerce.


INOVATIVA: Como definir bem um objetivo para a realização do marketing B2C?

GERSON: Eu acredito que o objetivo maior deva ser venda. Deva ser: gerar receita. Deve-se entender que nenhuma empresa sobrevive sem receitas, então, é necessário definir bem um objetivo. Defina o quanto quer faturar e em quanto tempo. Construa uma estratégia, um funil de vendas, otimize, invista em tráfego, invista em anúncios, até que atinja o objetivo de faturamento que visou no início. Isso pode demorar meses. Construa toda a estratégia focada no seu objetivo. Entenda que seu objetivo deve seguir a estratégia SMART, ou seja, deve ser específica (specific), mensurável (measurable), alcançável (attainable), relevante (relevant) e temporal (time-bound).


INOVATIVA: Que tipo de estratégia pode ser adotada na hora de realizar o marketing B2C?

GERSON: Qualquer tipo de estratégia pode ser adaptada. Na verdade, para cada coisa você vai construir estratégias diferentes. O Marketing Digital é apenas uma das peças de uma empresa e ele sempre existirá. Estratégia de atração, vendas e até de compartilhamento podem ser criadas. É necessário ver quais as estratégias se adaptam ao que sua empresa precisa e testá-las. Deve-se criar um plano de ação, testar, aprender, otimizar e continuar fazendo isso sempre.


INOVATIVA: Como mensurar os resultados B2C?

GERSON: Existem vários resultados possíveis de serem medidos. Cliques, conversões, interações, são alguns exemplos de resultados que podem ser analisados através das ferramentas das redes sociais. O Facebook, por exemplo, permite essa análise diretamente em sua ferramenta de anúncios. O Google Analytics, através de sua interface completa de análise de websites. Então, tudo depende do que você quer medir, para que depois seja definido como fazê-la.


INOVATIVA: Quais exemplos de cases e resultados você pode citar?

GERSON: Em maio deste ano, eu construí uma estratégia interessante para um congresso, chamado Brasil Startup Summit. Nós construímos uma base de 10 mil participantes para o congresso, 100% online, que contou com a presença de mais de 50 palestrantes, com os maiores especialistas do mundo. Dentre eles, Arielle Zuckerberg, a irmã do criador do Facebook. Só tivemos essa quantidade de inscritos, graças as estratégias de Marketing Digital aplicadas.


INOVATIVA: Conte-nos alguma experiência que teve com os trabalhos de marketing B2C – e um exemplo de melhoria notável.

GERSON: Em todos os meus negócios eu uso fortemente as estratégias de Marketing Digital B2C. Uma experiência boa foi que há alguns dias atrás eu lancei meu podcast, chamado Startups de Alto Impacto, no iTunes, e rapidamente ficamos rankeados entre os 10 melhores do Brasil, na área de negócios. Isto se dá devido ao trabalho realizado em outras plataformas, como o Facebook e YouTube, onde – neste último – já passamos dos 2.600 inscritos.


INOVATIVA: Cite 5 dicas que podem auxiliar na hora do marketing B2C.

GERSON: Há várias dicas. Vou salientar as cinco que considero mais importantes:

  1.   Tenha um posicionamento muito claro de quem você é, o que é a sua empresa e o que você faz. Isso deve ser feito em apenas uma frase. Seja direto!
  2.   Tenha uma estratégia bem delimitada e tenha um passo-a-passo bem definido. Não imite outras empresas. Você pode se basear em outras estratégias, porém, entenda como adaptá-las para o seu negócio. Só assim você saberá o que funciona para você.
  3.   Seja pessoal. As redes sociais não são locais em que as pessoas querem interagir com as empresas, elas querem interagir com pessoas. Um exemplo disso é a minha empresa, Angel Eye, onde possuo uma fanpage. Toda a divulgação que realizo, faço direto da minha página pessoal, o que gera uma empatia melhor entre mim e os usuários que, posteriormente, são acionados pelo meu perfil pessoal, levando-os para a minha empresa.
  4.   Ter um funil de vendas bem definido também é importante. Tenha as etapas claras, teste, entenda cada uma e detalhe cada uma delas. Comece simples, veja o que dá resultado, gere receita e escale de acordo com sua necessidade.
  5.   Escale. Tenha foco em uma construção autossustentável da sua base, invista em anúncios, impulsione sua estratégia e tenha em mente que isso é um investimento. Profissionais investem em tráfego, então – invista.


INOVATIVA: Há algo que gostaria de salientar que não questionamos?

GERSON: Bom, tudo é teste. Não adianta discutir o que funciona ou não. É necessário estudá-los dentro da sua startup, dentro da sua necessidade empresarial. Existem metodologias comprovadas e é interessante utilizá-las, mas enquanto elas não trouxerem resultados para o seu negócio, elas não funcionam pra você. Na prática, a teoria é outra. Veja o que funciona, o que não funciona, otimize e faça seu negócio crescer. É um trabalho de escala. Não existe fórmula mágica. Existem fórmulas e metodologias, mas que não funcionam magicamente. Você tem que estar ali, trabalhando, melhorando e corrigindo aquilo que não deu certo. Enquanto não colocar em prática, não passa de conversa.

Quer saber mais sobre Marketing Digital? O InovAtiva Brasil está com o curso online aberto sobre o assunto até dia 11/09. Acesse aqui.

InovAtiva Brasil oferece curso gratuito sobre acesso a mercado para startups

Pela segunda vez este ano, o InovAtiva Brasil vai oferecer gratuitamente um curso destinado aos empreendedores que têm interesse em divulgar seus serviços através das novas tecnologias e mídias digitais, para assim intensificar suas vendas. Com o intuito de auxiliar novos empreendimentos, o maior e mais abrangente programa de aceleração de startups do país vai disponibilizar a partir de 22 de agosto a segunda edição do curso Acesso ao Mercado.

Há alguns anos, apenas grandes empresas podiam divulgar sua marca a várias pessoas. Atualmente, as novas tecnologias democratizaram esse acesso. No entanto, é necessário ter cuidado ao utilizar esses espaços pois eles podem se tornar fontes de desperdício de dinheiro se forem mal utilizados. ‘‘O despreparo de certos empresários para alavancar suas empresas e gerar lucros com elas ainda é alto. Uma ideia precisa de uma boa base inicial para que algo rentável e sólido seja criado’’, afirma Théo Orosco, CEO da Exact Sales, um dos colaboradores do curso.

As aulas são ministradas através de vídeos curtos, acessíveis também por celular e que se encaixam na rotina apertada do empreendedor. Além da plataforma audiovisual, materiais complementares serão disponibilizados para que os participantes possam se aprofundar naquilo que julgarem mais importante. ‘‘Quem se prepara, fecha um time de forma eficiente e faz investimento no crescimento da empresa antes de querer retornos lucrativos, sobrevive. A crise financeira que estamos enfrentando pode deixar um rastro de oportunidades para quem está começando’’, ressalta Orosco. E continua, ‘‘Cada vez mais, as empresas maiores olham para as startups como exemplos de solução. Logo, um curso como este auxilia na segmentação e entendimento para todos’’.

Segundo Orosco, nestas aulas, os participantes vão aprender sobre o funil comercial e como deve ser feita a busca por novos clientes. ‘‘No curso, os novos empresários vão aprender a olhar para o cliente de maneira mais profunda, antes de investir tempo e dinheiro no empreendimento. Mostramos técnicas de maneira geral para dar eficiência na gestão das startups’’, finaliza.

O participante pode fazer perguntas no fórum, indicar novos materiais e mandar mensagens privadas para outros empreendedores. Ao final do curso, o empreendedor irá entender os caminhos necessários para montar a máquina de vendas da sua empresa. Os alunos que assistirem todas as aulas, entregarem as tarefas dentro dos prazos estipulados e realizarem ao menos um feedback em cada tarefa receberão certificados de participação no curso.

Serviço: curso de ACESSO A MERCADO

Inscrições:  www.inovativabrasil.com.br

Início: 22 de agosto de 2016

 

inovativa@inovativabrasil.com.br